Canilive e seu EP : “Psychosomatic Schizophrenia”

A banda carioca CANILIVE traz ao mundo seu Death Metal desde 2006. Formação: Gustav S Moreira – Vocals, Alcindo Neto – Guitar, Raphael Dizus – Guitar, Caio Planinschek − Bass Guitar,
Armada Beto – Drums. No início de 2016 lançaram o primeiro trabalho, um EP intitulado “Psychosomatic Schizophrenia”, produzido por Philip Leander, também guitarrista da banda Reckoning Hour, veio com 5 sons, para mostrar a cara dessa banda.

Traz a tona história da banda, que através dos anos, foi compondo seus sons próprios. As composições foram feitas em anos diferentes: “Modification”- 2007, “ Witnessing your Fall” – 2008, “The March for Excellence” – 2009, “The Posthumous State of Mind” – 2010 e  “The Celebration of Ignorance”  – 2013 . Feito com o cunho conceitual, conta um pedaço da estória de um menino, e seus conflitos com a vida.

Em linhas gerais: a banda tem um som poderoso, galgado no potencial inerente do death metal, com uma veia diferenciada no trabalho vocal. O EP foi bem produzido, com equalização intensificada e bem pensada, a arte condiz com a proposta da banda, que me parece ser a porradaria do estilo escolhido. Um bom trabalho, que mostra o potencial sonoro dessa galera.

Som por Som:

“The Posthumos State of Mind”- a letra- palavras da banda: – “calçada no Idealismo do Pai, agora adulto, ele segue com a ideia de ao invés de viver em isolamento, declarar guerra a tudo e todos que enfraquecem e enfraqueceram por anos a homeostase dos humanos com o planeta”. Um som brutal e denso, com um drive muito marcante na voz, curti muito a equalização nos instrumentos, conseguimos ouvir os riffs densos nas guitarras, mostrando uma agressividade em harmonia com a parte sonora. Destaque para a finalização do som, que mostra a criatividade com a inserção dos grilos. As outras músicas seguem a mesma levada.

“The March for Excellence”- a letra- palavras da banda: “com seu discurso do ‘Ideal Humano’, ele se depara com muitos outros que também pensam e agem como ele. Vendo que a Ignorância, em geral por conta da religião, é seu maior inimigo, como dito antes a ele por seu Pai. Agora com um exército seguido, eles marcham para uma limpeza impetuosa”. Segue a linha do primeiro som sonoricamente falando, mas com gritos um tanto exagerados, eu achei.

“The Celebration of Ignorance (With Love From Daddy)”- a letra- palavras da banda: “em um conceito de uma realidade fictícia e metafórica, onde uma criança cheia de sonhos sobre o mundo ao seu redor cresce com uma carta em suas mãos, a única coisa que chegaria perto de uma figura paterna para o mesmo. A carta que seu pai deixou para ele, em um mundo a beira de um colapso sendo mantido por uma tênue linha de hipocrisia, explica pela visão do seu Pai as fraquezas dos seres humanos e aonde não errar para não se tornar fraco como eles”.

“Witnessing your Fall”- a letra- palavras da banda: “convencido de sua vitória, ao olhar os que ainda tentam se reerguer em uma falsa esperança de declarações exageradas e falsas promessas por anos, ele dá uma ultima chance aos mesmos de se tornarem sãos. Esperando cura-los pela razão, de uma quase esquizofrenia psicossomática. (Termo que seu Pai usa na carta, para descrever a necessidade humana de uma doutrina)”.

“Modification” – faixa bônus – segue na mesma linhagem das anteriores.

Saiba mais e acompanhe a banda:

Facebook oficial