Válvera e seu álbum “Cidade em Caos”

Formada por Glauber Barreto (Voz/Guitarra), Rodrigo Torres (Guitarra/Vocal de Apoio), Jesiel Lagoin (Baixo) e Vini Rossignolo (Bateria), o VÁLVERA foi fundada em 2010 na cidade de São Paulo e foi em 2015 que lançaram o seu primeiro álbum de estúdio “Cidade em Caos”.

Esse álbum de estreia, sentimos o estilo da banda em fazer o Heavy Metal que todos os apreciadores do estilo gostam. Aqui encontramos músicas bem realizadas com poderosos riffs e solos de guitarra que ganham sempre destaque nas composições, vocais bem desempenhados, bateria e baixo fazendo os seus bons trabalhos harmoniosos e muito talento em cada faixa do disco.

As 9 faixas são cantadas em português, deixando nítidas as intenções das letras e o que elas representam no cenário brasileiro. Temas como religião, críticas na sociedade, situações do cotidiano, entre outros assuntos envolvendo tudo isso.

Músicas pesadas, bem produzidas e de boa qualidade, mostrando as variações harmônicas que ganha bastante destaque em cada composição, trazendo bons talentos de cada membro apresentando as capacidades deles em criarem boas músicas, boas harmonias e boas melodias.

Vale ressaltar também, os refrões cantados em cada música. Muito potente e bastante energético, mostrando o peso em suas letras e os vocais bem realizados e eficientes do Glauber.

Nas faixas como: “Por Baixo dos Pneus”, “Cidade em Caos”, “O Miserável”, “O Céu Pode Esperar” e “Redenção”, mostra nitidamente os pontos fortes do conjunto em criarem composições eficientes, pesadas e de talentos dos membros.

Nelas, riffs pesados, insanos e bem realizados na pegada de Heavy Metal, vocais agressivos, energéticos e potentes mostrando o grande empenho do Glauber no disco, solos de guitarra muito bem realizados, variações nas harmonias ao decorrer de cada faixa, letras envolventes, refrões fortes representando o peso nas faixas, a bateria em conjunto com o baixo fazendo ótimos desempenhos e eficientes criando as harmonias de cada música. Esses aspectos foram de extrema importância para criarem boas composições, formando ótimos resultados no álbum.

Talvez as duas melhores músicas do disco mostrando a excelente sonoridade e o peso que conseguiram chegar, foram: “Escravo do Acaso” começando de forma pesada com um riff bem realizado de guitarra se estendendo com bons vocais. Ela fica mais interessante nos seus refrões, onde é tocada num ritmo mais suave e calmo, realizado por vocais e guitarras limpas. E “Sangue e Ouro”, com uma letra envolvente, um riff intenso na guitarra que se estende com o passar da música e claro, os poderosos solos de guitarra e os vocais competentes do Glauber.

“Hora do Show” é outra música que merece o seu destaque e seu espaço no álbum. Um som empolgante trabalhando nos bons estilos do Rock And Roll, possuindo uma letra envolvendo os amantes do Rock.

E por último, “Extinção” introduz um dedilhado no violão acompanhado por um solo de uma guitarra distorcida formando uma harmonia bem cadenciada. Logo, a guitarra varia e cai num som pesado e começa a entrada dos outros instrumentos voltando para a pegada energética da banda.

Primeiro álbum de estreia do VÁLVERA já mostraram a eficiência, capacidade, talento e dedicação com a sonoridade que fazem. Bastante peso e potência em suas letras. Harmonias e melodias respeitosas e bem aplicadas que conseguiram realizar de forma poderosa e cativar o ouvinte. Resultando em composições de qualidade e muito bem realizada. Excelente recomendação.

Faixas:

1. Pra Baixo Dos Pneus
2. Cidade em Caos
3. O Miserável
4. Escravo do Acaso
5. Sangue e Ouro
6. O Céu Pode Esperar
7. Redenção
8. Hora do Show
9. Extinção

Line-up:

Glauber Barreto – Voz/Guitarra
Rodrigo Torres – Guitarra/Vocal de Apoio
Jesiel Lagoin – Baixo
Vini Rossignolo – Bateria

Nota: 8,5