THORHAMMERFEST – 2018 – 1• Dia 30/05 Acústico

Se você não foi ao Festival sinto lhe informar que perdeu um evento incrível. O melhor do gênero sem sombra de dúvidas! Portanto, na próxima edição não perca, Thorhammer Fest não é só um festival com bandas musicais é um conjunto de elementos artístico/cultural no qual temos contato com cultura de outros lugares do mundo e épocas, conhecemos pessoas interessantes, viajamos no tempo/espaço sem sair de nossa cidade.

Foram arrecadados, nos dois dias, ração para animais de rua,  cães e gatos.

O evento contou com stand de artesanato viking, celta e medieval, cervejas artesanais, hidromel, lanches saborosos e stand de tatuagem. Produção feita com esmero e carinho  por quem entende da temática.

Em sua XII edição o festival teve em seu primeiro dia apresentação de 3 bandas em formato acústico.

A primeira a se apresentar na noite de véspera de feriado prolongado foi o Duo Arcanum. Sobem ao palco do Clube Piratininga por volta das 21:00.

Dueto formado por Daniel Mueller no violão erudito e Shiddarta Gabriella Oliveira fazendo vocal lírico, interpretando dois bardos arcanistas que invocam espíritos antigos, nos contam histórias através de rituais musicais. Com canções compostas desde o século 12, voz  incrível, domínio do violão, e o cuidado em buscar músicas que fizeram parte histórica da cultura medieval, encantaram à todos os presentes, que assistiram a apresentação com atenção e emoção. A voz da Gabriella é ora doce, ora sensual, interpretando a história de cada música. O dedilhado de Daniel é técnico e apaixonado. Se apresentaram sentados, em uma atmosfera em meia luz, com fumaça de efeito, que em um momento,  começou a atrapalhar a voz da cantora. O violonista pediu para que tirassem a fumaça, sendo atendido de pronto.

Vieram de Blumenau e merecem ser conhecidos pelo resto do país e espero, do mundo. Logo estarão lançando seu primeiro CD e espero que venham mais vezes à São Paulo.

O festival começou com chave de ouro.

DUO ARCANUM

Sidharta Gabrielle Oiveira – vocal lírico

Daniel Mueller – violão erudito

SETLIST:

Lamma Bada

Flow My Tears

The Wolven Storm

Morena me llaman

La Rosa Enfloresce

Que por al non Devess

Douce Dame Jolie

Come Again

Rosa das Rosas

Ne Olur Bir Sabah

Roland Song

Para a segunda atração outra grata surpresa, o duo Vilsevind, os ventos errantes, formado pela sueca Johanna, e o argentino Sérgio. O que falar deles?!  Simplesmente divinos.

O casal trouxe histórias, instrumentos e a magia do Mar Báltico, cantaram em sueco e espanhol. Nos disseram que gostam de cantar folk europeu.

Os elementos que eles combinam, resultam em uma música fascinante, que nos fazem sentir que estamos viajando à Trollskogen, a floresta dos trolls em Öland, na Suécia.

Empolgaram o público que dançaram como duendes na floresta.

Sérgio nos apresenta um instrumento de boca, pequeno que emite um som gutural a cada toque, como se falasse as sílabas em tom distorcido.

Um dos momentos mais emocionantes foi quando apresentaram uma criação folclórica escandinava chamada “Majsol”, que  significa Sol de Maio.

Criação de Johanna e Sergio, Majsol é uma canção que foi forjada no fogo da dor que causa a partida de um ente querido. É uma viagem de descoberta musical em que você pode acompanhar uma mulher muito especial durante as diferentes estações de sua vida e experimentar sua relação particular com a natureza de sua casa, a mais bela da ilha do norte.

Foi a primeira vez deles aqui no Brasil e eu espero que venham mais vezes, a simpatia e entrosamento do casal, é muito amor envolvido!!

VILSEVIND:

Johanna Ribnikov Gunnarsson – vocal

Sérgio Ribnikov Gunnarsson – Vocal e instrumentos de época

Setlist

  1. Käringen på barnsöl
  2.  Ingång: dag
  3. Fuego
  4.  Ödeblues
  5.  Craigieburn Wood (Scottish traditional)
  6.  Majsol
  7.  Kom läile nette fröke
  8.  Bryggstolen går
  9.  Hùg Air A’ Bhonaid Mhòir (Julie Fowlis)

A terceira e última atração da noite foram os queridos da Suécia, Manegarm, pela segunda vez em nosso país. É uma das primeiras bandas a incorporar instrumentos tradicionais como violino e flauta, mas também vocais femininas na música, Månegarm é pioneira e uma das mais duradouras, navega pelo Viking, Black e Folk Metal.

Subiram ao palco as 23hs, e o vocalista Erik lembrou que estiveram há 3 anos no mesmo festival e que estavam muito felizes em retornar. Em formato acústico, utilizarem 2 violões, 1 violino, 1 tambor e um baixo, iniciaram com a belíssima “Himmelsfursten”, que nos fala sobre Thor nos olhando, sobre seu martelo ressoando no outono e nos protegendo dos Trolls – Asa -Thor. Seguimos com Eld, que provoca gritos do público, pois é uma das mais queridas composições do Lobos da Suécia, nos fala sobre o fogo da purificação, e da chuva que cai sobre Midgard(Terra) lavando as pedras e purificando a terra.

Toda a apresentação é muito bonita, o microfone com pedestal da runa Algiz é sempre presente e representa o equilíbrio e proteção contra o mal, as bandeiras com a runa Manaz, a sociabilidade entre os homens.

Erik faz o merchan da cerveja que leva o nome da banda e que estava com eles no palco, faz um brinde conosco, Skal! Agradece ao produtor que os trouxe novamente.

Continuam com “Delling”, e as próximas, “Hemkomst”  e “Utfard“,anunciam que terá a participação de Johanna e Sérgio da Vilsevind, uma combinação perfeita entre a banda e o duo. O clima é de encantamento, alegria, que show incrível, um presente dos deuses.

Vem com a “Blot”, canção que nos fala sobre o sacrifício para a honra dos deuses, não se preocupem, esse sacrifício é feito com oferta de comida, hidromel e outras bebidas.

Encerram com a “Segervisa”, em coro com o público O, O, O, O, O, muito violino, e empolgação.

Grande show, grande Manegarm, Hail!!!

Fomos pra casa agraciados com tanta beleza e sabendo que no outro dia teriamos mais.

Manegarm:

Erik Grawsio – Vocal e Violão

Jakob Hallegren – Tambor

Markus André – Violão

Tobias Rydsheim – Baixo

Martin Bjorklund – Violino

Setlist:

1-Himmelsfursten

2-Eld

3-Delling

4-Hemkomst

5-Ulfard

6-Blot

7-Segervisa

Fotos retiradas da Internet.

Duo Acarnum
Vilsevind e Manegarm
Vilsevind