SupreMa: entrevista sobre história da banda e novo vídeo com Douglas Jen

Foto por Stage Photo Press (10)

A Imprensa do Rock teve a belíssima oportunidade de entrevistar a banda brasileira “SupreMa”, essa que está com novidades quentíssimas a flor da pele, por exemplo: lançamento de novo vídeo-clipe, histórico de resenhas pelo mundo todo e agenda de shows já com algumas datas programadas para 2014. Confira como foi a entrevista realizada com Douglas Jen (guitarrista).

Olá Douglas, seja bem-vindo à Imprensa do Rock. É uma honra recebê-lo.

Douglas Jen: Oi pessoal, é muito bom poder conversar e falar um pouco da banda e sobre heavy metal.

12 - Foto por Vinicius Duarte PlayTV

Vamos do início? Por quê do nome “SupreMa”?

Douglas Jen: Inicialmente eu queria um nome em português para homenagear nossa língua, que significasse bem o trabalho como um todo e que também pudesse ser entendido por outras línguas também. Quando pensei em SupreMa de cara já soube que era o nome perfeito.

Como surgiu a banda?

Douglas Jen: Em 2004. Eu queria fazer uma espécie de Metal Ópera com várias participações especiais, mas em poucos meses acabou tomando a forma de banda e rapidamente gravamos o primeiro trabalho, o EP/demo “Spyeyes” o que consolidou este novo rumo. Depois vieram várias tours e aberturas internacionais. Em 2013 enfim lançamos mundialmente nosso novo CD “Traumatic Scenes” e com ele estamos tendo nossos primeiros frutos sólidos internacionalmente.

Quais as influências principais do grupo? Existe algum gênero especifico que vocês gostam de auto-intitular?

Douglas Jen: Dentro da banda a galera tem influências bem diversas mas sempre com pontos em comum entre o metal progressivo e o thrash metal. Mesclamos bem isso e deixamos o som fluir. Ao final temos um som técnico e agressivo, com belas melodias. Somos essencialmente Power/Prog.

Foto-por-On-Stage-(4)2

A banda possui alguma história curiosa? Aquelas que alguém gostaria de contar porém nunca tiveram a oportunidade.

Douglas Jen: Nossa!! Temos inúmeras histórias engraçadas e inclusive tínhamos um blog que chamava-se “Diário da Tour” e lá postávamos as coisas curiosas e engraçadas que aconteciam na estrada. Uma que me veio à cabeça agora foi na Tour Nordeste em 2012 que saímos de SP com toda estrutura da banda dentro de uma van. Tocamos em Salvador durante o carnaval no Palco do Rock e tínhamos dois dias apenas para chegar em Fortaleza que seria nosso próximo show e a viagem estava prevista para ter 1.185 Km, esta distância se o motorista fosse pelo caminho mais rápido cortando bem no sertão, Brasil à dentro. Estávamos bem cansados na van e começaram a aparecer placas estranhas de cidades que não era para passarmos durante a rota e então questionei o motora se o GPS estava certo. Foi ai que descobri que ele não tinha um GPS e nem uma rota escrita. O motorista queria contornar o Brasil pela orla da praia (depois eu fiz o cálculo e ele iria andar por volta de 1.800 Km)!! Achei um absurdo e fiz ele parar e fomos perguntar para guardas rodoviários como consertar, mas já estávamos perdidos e eu somente com um mapa do Brasil de municípios na mão, nem era mapa rodoviário. Então peguei o mapa e fomos procurando cada BR para voltar ao caminho certo e eu nem sabia se aquele mapa estava atualizado. Demoramos quase 22h para conseguir voltar à estrada correta, não achávamos hotel para descansar e depois de horas de exaustão encontramos enfim uma pousada na beira da estrada em Paulo Afonso que parecia a Vila do Chaves!! Foi tensa demais esta viagem mas até hoje lembramos da história e nos divertimos com isso.

Cite-nos alguma música preferida da banda e comentem sobre ela.

Douglas Jen: Cada um tem uma preferida porém a que é a unanimidade é a “Fury and Rage”. Apesar do som ser bem técnico no disco por um todo, a Fury é uma música pesadíssima e cadenciada, é o momento do show que a galera fica bangueando do começo ao fim e empurra uma energia fora do comum para o palco. É um momento bem especial.

Vocês estão marcando algo inédito na carreira que são as incríveis resenhas nos sites internacionais de todo o globo como por exemplo “Stormbringer” (AT), “Sea of Tranquility” (USA), “Power of Metal” (DK) e o “DangerDog” (EUR), o que estão achando disso?

Douglas Jen: Está sendo algo incrível que nem conseguimos dimensionar ainda. Sabemos o tanto que teremos que ralar ainda para chegar a um reconhecimento mundial, mas pelas resenhas e comentários de fãs e mídia temos a certeza que estamos no caminho certo. As resenhas do “Traumatic Scenes” receberam notas altíssimas e vários comentários que eu realmente queria ouvir. É um disco que é cheio de detalhes na arte, nas letras, nas músicas e também no cenário, no show, iluminação, no todo; e tiveram vários jornalistas que foram sensíveis em perceber a obra. Este reconhecimento na Europa é só o começo do que o SupreMa vai trazer nos próximos meses, estamos traçando passos bem grandes e queremos que nossos amigos e fãs se orgulhem a cada conquista.

Foto-por-Vinicius-Duarte-PlayTV-(2)menor

O mais novo CD da banda “Traumatic Scenes” é baseado no filme “O INVISÍVEL” por quê essa temática e conte-nos do conceito do disco.

Douglas Jen: Na verdade o disco não é uma narração do filme e sim uma visão da banda sobre tudo o que está implícito no filme como: Visões, Raiva, Fúria, Memórias, Pesadelos, etc. Mexe diretamente com os estágios da mente humana, beira algo paranormal e o “Traumatic Scenes” traz em ordem cronológica do filme cada tema. Tudo está linkado e se você ouvir o disco, ler as letras, assistir ao filme e assistir ao show da banda, vai perceber cada detalhe. O filme “O invisível” foi o pano de fundo perfeito da minha ideia da temática. É uma viagem ao subconsciente.

Sobre o clipe “Nightmare” vocês imaginariam que a repercussão seria tão boa assim? Porque recentemente obtiveram a marca de mais de 60 mil visualizações desde o lançamento no YouTube.

Douglas Jen: Sempre que você faz um trabalho, você imagina onde quer chegar e com o clipe da “Nightmare” não foi diferente. Queríamos um vídeo que mostrasse a energia do CD e a nova cara da banda e a galera entendeu isso. A repercussão foi maravilhosa e rolou em vários canais de TV como a MTV e NGT, ficou em segundo lugar na RockLabel TV (Suiça) e foi o primeiro vídeo clipe da banda e o guardamos com muito carinho.

Esta semana foi noticiado que vocês estão preparando um novo clipe, conte-nos um pouco mais sobre este novo trabalho.

serena

Douglas Jen: Sim, estamos trabalhando em um novo vídeo clipe! Na verdade desde março temos trabalhado no roteiro e tem 5 meses que ocorreram as primeiras filmagens! Estamos fazendo um trabalho bem cuidadoso, é a maior produção que o SupreMa já fez em toda carreira! Estamos trabalhando com a Nevasca Filmes que é uma gabaritada produtora que trabalha com inúmeros artistas e empresas mainstream como Naldo Benny, João Neto e Frederico, Rick Bonadio, Micael Borges, Manu Gavassi, The Vampire Diaries (RTA Global) e também já trabalharam na produção do programa Pânico na TV (RedeTV e Band). É uma imensa satisfação trabalhar com caras deste nível e desde a primeira reunião quando apresentei as ideias do clipe e a letra e áudio da “Fury and Rage”, os diretores piraram e abraçaram a banda. Pensamos em mil coisas e eles estão fazendo tudo isso se tornar real.

Tivemos cuidado com cada parte da produção, desde as locações, maquiagem, figurino, escolha da atriz e os equipamentos de filmagem. As locações são incríveis e as filmagens ficaram animais. A atriz selecionada foi a Mayra Moura, que fez uma interpretação impecável da personagem “Serena”, tanto em seu lado cotidiano quando em seu lado possuído. É praticamente um curta metragem inserido dentro de um vídeo clipe de banda. Não vemos a hora de poder publicar este vídeo clipe, nossos fãs vão se orgulhar do detalhismo e cuidado que tivemos. E a história como sempre, é uma viagem surreal! Em breve divulgaremos fotos do making of e também a data oficial do lançamento em www.suprema-online.com.

jam-4-henrique-pimentel

Conte-nos a experiência de tocar com bandas como Blaze Bayley (ex-Iron Maiden), Primal Fear e Andre Matos. Diferenças dos comportamentos de cada um e sintonia com o público.

Douglas Jen: A experiência é sempre a melhor possível, pois você aprende muito, principalmente na questão da produção. O SupreMa já dividiu o palco com outras atrações internacionais também e a cada vez que dividíamos o palco aprendíamos mais e mais na questão do show, postura no palco, performance, etc. Hoje em dia nos vemos prontos para grandes shows, tanto que fomos headliner de vários festivais pelo Brasil e nesta nova tour temos levado uma estrutura top na questão de equipamento, equipe técnica e cenário. Quem assistiu alguns grandes shows como em Manaus, São Paulo e Limeira puderam entender o que o SupreMa vem trazendo hoje em dia para o palco depois de anos na estrada e fazendo tours. Na questão cultural você sempre vai ter diferenças, os brasileiros são sempre mais calorosos, europeus e americanos eu vejo como uma galera mais fechada.

suprema_clipe_fury

Sobre agenda de shows para o final de 2013 e início de 2014, alguma novidade?

Douglas Jen: No momento a banda está 100% concentrada no novo vídeo clipe “Fury and Rage”, preferimos encerrar a agenda de 2013 para dedicar nesta produção. Para 2014 já temos algumas negociações no Nordeste e Sul, e ainda é cedo para falar em shows internacionais mas temos conversado bastante com nossos agentes lá fora.

Cite dez álbuns que um fã de metal ou para aquele que esta iniciando nesse maravilhoso mundo não pode deixar de jeito nenhum de ouvir. Aqueles álbuns que você ouve e pensa tipo: “Cara!!! Você precisa escutar isso, é animal!”.

Douglas Jen: Difícil esta pergunta! Vou tentar abranger vários estilos, assim o ouvinte que vai dar a direção de sua preferência musical:

  • Appetite for Destruction (Guns N’ Roses)
  • Horrow Show (Iced Earth)
  • Images and Words (Dream Theater)
  • Static Impulse (James Labrie)
  • Black Album (Metallica)
  • Powerslave (Iron Maiden)
  • Cold Day Memory (Sevendust)
  • Unity (Rage)
  • Dead Heart, in a Dead World (Nevermore)
  • Omerta (Adrenaline Mob)

Foi uma honra ter batido esse tremendo papo com você. Por favor, deixe um comentário para os seus fãs e leitores do site. E até breve!

Douglas Jen: Valeu galera do Imprensa do Rock pelo bate papo. Aos nossos fãs, fiquem antenados no www.suprema-online.com que tem um caminhão de novidades vindo em breve. Queremos cada um de vocês conosco nestes novos passos. Valeu!

Um obrigado especial para FURIA MUSIC PRESS, assessoria que foi a ponte para essa entrevista.

Victor Santos

Victor Santos

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Victor Santos é editor-chefe do Imprensa do Rock e Diretor Geral do Programa Unimetal. Desde 2011, vem trazendo conteúdo de qualidade para os amantes da música e do cinema.
Victor Santos