Watain @ Carioca Club – São Paulo/SP (18/01/2019)

Dando início a turnê pela América Latina intitulada “Furor Diabolicus”, o primeiro show da banda de black metal WATAIN foi justamente no Brasil, em uma apresentação única no Carioca Club em São Paulo. Com a divulgação do mais recente trabalho “Trident Wolf Eclipse” lançado em 2018, WATAIN nos apresentou algumas das excelentes composições do álbum e mais excelentes clássicos que marcaram sua carreira.

Pontualmente, é tocada pelas caixas de som a intro mecânica, a cortina é descoberta e já notamos um palco bem personalizado, duas cruzes invertidas fixadas bem no centro, uma grande bandeira da banda ao fundo, seis estandartes com suas pontas a base de tridentes, três do lado esquerdo e três do lado direito, neles, havia uma pintura e bem no meio, em cada um, as siglas do nome da banda, formando então WATAIN. E bem atrás, dois grandes pilares com seu tridente estampado, ficando uma de cada lado da bandeira.

Os integrantes sobem e dão início com “Storm of the Antichrist” do “Sworn to the Dark” de 2007 e logo em seguida, o Erik anuncia a sensacional “Nuclear Alchemy”, faixa que abre o “Trident Wolf Eclipse”. Os vocais diabólicos do Erik, a bateria insana do Emil, os riffs acelerados do Pelle e do Hampus, o baixo pesado do Alvaro, estavam cada vez melhores. Finalizado a execução, o Erik fez uma breve interação com o público, deu um salve para os presentes e disse que essa noite é a celebração do início da Furor Diabolicus Tour. Dito isso, executam “The Child Must Die” do “The Wild Hunt” de 2003, onde pequenas velas nos pedestais dos estandartes foram acendidas.

Na sequência, Erik anuncia “Puzzles ov Flesh”, faixa do segundo álbum de estúdio “Casus Luciferi” de 2003. Som dos instrumentos cada vez mais intensos, brutais, nos deixando fascinado com a qualidade e precisão do conjunto. A próxima a ser anunciada pelo Erik, é “Furor Diabolicus”, onde o guitarrista Pelle sobe numa das caixas de som do palco, mais especificamente, do canto direito, deixando num pilar mais alto e com as luzes focando nele, realiza seu poderoso riff que dá início a essa ótima composição.

Em seguida, a insana “Sacred Damnation” foi tocada e logo, cada integrante se retira do palco e é tocada de fundo outro tema mecânico, com melodias fúnebres de piano e de imediato, ouvimos as primeiras notas de “Underneath the Cenotaph”, enquanto isso, a banda retorna ao palco, se posicionam e prosseguem a execução de uma maneira espetacular. Após, o frontman invoca a ótima “Malfeitor” do “Lawless Darkness” de 2010, destaque para a excelente melodia de guitarra presente no final da execução.

Sem pausa, mandam a incrível “Towards the Sanctuary” e depois, duas faixas do “Sworn to the Dark”: a faixa-título do disco e quando finalizada, a banda faz um breve aquecimento com boas notas de guitarra e boas batidas na bateria para o Erik anunciar a última composição da noite, “The Serpent’s Chalice”. Vale destacar as ótimas melodias de guitarra presentes ao final da música. Concluída a execução, o Erik agradece ao público e todos os integrantes se retiram do palco. E novamente, é tocada de fundo, outro tema, nesse caso, um tema atmosférico, meio fúnebre também, dando a impressão que algo chegou ao fim. E realmente, chegou ao fim. A apresentação se encerrou dessa maneira.

A performance da banda foi incrível. Uma potencialidade maligna e feroz que o WATAIN realizou em todas as músicas do set. O vocalista Erik Danielsson com seus ótimos vocais rasgados a cada execução e mostrando ser um ótimo frontman, o Alvaro Lillo com seu baixo potente, os guitarristas Pelle Forsberg e Hampus Eriksson realizava os excepcionais riffs e intercalavam nos solos e o Emil Svensson com sua bateria ultra pesada e suas batidas ultra violentas. Vale destacar também a ótima qualidade de som do show, cada instrumento se escutava numa perfeição e isso tornou a apresentação completamente admirável e com sua total brutalidade.

WATAIN em sua única passagem pelo Brasil, deu um ótimo início ao “Furor Diabolicus” numa extraordinária apresentação em São Paulo. Um público razoável no Carioca Club, mas nada que interferisse no espetáculo, o quinteto se mostraram bem competentes e motivados para nos apresentar um black metal de primeiríssima qualidade e graças a isso, foi uma noite completamente prazerosa e memorável.

Setlist:

1. Storm of the Antichrist
2. Nuclear Alchemy
3. The Child Must Die
4. Puzzles ov Flesh
5. Furor Diabolicus
6. Sacred Damnation
7. Underneath the Cenotaph
8. Malfeitor
9. Towards the Sanctuary
10. Sworn to the Dark
11. The Serpent’s Chalice

Line-up:

Erik Danielsson – Vocal
Pelle Forsberg – Guitarra
Alvaro Lillo – Baixo
Hampus Eriksson – Guitarra
Emil Svensson – Bateria

Fotos: Marta Ayora

Giancarlo Rossi
Avatar

Giancarlo Rossi

Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.