Vader @ Manifesto Bar – São Paulo/SP (19/05/2018)

Um dos nomes mais renomados do death metal mundial, VADER, realizou uma turnê pela América Latina e escolhendo o Brasil como um dos alvos para essa incrível apresentação. Um dos lugares escolhidos, foi o tradicional Manifesto Bar, já bem conhecido por todos. Turnê intitulada como “The Ultimate Incantation – 25 Years of Chaos” ou seja, uma turnê comemorativa do seu primeiro álbum de estúdio, “The Ultimate Incantation” de 1992, clássico da banda. Um repertório bem focado nesse disco, que marcou a história do death metal mundial, porém, focando também, em várias outras clássicas composições do VADER.

Venomous

Os responsáveis pela abertura, foram os paulistanos do Venomous. Formado por Thiago Pereira (vocal), Guilherme Calegari (guitarra), Ivan Landgraf (guitarra), Alexandre Bonal (baixo) e Lucas Prado (bateria), a banda nos apresentou, um repertório bem focado em seu álbum de estreia, “Defiant”. Infelizmente, acabei chegando no final da apresentação deles e só consegui assistir as duas últimas músicas, “Left with no Rights” e “Green Hell”, sendo essa última, possuindo ritmos brasileiros com uma pegada thrash e death. Venomous, tem uma pegada bastante chamativa e sua sonoridade é bem potente e muito bem realizada. Ótimos riffs e solos de guitarra, uma bateria feroz, baixo bem conduzido e vocais agressivos. O Thiago agradeceu muito a galera ao final do show e se despediram do público totalmente felizes.

Vader

Foi a vez do VADER. A intro “Creation”, já foi tocada de fundo e quando a banda assumem seus respectivos lugares, o Piotr, já saudá os fãs, dizendo o quanto é ótimo retornar ao Brasil e perguntando se estão prontos, e com um bom público no Manifesto e várias vibrações por eles, a banda inicia com “Dark Age”, um potente som brutal que já foi o suficiente para inciarem os mosh-pits na pista. E que banda talentosa é o VADER. Em poucos minutos, já percebíamos que seria um espetáculo insano para bater cabeça e fritar o momento todo, a base de um death metal poderoso e de qualidade. Por se tratar da turnê comemorativa do “The Ultimate Incantation”, executaram praticamente, quase todo o álbum na íntegra. Deixando de fora, apenas uma única faixa, “Reign Carrion”. Portanto, todas as outras foram executadas na maior potencialidade, talento e técnica. Deixando todos os presentes bastante empolgados e cativados. Prosseguindo, além da “Dark Age”, “Vicious Circle” foi a próxima. O Piotr interagiu com os fãs, agradeceu, falou um pouco da turnê e deu sequência nas faixas do disco, “The Crucified Ones” e como o próprio Piotr disse, essa é a especialista a quem estava nos pits, e veio “The Final Massacre”, onde aquelas rodinhas, estavam cada vez mais insanas no meio da casa. “Testimony”, “Chaos” e “One Step to Salvation”, vieram na mesma insanidade que das anteriores, assim como, “Demon’s Wind”, “Decapitated Saints” e a última do álbum “Breath of Centuries”.

Depois de uma breve intro mecânica, podendo dizer que foi a segunda parte do show que estava prestes a começar, mandaram a feroz, “Wings”. Impressionante o andamento acelerado e frenético dessa música. Foi o que deixou as rodinhas ficarem maiores e alegrarem ainda mais os fãs. A técnica dos músicos é algo surpreendente. Cada performance incrível, respeitada e agradável. Numa sonoridade ultra potente, vieram, as clássicas “Triumph of Death”, “Sothis” e a violenta “Carnal”. Em seguida, o Piotr apresentou a banda, saindo todos bastante ovacionados e logo, mandaram mais poderosas composições simbólicas da banda: “Silent Empire”, “Prayer to the God of War”, “Send Me Back to Hell” e “Cold Demons”. Agradeceram aos fãs presentes naquela noite, se despediram deles e saíram do palco. Quando todos achavam que tinha se encerrado, dentro de alguns minutos, para a surpresa de todos, a banda volta ao palco para a sua última execução, a vigorosa “Helleluyah!!! (God Is Dead)”. Clássico da banda, foi cantado com uma enorme potência, seja pelo VADER e pela galera presente. Aqueles bate cabeça que se estendia a cada minuto e aquele refrão matador, finalizou a apresentação de maneira épica e marcante. E para completar, quando a banda deixou o palco, tocaram de fundo, a clássica “The Imperial March”, tema do personagem Darth Vader, da clássica franquia Star Wars, para quem não sabe, o nome da banda, é justamente, inspirada nesse personagem clássico do cinema.

A performance do Piotr, é algo incomparável. As suas grandes técnicas na guitarra e seus vocais guturais potentes, foram impressionantes. Seus riffs bem estruturados e distorcidos, os solos frenéticos e a sua potencialidade nos vocais, são incríveis. E ao restante dos integrantes, todos com trabalhos excepcionais e dignos. O baterista James Stewart, é de se impressionar a cada batida no instrumento. Seus blast beats acelerados e poderosos, foram mais que o suficiente para aniquilar o instrumento. O guitarrista Marek “Spider” Pająk, bem competente nos riffs e intercalando os solos com o Piotr. E o baixista Tomasz “Hal” Halicki, bem habilidoso a cada nota nas composições realizadas.

Como é bom assistir a um excelente show de uma excelente banda capacitada e talentosa. A felicidade é tão grande que ficamos até sem palavras para descrever um acontecimento como foi esse. O quarteto da Polônia, realizou uma perfeita apresentação em São Paulo. Composições pesadas, ricas e de uma força extrema. VADER, mostrando e provando a sua capacidade em realizar um show de death metal de qualidade. Aquele tipo de show, em que você saí da casa de show feliz e satisfeito por ter presenciado uma noite prazerosa e memorável.

Setlist:

1. Dark Age
2. Vicious Circle
3. The Crucified Ones
4. The Final Massacre
5. Testimony
6. Chaos
7. One Step to Salvation
8. Demon’s Wind
9. Decapitated Saints
10. Breath of Centuries
11. Wings
12. Triumph of Death
13. Sothis
14. Carnal
15. Silent Empire
16. Prayer to the God of War
17. Send Me Back to Hell
18. Cold Demons

Encore:

19. Helleluyah!!! (God Is Dead)

Line-up:

Piotr “Peter” Wiwczarek – Vocal e Guitarra
Marek “Spider” Pająk – Guitarra
Tomasz “Hal” Halicki – Baixo
James Stewart – Bateria

Giancarlo Rossi

Giancarlo Rossi

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.
Giancarlo Rossi

Giancarlo Rossi

Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.