Test e Institution farão shows de abertura para o Converge em São Paulo

Apresentação única e inédita no Brasil do ícone norte-americano do hardcore/metal será dia 21 de março, no Carioca Club

A mistura criativa e sem limites de gêneros da música pesada é a gênese das duas bandas escolhidas para fazerem a abertura do tão aguardado – e inédito – show do icônico CONVERGE no Brasil, dia 21 de março, em São Paulo (Carioca Club). Representam a força nacional neste evento (com realização da Powerline) o duo de grindcore TEST e a referência brasileira do hardcore metal, o INSTITUTION.

Os ingressos para esta apresentação única do CONVERGE no país continuam à venda, online na Pixelticket, e físico, na Locomotiva Discos (somente em dinheiro, sem taxa).

O TEST é um duo, formado por João Kombi (vocal/guitarra, Are You God?) e Barata (bateria), que começaram fazendo shows na rua. No início dos anos 2010, eles colocavam os instrumentos numa kombi e viajavam por São Paulo (depois por outros estados) para divulgar seu peculiar grindcore, com nuances de death metal e amparado por ritmos e ideias nada menos que insanas. O inusitado e fora do comum fizeram a banda ganhar popularidade e se tornar uma das queridinhas do underground.

Foto: Chris Justino

João promete nesta abertura para o CONVERGE um TEST com a mesma intensidade e insanidade de qualquer apresentação do duo. “Ficamos felizes com o convite, mas todo show tem o mesmo significado pra gente, seja um show maior, na rua ou um show pequeno pra poucas pessoas”. Neste show de março, farão um set baseado no último disco, o elogiado “O Jogo Humano”, e já adianta que, depois, vem mais um disco. “Estamos trabalhando no disco novo, que deve sair ainda esse ano, o nome será ‘Disco Normal’”.

Prestes a lançar o ousado novo álbum “Ruptura Visível” (com experimentações e cantado em português), o INSTITUTION toca ao lado do CONVERGE em São Paulo e também um dia antes, 20/3, em Santiago, no Chile, inclusive com uma das bandas principais da noite antes da atração principal. “Dividirmos o palco com o Converge é extremamente animador, a banda é uma grande influência para nós”, conta o vocalista Helinho.

Foto: Murilo Amancio

O novo álbum sai a menos de 10 dias antes da tour e o INSTITUTION promete ser um consistente passo a diante, em relação ao aclamado “Desolation Times”. “Será nosso primeiro disco em português. Tivemos um ano e pouco de experimentos antes de entrarmos em estúdio para gravá-lo porque queríamos ir além do que fizemos no disco anterior. Nós não queríamos nos repetir, não queríamos fazer uma versão 2.0 do “Desolation Times”. Então exploramos mais ambientação, arranjos, harmonias etc”.

CONVERGE – O CONVERGE é mundialmente conhecido pelo autêntico – e pontual – rótulo ‘hardcore torto’, devido aos criativos, estridentes, pesados, carregados de groove e às vezes ora progressivos, ora complexos riffs. A ousadia também é uma constante na carreira da banda: facilmente se encontra elementos de outras vertentes entre as músicas, como punk, thrash metal e até noise, sem nunca perder o fio condutor agressivo e barulhento.

O mais recente lançamento, o oitavo álbum da discografia, é The Dusk in Us (2017), que trilha os mesmos caminhos do anterior, o aclamado All We Love We Leave Behind (2012), ainda com rastros do devastador e emblemático Jane Doe (2001), um dos discos mais influentes da música pesada dos anos 2000.

SERVIÇO
Show único do Converge em São Paulo
Evento: https://www.facebook.com/events/719340981914810
Data: 21 de março de 2020 (sábado)
Horário: 18 horas
Local: Carioca Club (rua Cardeal Arcoverde, 2899, São Paulo/SP)
Ingresso: Pista – R$ 140,00 (2º Lote, meia promocional e estudante); Camarote – R$ 180 (1º Lote, meia promocional e estudante)
Venda online: https://pixelticket.com.br/eventos/4585/converge-em-sao-paulo
Venda física: Locomotiva Discos (rua Barão de Itapetininga, 37 – Centro, SP)
Classificação etária: 16 anos

Fonte: Tedesco Comunicação & Midia

Leca Suzuki
Avatar

Leca Suzuki

Bacharel em Rádio/ TV. Amante da fotografia e da boa música. "A música é o verbo do futuro." (Victor Hugo)