Plataformas de Streaming, Melhores estratégias para as Bandas de Rock

Como tirar o melhor das redes traz a plataforma francesa de streaming musical que tem no Brasil um dos seus principais mercados.
Com coisa de 16 milhões de usuários e sete milhões de assinantes pagos nos diversos países em que atua, a plataforma de streaming musical francesa Deezer tem no Brasil um dos seus principais mercados. Oferece soluções como a possibilidade de entrar para uma playlist “infinita” cujo algoritmo pode ser usado para melhorar a posição de um single, álbum ou artista nas listas de mais executadas, entre outros recursos que a tornam atrativa para o criador independente.
E nós a contamos para você como explorar as principais redes e plataformas que são parada obrigatória para artistas musicais hoje em dia.

Confira:

Planeje-se para entrar no disputado ‘pitching’ da Deezer – O ‘pitching’ é um canal através do qual os lançamentos (de singles ou álbuns) são ofertados aos editores das playlists da Deezer (leia mais sobre elas abaixo). Um grande documento com todas as novidades chega até eles, que escutam tudo e, então, decidem se vale a pena incluir a sua música nas listas, uma forma de bombar as audições rapidamente. Portanto, para ter boa chance de se destacar nesse ‘pitching’, o ideal é entrar nele o mais cedo possível. Planeje-se para apresentar a canção à equipe da plataforma pelo menos três ou quatro semanas antes do lançamento — melhor ainda se for mais antecipação. Isso é feito através do agregador ou distribuidor digital (ou do selo ou da gravadora) que representa você junto à Deezer. Segundo conta Bernardo, até há um formulário no site para o envio da música diretamente pelo artista, mas trata-se de um canal internacional, e a mensagem demorará mais para chegar até os editores brasileiros.

As playlists – São de três tipos na Deezer: as pessoais, criadas pelos próprios artistas; as editoriais, alimentadas por pessoas, editores musicais, com base em informações mil — o ‘pitching’ entre elas; e uma lista automática, conhecida como Flow Infinito (veja mais abaixo), que é movida a algoritmo e pode ajudar demais a sua música a se manter em boas posições de audiência.

“Fazer uma playlist pessoal é uma excelente maneira de começar sua trajetória na Deezer. Ao criar a lista e misturar a sua música às de artistas com perfil semelhante, você começa a educar o algoritmo sobre a categoria na qual você se insere. Mas não basta fazer a lista e deixá-la ali. É preciso um bom trabalho junto à sua base de fãs, nas redes sociais, nos canais que você usa para se comunicar com eles, para que vão até o seu perfil na Deezer e deem um like. Assim, os fãs vão ajudar a melhorar a sua posição”, explica Bernardo. Gerente de marketing artístico da Deezer no Brasil,

Dê particular gás ao Flow Infinito – Essa playlist, como é “infinita”, tem atualização constante e automática. Como já dissemos, baseada em algoritmo, ela “ensina” à Deezer o que determinado usuário gosta de ouvir. Portanto, mobilize muito os seus fãs para que sua música presente ali seja muito curtida. “Quando você é um artista novo, o algoritmo ainda não conhece os gostos dos seus fãs. Então, você deve trabalhar para construir isso”, descreve Bernardo.

Prepare bem o seu perfil e tenha todo o material necessário – Um perfil “desleixado”, abandonado, não chama a atenção nem de fãs nem de curadores que buscam referências musicais nas plataformas para projetos, festivais, trilhas sonoras etc. Mantenha o seu perfil bem cuidado, crie playlists e tenha fotos para divulgar os seus lançamentos. Para aparecer nas playlists editoriais, é fundamental ter uma boa foto — do disco, do artista, dos parceiros, caso se trate de um feat. “Às vezes, pela falta de uma foto bacana, a música não vai parar na playlist”, afirma Bernardo. “Um artista independente que eu conheço queria chegar ao ‘midstream’.

Outra boa estratégia, segundo Bernardo, é criar playlists para efemérides e datas divertidas — Dia das Bruxas, Dia das Crianças —, incluindo sempre sua música ali. Não tem custo e ajuda a bombar a audição, chamando a atenção dos editores das playlists editoriais.

Explore a ferramenta Mood – Músicas para malhar, para trabalhar, para começar o sábado… O leque é variado e permite setorizar a playlists e fazer com que as pessoas que a consomem entendam que o seu trabalho está relacionado àquele universo. Segundo Marina, é importante fazer recortes ao classificar a sua música: rock para crianças, por exemplo: “Hoje é fácil ser nicho, com a internet. Antes era difícil, a gravadora precisava investir para criar o nicho. Agora ele está aí, é só chegar às pessoas.”

Ferramenta Backstage – Ainda em implantação para todos os artistas da Deezer, essa funcionalidade dá a visão numérica de como a música está indo dentro da plataforma. Oferece informação similar à já disponível no Spotify For Artists, do Spotify. Tem dados das playlists em que a sua música foi incluída, o tipo de pessoa que a está escutando, o número de streams… Se você já tem acesso, não perca tempo e explore todos esses dados, que o ajudarão a planejar melhor lançamentos e estratégias de divulgação. “O mundo é dos dados hoje”, resume Bernardo.

Use o Pre-save – O pre-save é uma ferramenta para disponibilizar um link para o lançamento de uma determinada música na conta dos fãs antes mesmo do lançamento oficial. É um lembrete de que aquele conteúdo será entregue em determinada data e gera buzz. Use-o junto com o link fire, que é um agregador de plataformas que muitos artistas usam num lançamento. Geralmente, as próprias agregadoras ou distribuidoras digitais fornecem esse serviço. Através dele, dá para gerir o lançamento em mais de uma plataforma, não só na Deezer, o que é excelente como estratégia unificada.

Direitos autorais

A Deezer tem contratos com as principais gravadoras, selos e agregadores digitais para pagamento de direitos fonomecânicos. Além disso, também já existe um acordo com o Ecad para o pagamento de execução pública. No momento, apenas os direitos autorais são contemplados na execução pública, e não ainda os direitos conexos (de intérpretes, músicos acompanhantes e produtores musicais, por exemplo).

Nós da Rede

Anderson Severo

Atua como baixista das bandas: Capa Preta Rock, Exclusão Social e Ligante Anfetamínico. Fundou o Selo Sub_Discos. Comunicador em Radio Putzgrila. www.radioputzgrila.com.br