Suecos do Thyrfing invadem a oitava edição do ThorHammerFest em São Paulo

Incrível! É o que podemos falar a cada ano e edição que se passa do festival THORHAMMERFEST. O festival sempre encontra os seus jeitos e cuidados para que tudo fique da melhor maneira possível.

Novamente podemos ver de abertura o grupo de simulação de batalhas medievais “ORDO DRACONIS BELLI” que com uma rápida apresentação arrancou palmas e assovios dos fãs presentes.

Com o cancelamento de uma das atrações que ali se apresentaria (a banda VINGARD) a casa demorou um pouco a mais para abrir fazendo com que, se não fosse a explicação de Rodrigo Branco (novamente mestre de cerimônias do festival), avisando que, por diversos motivos pessoais a banda não se apresentaria, notaríamos um pequeno “defeito”, não próprio da organização do festival. Felizmente, como redator e fã do THORHAMMERFEST, não foi isso que aconteceu.

O ARTHANUS foi a primeira banda a subir ao palco. Os integrantes mostraram todo o resultado de diversos ensaios em rápidos 40 minutos no Clube Piratininga. Boas melodias e letras fizeram ecoar o primeiro aquecimento ao publico, por que em poucas horas ali no mesmo lugar, veríamos o THYRFING.

Recomendamos que ouçam o ARTHANUS, essa banda que foi fundada em São Caetano do Sul, município de São Paulo, com um som bastante agressivo o que podemos lembrar bastante dos fãs que mais adoram o Folk Metal.

A próxima e segunda atração da noite foi o PAGAN THRONE, divulgando o EP “Pagan Heart”, apesar de alguns probleminhas aqui e ali na montagem do teclado no palco, a banda prosseguiu com uma perfeita apresentação, mostrando toda sua cultura e uma excelente sonoridade com uma música que entrou bastante em destaque na minha opinião foi a “Northern Forests” com leves toques místicos que adorei ouvir na banda, por ter levantado justamente essa questão.

“Guerreiros, acabou a luta. Está na hora de arrumar nossos trajes por que hoje é noite de Metal”. Parece que esses foram os pensamentos dos integrantes quando subiram ao palco; o IRON WOODS, estava com uma roupagem típica de luta. Uma banda merecedora em ser a última a abrir para os suecos do Thyrfing, pois, o grupo que se formou para assistir aos integrantes dando o melhor de si lá em cima, foi realmente animador. Música que destacaríamos facilmente é a própria “A War Against All”. Com todas as influências que a banda mostrou ao executar suas belas canções, os caras fizeram um felizardo show.

Assim que terminou a apresentação do IRON WOODS, já podíamos ver os fãs aglomerados em volta do palco. Não era mais possível se quer encostar uma mão no amplificador para garantir um lugar bem pertinho dos músicos. Próximo das 21 horas, o THYRFING subiu ao palco sem muita delonga, o show foi aberto com a recente “Mot Helgrind” que você pode encontrar no álbum “De Ödeslösa” lançado em 2013.

Com os defeitos que ocorreram nas apresentações anteriores, dessa vez, não houve nenhum. Os equipamentos eram incríveis e uma bateria completamente diferente montada em cima do palco mais precisamente no lado direito, com banners trazendo o logo da banda nas laterais. Durante a apresentação os músicos se entrosavam constantemente com os fãs presentes.

Os guitarristas sempre animados, trocavam de posição de tempos em tempos, um indo pra um lado, o outro provocando e assim por diante. O vocalista Jens Rydén fez uma ótima performance, o cara não parava um minuto no palco, parecia um Bruce Dickinson da vida.

THF8_Thyrfing-1_m

Músicas como “The Voyager”, “Griftefrid”, “Kamp”, e “Digerdöden” foram tocadas, e o ânimo do público e dos integrantes era radiante. Poses e mais poses eram feitas quando os mesmos avistavam as câmeras e celulares piscando os luminosos flashs.

THF8_Thyrfing-2mTHF8-39 pqO Thorhammerfest vem melhorando ano a ano, a fila para compras continuou grande em ambos os lados, tanto na hora de efetuar a compra, como na hora de retirar o produto. O que eu pensei na hora, conversando com o pessoal foi que melhorassem um pouquinho mais o sistema de venda. Talvez colocando tudo em uma fila só “pagamento+retirada”, facilitaria. Um ou outro barzinho pelos cantos perdidos do clube piratininga também seria interessante. Pelo menos se tratando de retirar produto. Fora esse cenário, as bandas mostraram todo seu potencial, os aperitivos são ótimos, cervejas com nome da casa são de qualidade, público tranquilo, aproveitaram tanto quando puderam, recepção calorosa e o que é mais legal: temos um festival viking/folk/pagan metal em uma cidade calorosa! Aguardamos mais do THORHAMMERFEST! Que já tem atrações confirmadas. Fiquem ligados.

Galeria de imagens completa: OITAVO – THORHAMMERFEST
Texto por: Victor Santos // Fotos por: Jair G. Silva
Credenciamento: THORHAMMERFEST

Victor Santos

Victor Santos

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Victor Santos é editor-chefe do Imprensa do Rock e Diretor Geral do Programa Unimetal. Desde 2011, vem trazendo conteúdo de qualidade para os amantes da música e do cinema.
Victor Santos