STING faz uma apresentação memorável e fantástica em São Paulo

Com apresentação única no Brasil, STING acaba de fazer um show no Allianz Parque em São Paulo no último sábado (dia 06). Foi a turnê do seu último álbum de estúdio, o tão aclamado “57th & 9th”. Tocando músicas de sua carreira, principalmente do The Police, foi um show para os fãs e ao mesmo tempo, uma deliciosa noite.

Como é bom ver shows no Allianz Parque, além de ser impressionante o local, tanto interno como externo, a acústica e a grande estrutura dele, são perfeitas. Podemos muito bem visualizar as grandes iluminações e um grande palco com direito a dois telões para a apresentação do carismático STING. Dessa vez, diminuíram os lugares, sendo assim, colocaram cadeiras na pista e o palco ficou mais ou menos na metade do campo.

Antes do STING se apresentar, duas bandas teve a honra de se encarregar pela abertura: o talentoso filho do STING, Joe Summer, que teve uma apresentação bem curta, com poucas músicas e literalmente, tocando sozinho. Foi só na última música que ele foi acompanhado pelos outros músicos. E ao mesmo tempo, nessa última música, aparentemente o Joe passou mal e ficou sem condições de acabar a música. Foi quando o pai dele, resolveu subir no palco e continuar a música, encerrando assim, a apresentação. Só nesse momento, o público ficou emocionado e vibraram bastante.

A segunda banda foi a The Last Bandoleros, uma banda de rock muito interessante e músicas com ritmos bem empolgantes. Uma apresentação curta também, conseguiu empolgar o público e surpreendê-los, devido aos talentos dos músicos e da dedicação deles.

Previsto para começar as 21:00, o local já estava cheio, lotou tudo na pista, e nas arquibancadas, estava praticamente cheio. Eis que ouvimos a introdução da excelente “Synchronicity II”, o STING e a banda sobem no palco. Com muita vibração dos fãs, essa música já chegou animando todos presentes e pra ser sincero, era uma das músicas que eu mais queria vê-lo tocar. Um clássico do The Police que ficou para a história.

Para continuar no clima, mais um clássico do The Police, “Spirits in the Material World” foi a próxima. Logo em seguida, veio uma série de músicas de sua carreira solo, foram 9 músicas e já era previsto toca-las, devido a sua turnê do “57th & 9th”e pelo show ser do STING e não do The Police. Nesse tempo, ele tocou quatro músicas do seu último álbum: “I Can’t Stop Thinking About You”, “One Fine Day”, “Petrol Head” e “Down, Down, Down”. Ótimas canções e muito bem selecionadas. E as outras canções, foram dos álbuns: “…Nothing Like the Sun” (1987) e “Ten Summoner’s Tales” (1993).

Já que estamos falando de músicas boas, veio mais uma clássica, “Message in a Bottle”, onde os fãs foram a loucura e claro, não poderia deixa-la de fora. Depois foi tocado um cover do David Bowie, “Ashes to Ashes”, com a participação do filho dele, isso mesmo, o Joe Summer tocou junto com o pai nessa maravilhosa canção. Mais uma do “57th & 9th” foi tocada, dessa vez foi a “50,000”, seguida pela excelente “Walking on the Moon”, onde tem um dos melhores refrões do The Police, simplesmente fantástico. Continuando na mesma pegada do The Police, veio a “So Lonely” e mais uma de sua carreira, “Desert Rose”.

Depois, mais quatro músicas do Police: “Roxanne”, que com certeza, deixou os fãs mais animados, devido a essa clássica composição que marcou a carreira dele e juntamente combinada com a “Ain’t no Sunshine”. Após disso, teve o primeiro bis e as responsáveis foram: “Next to You” e a linda canção “Every Breath You Take”, uma das melhores músicas já feitas pelo The Police.

Logo após, veio o segundo bis e tocou mais uma, “Fragile”, uma linda canção lenta que conseguiu encerrar a noite de forma fantástica e emocionante.

É incrível, um músico de 65 anos de idade, tocando muito e ter a mesma voz que sempre teve. Isso é o STING, devido a esses aspectos, o show foi extraordinário e graças a ele, soube muito bem escolher grandes músicos para tocar nessa noite. Todos muito talentosos e o mais legal, que alguns dos integrantes do The Last Bandoleros, subiram no palco e tocaram praticamente todas as músicas com o STING, ficaram nos backing vocals e nas percussões, e tinha músicas que o sanfonista da banda, subia junto e acompanhava a banda, muito bacana isso.

Outro aspecto que podemos perceber, é que o STING tem o jeito próprio dele, nessa apresentação por exemplo, quase não interagia muito com o público, acabava de tocar uma música e já começava a outra, sem nenhum intervalinho entre elas. Até quando ele subiu no palco na primeira música, não foi aquela surpresa e ele subiu como se fosse uma coisa normal. Ele é objetivo e cada um tem o seu jeito de se apresentar. Mas logo percebíamos o quanto feliz ele estava no show, sorridente o tempo todo, algumas pequenas danças durante a apresentação e no seu esforço de tocar todas as canções de forma excepcional.

Simplesmente fantástico a apresentação do STING no Allianz Parque, um bom público presente, num excelente local e tocando clássicos de sua carreira, foi mais um show que ficou para a história. Devido ao forte carisma dele e com a idade que ele tem cantando do mesmo jeito que nos anos 80, conseguiu provar que ainda está na ativa e esperamos mais e mais trabalhos dele, e claro, mais retornos pelo Brasil.

Setlist:

1. Synchronicity II (The Police song)
2.Spirits in the Material World (The Police song)
3. Englishman in New York
4. I Can’t Stop Thinking About You
5. One Fine Day
6. She’s Too Good for Me
7. I Hung My Head
8. Fields of Gold
9. Petrol Head
10. Down, Down, Down
11. Shape of My Heart
12. Message in a Bottle (The Police song)
13. Ashes to Ashes (David Bowie cover)
14. 50,000
15. Walking on the Moon (The Police song)
16. So Lonely (The Police song)
17. Desert Rose
18. Roxanne / Ain’t no Sunshine (The Police song)

Encore:

19. Next to You (The Police song)
20. Every Breath You Take (The Police song)

Encore 2:

21. Fragile