Mulheres na Música #1 – Sister Rosetta Tharpe: A Madrinha do Rock

O mundo de hoje é repleto de figuras icônicas, seja no mundo da música, do cinema ou da televisão.

A imagem nos persegue por todos os lugares, e é fundamental nesta Era Tecnológica que vivemos. É difícil imaginar um mundo onde as frequências de rádio eram o único meio de entretenimento, e a voz tinha tanto poder quanto a imagem tem nos dias atuais.

Sim, essa Era existiu e foi nesse meio de comunicação que uma mulher mudou o Rock’n’Roll para sempre.

Texto: Mônica Dias

Revisão: Paula Alecio

No dia 20 de março de 1915 nascia uma lenda no Arkansas, chamada Rosetta Nubin. Com quatro anos começou a se apresentar ao lado de sua mãe que tocava Bandolim em uma Igreja, foi apelidada na época de o pequeno milagre que canta e toca guitarra. Esses eventos eram realizados pelo sul dos Estados Unidos.

O Jazz e o Blues foram introduzidos á ela ainda na infância, mas por pertencer a uma família muito devota (e por ser outros tempos, é claro), sua carreira era a música Gospel, porém esses ritmos eram sua verdadeira paixão. No fim da década de 20, ela se apresentava escondido tocando Jazz e Blues.

Com o tempo, foi misturando músicas de Igreja com seus solos de guitarra, tornando o ritmo bastante popular. Após se casar com o pastor Thomas Thorpe, adota o sobrenome do marido e, por um erro no cartório, passa a se chamar Rosetta Tharpe.

Sua carreira muda em 1934, quando se muda para Nova York. Em 1938 gravou quatro faixas pela primeira vez, causando um furor imediato. Explodiu ainda na década de 30, tendo sucesso com músicas como “Rock Me” e “Tall Skinny Papa”. Foi a pioneira a juntar Blues com o Rock. Foi uma das poucas mulheres negras a conseguirem tal feito, considerando a época racista e machista em que viveu.

Morreu em 1973, vítima de um derrame, consequente da diabetes.

Infelizmente nunca foi reconhecida por ter criado este estilo.

A música que a consagrou como a progenitora do Rock foi “Strange Things Happening Every Day”.

Sem dúvida Rosetta influenciou uma geração de músicos como Chuck Berry, Jerry Lee Lewis, Aretha Franklin, e Isaac Hayes.

E sabe quem saia correndo da escola para poder ouvi-la tocar no rádio? Ninguém menos que o Rei do Rock, Elvis Presley. Não há como negar, ela foi figura essencial para a criação e difusão do bom e velho Rock’n’Roll.