SHOW PAPA ROACH SP: Rock de primeira na noite paulistana!

Foi em 2001 que me lembro de ter visto o Papa Roach vir para o Brasil pela primeira vez. Tinha 10 anos e lembro que meu pai, fanático por música, comprou o pacote para assistirmos aos shows do Rock in Rio III na integra, pela distinta DirectTV. Silverchair, Guns’n’Roses, Oasis, Deftones, R.E.M, Papa Roach, entre outras grandes bandas.

É… aquilo foi algo muito bonito de se ver. O show dos californianos ficou marcado, Jacob Shaddix, na época Coby Dick, estava com graves problemas com álcool e teve um péssimo desempenho no palco, parou em vários momentos por estar passando mal. A banda foi vaiada pelo público e bem criticada na época. Algo que não conseguia entender bem, ouvia o álbum Infest o dia todo no discman do meu irmão, como os caras que fizeram aquele CD puderam decepcionar tanto no palco? Confesso que cresci com isso na cabeça, mas ainda continuei ouvindo Papa Roach. A banda é incrivelmente boa e a cada trabalho vem mostrando evolução e talento, se reinventam com músicas que tocam e elevam a alma. A banda foi formada em 1993, mas só chegou ao estrelato em 2000, com a faixa “Last Resort”, do álbum Infest.

 

Em 2013 eles chegaram a marcar uma turnê pela América do Sul, que passaria por Curitiba, Rio de Janeiro e São Paulo, mas, devido a um problema na garganta do vocalista Jacoby Shaddix, teve de ser cancelada.

Depois de 15 anos finalmente o projeto HonorSounds fez a volta da banda ao país acontecer. Porto Alegre recebeu a banda nesta quarta-feira, dia 14, e para os paulistanos foi na noite de quinta-feira, dia 15, no espaço Tropical Butantã. Confesso que foi memorável, nenhum resquício do que vi em 2001 esteve presente na apresentação!

A abertura do show ficou por conta dos paulistanos da Sioux 66, que não animou muito o público. Os caras mandaram bem, e tiveram uma boa presença de palco, por isso acredito que a causa desse desanimo foi pela diferença de estilos entre as bandas. Papa Roach tem influências nítidas do bom e velho Hard Rock, mas segue uma linha totalmente alternativa, com uma junção de diversas outras influencias, uma evolução um pouco mais recente do Rock, portanto carrega uma geração que curte outros tipos de músicas. [Talvez seja também pelo preconceito que nós temos com nossas bandas de rock, temos uma certa resistência em aceita-las como legitimas. O Rock no brasil não tem a mesma força que tinha em outras décadas, isto é claro, por isso temos que dar mais abertura a bandas como essa. O Brasil precisa de mais Rock em sua cultura, há muitas coisas boas aqui, temos que apoia-las para que continuem propagando o estilo! ]. Sioux 66 apostou em covers de bandas como Paralamas do Sucesso, Barão Vermelho, e até uma pala de “(You Gotta) Fight For Your Rights (To Party)” do Beastie Boys.

Com um atraso de meia hora, o Papa Roach subiu ao palco tocando a pesada faixa principal do último CD F.E.A.R, lançado em 2015, “Fear Everything and Rise”. Logo depois veio a faixa “Crooked Teeth”, música lançada esse ano que estará no próximo CD da banda, previsto para o ano que vem.

 

Foto: Jacob Shaddix

Foto: Tobin Esperance

Foto: Jerry Horton

Between Angels and Insects” foi dedicada por Jacob a todos os fãs da era oldschool da banda, música CD Infest, de 2000. Em seguida veio a clássica “Getting Away With Murder”, fazendo os fãs delirarem.

 

Não há como negar que Jacoby Shaddix é um dos caras mais carismáticos do mundo do Rock e tem forte presença de palco. Pelo o pouco que deu para ver de seu rosto, devido à falta de iluminação, ele fez caras e bocas. Ele demonstra um carinho muito grande por quem acompanha a banda, agradeceu a todo momento o público brasileiro. Acredito que os shows no Brasil tenham marcado e impressionado os caras, acho que não imaginavam o quanto ainda são grandes e queridos por aqui, pediu desculpas por ter cancelado a turnê de 2013 e prometeu voltar!

 

“Holywood Whore” foi outra música que levou os fãs ao delírio, cantaram em coro e pularam até não querer mais.

“Blood Brothers” foi marcado por outro pedido de Coby Dick, ele pediu aos fãs que se dividissem ao meio para então formar um mosh pit. Pedido aceito pelo público, que fez uma enorme roda na pista premium e na pista comum.

Scars” foi tocada de maneira intimista aos fãs em uma versão acústica. No palco só estavam Jerry Horton e Jacob. Foi emocionante ver todos os fãs cantando em coro, muitos estavam até emocionados! Foi algo bem marcante!

 

Os clássicos “Last Resort”, primeira música de trabalho da banda, e “…To Be Loved” fecharam a passagem da banda pela capital paulistana. Essas músicas causaram uma certa “histeria” ao público. Mesmo cansados, todos pulavam e cantavam como se não houvesse amanhã, muitos fãs registraram o momento com o celular.

 

Quando a banda saiu do palco, após se despedir dos fãs brasileiros com o maior carinho e respeito, o público pediu “She Loves Me Not“, que infelizmente não foi atendido pela banda. Porém a banda fez uma promessa de voltar daqui um tempo, espero que cumpram!

 

Confesso que senti falta no setlist de faixas como “Time and Time Again”, “Change or Die”, “Born with nothing, Die with Everything”, “Bronken Home”, “Never Enough”, “Snakes”, e a pedida “She Loves me Not”. Apesar disso o show dos caras foi sensacional, eles têm uma energia incrível e uma ótima presença de palco. O show teve apenas um ponto negativo, que não teve nada a ver com a banda ou sua performance.  Ocorreu uma falha na iluminação do local, assim que aconteceu Jacob perguntou “What happened to the lights?”, logo em seguida repetiu três vezes “Fucking Lights”, mostrando uma certa indignação com aquilo, mas continuou fazendo um show impecável. Metade da apresentação só se viu a silhueta da banda, algo que irritou todos que estavam no local, em vários momentos os fãs acendiam as luzes do celular para iluminar o palco.

VEREDITO: Papa Roach é uma banda que se supera a cada trabalho, no palco não podia ser diferente. O que ocorreu no Rock in Rio III, quando vieram para o Brasil pela primeira vez, definitivamente ficou no passado. Eles fizeram um show de primeira, pesado, animado, dançante e marcante, com um Jacoby Shaddix totalmente energético e carinhoso! Vale a pena ir numa próxima? Com certeza absoluta…só espero que tenha luz!

As fotos foram feitas pela talentosíssima @martaayorafotografia

Setlist:

1. Face Everything and Rise
2. Crooked Teeth
3. Between Angels and Insects
4. Getting Away With Murder
5. Warriors
6. Kick in the Teeth
7. Hollywood Whore
8. Forever
9. Blood Brothers
10. Broken as Me
11. Devil
12. Scars (Acústica)
13. Gravity
14. Where Did the Angels Go?
15. Still Swingin’

Encore:
16. Last Resort
17. …To Be Loved

 

Papa Roach é:

Jacoby Shaddix – Vocal

Jerry Horton –  Guitarra

Tobin Esperance – Baixo

Tony Palermo – Bateria

 

 

Mônica Dias

Mônica Dias

Estudante de comunicação, apaixonada por Música e Cinema. Acha que o Rock pode mudar o mundo e salvar uma geração inteira. Prazer, sejam bem-vindos! 😉
Mônica Dias