ANGERHEAD e seu álbum: “Fueled By Rage”

Primeiro álbum do ANGERHEAD lançado em 2016 intitulado “Fueled By Rage”. Um estilo ligado ao Thrash Metal, fui dar uma conferida no trabalho dessa talentosa banda americana de Metal.

Formada por Eric Beard (Guitarra), Paul Hastey (Vocal), Jim Pegram (Baixo) e David O’Neal (Bateria), a banda combina elementos do Thrash, Metal, Punk e Hardcore nas músicas compostas. Por conta disso, o resultado desse primeiro álbum de estúdio foi primoroso e muito bem desempenhado. Integrantes talentosos, músicas pesadas e boas de apreciarem, fazem parte do disco.

Riffs e solos de guitarras muito bem realizados, empolgantes e marcantes e sempre presentes de forma considerável e admiradas pelo talento que é executado. Vocais variados entre rasgados, extremos e fortes, e os vocais limpos, rápidos e agudos. Foram os aspectos de maior destaque e por serem executados de forma consistentes.

Vale também destacar, os ritmos variados das músicas e das harmonias e melodias usadas nele. Além dos vocais variados, a guitarra consiste na variação dos riffs aplicados entre os mais agressivos e brutais, e os riffs mais rápidos e energéticos. Mas sempre com a presença de palhetadas trêmulas que deixa o som mais relevante.

Falando das músicas: “So Cold” introduz com um riff raivoso de uma guitarra extrema que vai se intensificando durante a música com vocais agressivos e potentes. Com essa primeira faixa, já nos pega de surpresa por mostrar a potência da banda. Bem empogalnte, pesada e num ritmo frenético.

Segunda faixa, “Face the Fear” vem numa melodia aguda de guitarra que vai seguindo em algumas partes durante a execução e prosseguindo num ritmo pesado e rápido com vocais mais limpos. Talvez uma das melhores música do álbum.

A próxima foi a “Legacy of Hate” introduzindo com um baixo em destaque complementando com bons efeitos de guitarra que depois de alguns segundos, entra numa harmonia empolgante para começar novamente os vocais rápidos e potentes e continuando numa composição bem realizada e conduzida, num ritmo parecido com a faixa anterior.

“Take Me As I Am” contém vocais extremos, agressivos e rasgados, numa potência elevada, ganhando o grande destaque na faixa. Seguindo o álbum, veio uma música cover e executaram “Iron Fist” do Motorhead, bem desempenhado, tocada de forma segura mantendo a pegada da banda em si.

“Destroy the Trend” vem num andamento acelerado contando novamente com vocais enérgicos. Destaque para os bons riffs realizados pela guitarra. “Enemy” seguiu na pegada veloz da banda, ficando em evidência os refrões potentes.

“Endless Nightmares” voltando com os vocais rasgados. Grande destaque novamente para as boas notas de guitarra, com bons solos bem realizados repleto de efeitos consideráveis.

As quatro últimas músicas vem na mesma pegada, ritmo e potência que das faixas anteriores, mas sem deixá-las passar de forma despercebidas. São elas: “No Regrets”; a faixa-título “Angerhead” com a grande presença do vocalista Steve “Zetro” Souza e contando com riffs de guitarra empolgantes e vocais ainda mais rasgados; “Buried Inside” contando com os bons vocais limpos do Paul Hastey e a “Pissed Off”.

O primeiro álbum do ANGERHEAD mostrou a capacidade da banda em fazer um Thrash Metal de qualidade e de importância para o estilo. Músicas bem produzidas e intensas, podemos apreciar e curtir a cada momento. Vale a pena.

Faixas:

1. So Cold
2. Face The Fear
3. Legacy Of Hate
4. Take Me As I Am
5. Iron Fist (Motorhead cover)
6. Destroy The Trend
7. Enemy
8. Endless Nightmares
9. No Regrets
10. Angerhead
11. Buried Inside
12. Pissed Off

Line-up:

Eric Beard – Guitarra
Paul Hastey – Vocal
Jim Pegram – Baixo
David O’Neal – Bateria

Nota: 8,5