Tsjuder: Uma noite satânica e memorável no clash club – SP

Show do Tsjuder – 24/03 – Clash Club

UMA NOITE SATÂNICA E MEMORÁVEL NO CLASH CLUB

A banda norueguesa de black metal TSJUDER, veio ao Brasil e um dos lugares escolhidos foi o Clash Club, com um bom público e um bom lugar para o show.

Antes do TSJUDER, duas bandas de black metal brasileiras se apresentaram antes. A primeira foi o JUSTABELI, um trio paulistano com muita agressividade e potência. Com um vocal gutural, vários “blast beats” e extremamente pesado, fizeram uma boa apresentação.

A segunda banda foi a PÁTRIA, banda do Rio Grande do Sul formada por 5 integrantes. Caracterizados do mais puro black metal, ou seja, corpse paint, vocais rasgados e muita porrada no ouvido, foi o que eles fizeram nessa noite. Sem contar a simpatia deles com os fãs, interagindo com eles e no final cumprimentando alguns fãs que estavam perto do palco.

_____________________________________________________________________________________

Por volta das 21:00 e o TSJUDER já subiram no palco com a “The Daemon Throne”, logo em seguida veio a “Slakt”, músicas do “Legion Helvete” (2011), para já entrar no clima da banda. Com um setlist onde continha músicas dos cinco álbuns de estúdio, souberam variar as músicas, tocando clássicos da banda e músicas mais recentes, como a do álbum “Antiliv” (2015).

Clássicos como “Mouth Of Madness”, “Primeval Fear”, “Kill For Satan”, “Helvete”, entre outras, foram tocadas. Assim como músicas do “Antiliv” (2015), onde foram tocadas três músicas, entre elas, “Antiliv”, “Demonic Supremacy” e “Kaos”. Cada música tocada foi insana, veloz, pesada e com bastante potência.

Com uma caracterização de corpse paint que eles sempre ficam, com direito a pinturas de cruzes invertidas no rosto e no corpo e braceletes de espinhos, cada integrante fez a sua parte no palco. O vocalista e baixista Nag, fez um bom trabalho no vocal mandando bem nos rasgados. O guitarrista Draugluin, fez bons solos de guitarra e riffs insanos. E o baterista Anti-Christian, sem perder o clima da banda, mandando ver nos poderosos “blast beats”.

O TSJUDER foi simples e objetivo, porém, com poucas interações com o público. O Nag quase não falou nada com os fãs, as vezes falando os nomes das músicas que vão tocar e alguns agradecimentos.

Quem compareceu no Clash Club nessa noite, teve uma boa experiência do mais puro black metal, foram três bandas insanas, com características distintas umas das outras. Isso prova que o black metal no Brasil mereceria mais espaço e reconhecimento. Sem contar o TSJUDER, que fez uma apresentação fantástica e extrema, foram mais ou menos 1:30 de insanidade pura e músicas de estourar os tímpanos.

Set list:

1. The Daemon Throne

2. Slakt

3. Ghoul

4. Daemons Journey

5. Demonic Supremacy

6. Mouth of Madness

7. Primeval Fear

8. I.N.R.I. – (Sarcófago cover)

9. Unholy Paragon

10. Kaos

11. Kill for Satan (The King’s Birth)

12. Sacrifice – (Bathory cover)

13. Antiliv

Encore:

14. Helvete

LINE UP:

Nag (vocal/baixo)

Draugluin (guitarra)

Anti-Christian (bateria)

_____________________________________________________________________________________

Texto: Giancarlo Rossi

Revisão: Paula Alecio