Edu Falaschi @ Carioca Club – São Paulo/SP (23/07/2017)

Um dos maiores artistas do Metal no Brasil, EDU FALASCHI, se apresentou no último domingo no Carioca Club dia 23. Essa apresentação faz parte da turnê “Rebirth of Shadows Tour”, com a intenção de interpretar músicas dos álbuns do Angra em que ele foi passado e marcado na época. Uma turnê muito especial para relembrar esses clássicos e divertir os fãs. E mais especial que isso, é que ao lado dele, estavam presentes o Aquiles Priester e o Fabio Laguna, dois antigos colegas e que por sinal, grandes músicos respeitados.

Além desses dois grandes músicos, esteve presente na noite: os integrantes do Almah Diogo Mafra (guitarra) e Raphael Dafras (baixo), e o guitarrista Roberto Barros. Outros excelentes músicos que merecem fazer parte dessa turnê com o EDU.

A banda responsável pela abertura, foi o Attractha, banda paulistana de Metal formada em 2007. Aproximadamente 35 minutos de apresentação tocando somente músicas do álbum mais recente, o “No Fear to Face What’s Buried Inside You” lançado em 2016, foi uma boa apresentação do conjunto. Mostrando a potência dos integrantes na realização de suas composições de ótimas qualidades, músicas empolgantes em andamentos bem cadenciados e talentosos músicos realizando bons trabalhos. Destaque para a música “Payback Time”, onde o próprio vocalista Cleber Krichinak, interagiu com os fãs falando que é a única música, até o momento, que contém um videoclipe e pela música ser sensacional. Com a casa cheia, o Attractha, mostrou um excelente trabalho em cima do palco que conseguiu agradar o público e ser bem recepcionado com altas vibrações.

Esperando pelo EDU FALASCHI, a casa simplesmente lotou. Muitos na grande expectativa em vê-lo em cima do palco e com a presença de grandes músicos que marcaram o Metal Brasileiro. Com um atraso de uns 40 minutos (sim, demorou um pouco para começar), eis que as cortinas se abrem e de cara, já visualizamos a bateria monstra e excepcional do Aquiles Priester, onde ficou bem chamativa pela sua grandeza, bem concentrada no palco e por ela ter uma estrutura bem insana e monstruosa. Quando todos os integrantes tomaram os seus respectivos instrumentos, o EDU entra no palco já todo agitado e animado começando com a excelente “Spread Your Fire”. A galera toda com altas vibrações que não paravam de cantar a música e deixando o Carioca pegando fogo de tanta empolgação. Com isso, percebemos o quanto os fãs estavam super animados, a própria banda se divertindo e o carisma do EDU sempre presente, o que fez o público ficar cada vez mais entusiasmado.

Seguindo, veio a “Acid Rain”, introduzindo com vocais épicos de forma mecânica e o público cantando junto e prosseguindo essa ótima canção. Na mesma pegada, veio “Running Alone”, também do mesmo álbum de 2001, o excepcional e talvez o melhor álbum do Angra, o “Rebirth”. “Wishing Well” foi a próxima deixando os fãs mais empolgados e entretidos. E assim por diante, foram só clássicos e mais clássicos do Angra na fase em que o próprio EDU estava presente.

Continuando, veio “Caça e Caçador”, “Angels And Demons”, a espetacular e talvez uma das melhores músicas da carreira do FALASCHI “Heroes of Sand” para deixar todos cantarem ao mesmo tempo e destacando o refrão poderoso que tem a canção, “Breaking Ties”, uma balada que vai ficando agitada com o passar dela.

Em seguida, o EDU tocou duas músicas acústicas sozinho que marcou a vida dele e marcou a vida de muita gente. “Pegasus Fantasy”, tema de abertura do desenho “Os Cavaleiros do Zodíaco”, tocada de forma mais lenta e mais curta. Os próprios fãs estavam pedindo para ele cantar essa música e foi bem atendida pelo EDU onde todos ficaram satisfeitos. Uma canção que marcou a vida de muitas pessoas que gostam do desenho e que marcou a carreira do EDU pelo fato dela ser tão marcante e pela música ser contagiante. E a outra tocada foi “Trem das Onze”, cover do Adoniran Barbosa.

“Late Redemption” veio em seguida, muito bem tocada, agitada e que novamente, levou os fãs cantarem junto com o EDU. Depois do encerramento da música, o EDU falou: “Fiquem agora com o monstro Aquiles Priester”, e ele fez um monstruoso solo naquela bateria insana, onde simplesmente, o Aquiles destruiu e mostrou o porquê é um dos maiores bateristas do Brasil.

Voltando aos clássicos da carreira do FALASCHI, veio outras séries deles: “The Temple of Hate”, “Bleeding Heart”, “Millennium Sun”, “Waiting Silence” e “Live and Learn”. Uma observação rápida quando acabaram de tocar a “Millennium Sun”, foi na hora que o FALASCHI apresentou a banda para o público, o que gerou altas ovacionadas e altas vibrações por cada membro apresentado. O Aquiles chegou a sair da bateria para ir no centro do palco com o EDU e interagir com os fãs, falando o quanto estava feliz em tocar naquela noite e agradecendo muito por todos que compareceram. Outro aspecto também que marcou a noite, foi justamente nas interações do EDU com os fãs, direto ficou interagindo com eles, agradecendo infinitamente, falando o quanto estava contente, animado e muito satisfeito com o resultado efetivado na apresentação. Altas salvas de palmas e vibrações, foram feitas cada vez mais pelos fãs e o EDU ficava até sem palavras pelas ótimas respostas e pela empolgação que acontecia.

Na vez do famoso bis, não poderiam deixar de tocar elas, simplesmente, os dois maiores clássicos do EDU no Angra foram tocados: “Rebirth”, onde ele mesmo fez a introdução no violão e todos cantando a música sem parar, mostrando a energia e fôlego dos fãs e representando, o quanto essa música foi significativa para o Metal Brasileiro e claro, por ser uma canção maravilhosa. E óbvio que não deixaria de tocá-la “Nova Era”, para fechar esse incrível show. Tocada de forma muito divertida e no ritmo dela, ou seja, rápido, consistente, cadenciado e empolgante.

É evidente o quanto o EDU estava feliz naquela noite por estar se apresentando em São Paulo e pelas ótimas recepções do público que não paravam de vibrar por um instante que seria. Sério, foi impressionante as reações dos fãs naquela noite, o tanto de gritaria e altas ovacionadas para o EDU, foi algo surpreendente. E claro, o EDU cantando como ele sempre cantou. Bem afinado, mantendo os seus ótimos agudos e sempre muito bem harmonioso durante todo show. Uma honra vê-lo se apresentar e fazer o máximo para cativar o público.

Falando dos integrantes da banda, todos saíram com altos elogios pelos fãs, pela dedicação de cada um e por estarem bem empenhados nos seus respectivos instrumentos. Cada integrante desempenhando ótimos trabalhos e sempre mantendo na pegada e no andamento da apresentação. O primeiro que merece destacar é sem dúvidas o carismático e como o EDU fala, “o monstro”, Aquiles Priester, tocando da sua melhor forma e sempre harmonioso e consistente. E novamente, eu preciso repetir da bateria em que ele estava tocando. Sem dúvidas, foi um dos pontos marcantes do show, graças a estrutura dela e por ela ser diferente, grande e bonita. Impecável e memorável.

O tecladista Fabio Laguna, estava presente também e sempre relevante e mandando bem nas necessidades que cada música que é composta por eles. Tivemos também os membros do Almah, o guitarrista Diogo Mafra e o baixista Raphael Dafras. E para completar o conjunto, o guitarrista Roberto Barros. Todos bem representativos mostrando ótimos desempenhos e ótimas performances em cima do palco.

Por mais que rolou um atraso de 40 minutos para começar o espetáculo, isso foi muito bem recompensado pelo show que foi presenciado, tanto que isso passou despercebido, porquê foi uma magnífica apresentação de um dos maiores vocalistas de Metal do Brasil. Que honra presenciar um show do EDU FALASCHI tocando clássicos de sua carreira acompanhado por músicos extremamente talentosos e dedicados. Aproximadamente duas horas de duração, foi uma apresentação digna e exclusiva para os fãs do EDU e do projeto em si. Graças as ótimas performances dos integrantes, o Carioca lotado e composições bem realizadas, foi mais um show memorável e marcante para ficar na história.

Setlist:

1. Spread Your Fire
2. Acid Rain
3. Running Alone
4. Wishing Well
5. Caça e Caçador
6. Angels and Demons
7. Heroes of Sand
8. Breaking Ties
9. Pegasus Fantasy
10. Trem das Onze
11. Late Redemption
12. Drum Solo
13. The Temple of Hate
14. Bleeding Heart
15. Millennium Sun
16. Waiting Silence
17. Live and Learn

Encore:

18. Rebirth
19. Nova Era

Line-up:

Edu Falaschi – Vocais e Violão
Aquiles Priester – Bateria
Fabio Laguna – Teclados
Diogo Mafra – Guitarra
Raphael Dafras – Baixo
Roberto Barros – Guitarra