Suffocation @ Manifesto Bar – São Paulo/SP (30/09/2017)

A excelente e brutal banda de Death Metal, SUFFOCATION, se apresentou no Manifesto Bar em São Paulo no dia 30 de setembro. Turnê do mais recente álbum de estúdio “…of the Dark Light”, lançado nesse ano, SUFFOCATION mostra toda sua potência, brutalidade e técnica realizada nesse último trabalho.

A formação atual da banda, conta com o vocalista Frank Mullen, os guitarristas Terrance Hobbs e Charlie Errigo, o baixista Derek Boyer e o baterista Eric Morotti. Porém, o Frank Mullen e o Derek Boyer, estavam ausentes da turnê. Para isso, o irmão de Frank, o Kevin Muller, foi o substituto nos vocais. E no baixo, não compareceu ninguém para substituir o Derek. Então, a banda se apresentou sem baixista.

Antes do SUFFOCATION subir no palco e destruir tudo, a abertura ficou responsável por duas bandas brasileiras: Siriun e Gestos Grosseiros.

Siriun

A primeira banda a se apresentar no Manifesto, foi o Siriun. Banda carioca de Death Metal formada por quatro integrantes, fez uma apresentação curta de 30 minutos. E mesmo com o público ainda tímido, mostraram a sua potência na sonoridade com vocais agressivos, bons riffs e bons solos de guitarra, um baixo pesado e uma bateria veloz.

Foram ao todo 6 músicas executadas, entre elas, do álbum que está prestes a ser lançado, “In Chaos We Trust” e um cover da banda de Death Metal, Decapitated com “Spheres of Madness”. Com agradecimentos ao público por presenciarem o desempenho da banda, foi uma boa apresentação do Siriun, que souberam, em pouco tempo, exibir um som brutal e insano.

Setlist:

1. Intent
2. Mass Control
3. Infected
4. Spheres of Madness (cover do Decapitated)
5. In Chaos We Trust
6. Transmutation

Gestos Grosseiros

Com um público maior, a segunda atração da noite foi o Gestos Grosseiros. Banda de Death Metal formada por três integrantes, executaram ao todo 7 músicas, variando dos seus álbuns de estúdio, incluindo o mais recente lançamento de 2017 “World’s Hypocrisy”.

Contando com os vocais guturais do vocalista e baterista Andy Souza, que inclusive, ficou responsável pelo som brutal executado na bateria em conjunto a uma sonoridade agressiva feita pelo guitarrista Kleber e pelo baixista Eduardo Ossucco, foi uma apresentação de aproximadamente 30 minutos, mostrando o seu estilo violento que são capazes de fazerem.

Interagiram com o público durante a apresentação, sendo gratos em se apresentarem em São Paulo, pelo fato de serem bem recepcionados pelo público e da honra por estarem na turnê do SUFFOCATION.

Falaram um pouco também do metal nacional, “O metal não está morto, precisa apoiar o metal, isso é a prova, a galera compareceu no show”, o Andy Souza sendo muito grato pelo público ter comparecido ao show deles e incentivando a galera para apoiarem o metal nacional e o underground. Boa apresentação e uma banda muito bacana de ser assistida.

Setlist:

1. The Antichrist
2. The Ambition
3. Crushing the Cross
4. Salves of Imagination
5. Human Destruction / Countdown to Kill (medley)
6. Intellectual Death
7. In The Name of God

Suffocation

Iniciando a apresentação com as insanas “Thrones of Blood” e “Pierced from Within” do excelente album “Pierced from Within” (1995), a banda já mostrou grandes desempenhos brutais na sonoridade pesada que possuem. Ótimos riffs bem cadenciados, vocais guturais insanos e extremamente graves e uma bateria veloz e monstruosa pela sua velocidade e agressividade.

“Return to the Abyss” foi a primeira música do “… Of the Dark Light” a ser executada e nesses momentos, os mosh-pits insanos, já tomavam conta do centro da pista do manifesto. “Funeral Inception” e “Effigy of the Forgotten” foram as próximas. Nesses momentos, vale destacar o grande desempenho no talento do vocalista Kevin Muller. Mostrando ser um ótimo substituto do seu irmão Frank, já ganhou atenção dos fãs pela sua performance devastadora e respeitosa com seus vocais ultra agressivos. Sem contar das suas interações que aconteciam entre as músicas.

“Clarity Through Deprivation”, segunda e última música do “… Of the Dark Light” a ser executada na noite. Destaque para os bons riffs cadenciados que ela possui. Uma das grandes marcas da banda é justamente nos riffs bem cadenciados e pesados que as músicas possuem. As brutais “Liege of Inveracity” e “As Grace Descends” deram continuidade.

“Entrails of You” deu prosseguimento a insanidade presenciada. E depois de tantos pedidos, veio a clássica “Catatonia”. E para encerrar essa excelente apresentação em São Paulo, veio “Infecting the Crypts”.

Cada membro da banda fez grandes desempenhos. O vocalista Kevin Muller mostrando seus vocais guturais e insanos nas músicas executadas, além das boas interações que teve com o público e sendo bem recebidos por eles. Os guitarristas Terrance Hobbs e Charlie Errigo fazendo seus ótimos trabalhos nos riffs e solos poderosos. E o baterista Eric Morotti, mostrando a sua técnica e velocidade no instrumento.

SUFFOCATION provou que mesmo sem o baixista Derek Boyer e o vocalista original Frank Mullen (sendo substituído pelo irmão Kevin Muller no caso), continuam e sempre será, uma das bandas mais representativas e de grande renome do cenário da música extrema. Aproximadamente uma hora de show e com 11 músicas tocadas nesse tempo, fizeram o que uma excelente banda fez. Uma performance admirável e prazerosa de ser presenciada.

Com integrantes talentosos e bem empenhados, executando excelentes músicas insanas e bem realizadas, foi uma ótima apresentação feita para os admiradores de música extrema e que adoram levar umas boas porradas nos ouvidos.

Setlist:

1. Thrones of Blood
2. Pierced from Within
3. Return to the Abyss
4. Funeral Inception
5. Effigy of the Forgotten
6. Clarity Through Deprivation
7. Liege of Inveracity
8. As Grace Descends
9. Entrails of You
10. Catatonia
11. Infecting the Crypts

Line-up:

Kevin Muller – Vocal
Terrance Hobbs – Guitarra
Charlie Errigo – Guitarra
Eric Morotti – Bateria

Texto: Giancarlo Rossi
Fotos: Wallace Andrade
Wallace Andrade

Wallace Andrade

Fotógrafo em Imprensa do Rock
Fotógrafo, formado em Comunicação Digital, amante da música.
Wallace Andrade