Stryper e Narnia @ Tropical Butantã (São Paulo/SP) – 14/09/2019

Stryper e Narnia, duas grandes bandas do metal cristão, desembarcaram na América do Sul no mês de setembro para uma turnê em conjunto, passando por Argentina, Chile e no Brasil, para três apresentações, em São Paulo no Tropical Butantã, Rio de Janeiro no Circo Voador e em Belo Horizonte no Mister Rock. Infelizmente, nessa turnê, ocorreram alguns imprevistos, foram cancelados os shows que ambos fariam no Peru, Paraguai e Brasília, e no Brasil, a banda Tourniquet, estaria nessa turnê, porém, cancelaram todas as datas que se apresentariam no país. Imprevistos acontecem, faz parte. Mas vamos falar sobre os shows do Stryper e do Narnia, que aconteceram em São Paulo.

Narnia

Dado o horário, um público razoável mas bem empolgado, alguns gritos de “Olê olê olê olê olá Narnia Narnia…”, já foram vistos, a intro é tocada pelas caixas de som, cada integrante sobe ao palco e iniciam o espetáculo com “A Crack in the Sky” faixa que abre o novo álbum “From Darkness to Light”, lançado em agosto desse ano. “Sail Around the World” do “Course of a Generation” de 2009 veio na sequência, após, o Christian anunciou “The Mission”, do segundo disco da banda “Long Live the King” de 1999 e depois, a emocionante “I Still Believe” do “Narnia” de 2016, contendo um belíssimo refrão. Voltando para o “From Darkness to Light”, a faixa executada foi “You Are the Air That I Breathe” e em seguida, “Shelter Through the Pain”, uma das melhores canções executadas do repertório, uma linda música, um lindo refrão.

Um trecho da clássica “We Will Rock You” do Queen foi tocada, mais especificamente, a famosa batida na bateria e o refrão cantado pelo Christian e pelo público em coro, para vir “Reaching for the Top”. Prosseguindo, a profunda “The War That Tore the Land”, “Into This Game” do “Enter the Gate” de 2006, “Dangerous Game”, destaque para as ótimas habilidades do Martin nos teclados, a tão esperada “Long Live the King” foi magnífica na execução, Christian vestiu sua jaqueta com “Long Live the King” escrita nas costas e depois, retirou a jaqueta e vestiu uma camisa da seleção brasileira de futebol, onde permaneceu com ela até o final da apresentação. Ao final da canção, o Christian pediu aos fãs para cantarem os refrões em português, no caso, “Vida Longa ao Rei”, ele começava “I Wanna Live, Wanna Fight…”, o público continuava com “Vida Longa ao Rei”, formando um lindo coro. Realizado isso algumas vezes, foi sensacional o momento.

“Inner Sanctum” do “Desert Land” de 2001, “Gates of Cair Paravel”, intro do “Long Live the King”, foi tocada e seguindo a ordem correta do disco, veio “Living Water”, para encerrar o show. Mais coros de “Olê olê olê olê olá Narnia Narnia…” vindo do público. Durante a apresentação, Chrisitan realizou boas interações com os fãs, bem simpático, agradeceu muito pelo comparecimento de cada um, elogiou o Brasil, elogiou o metal daqui, o público e tudo mais, e claro, várias citações de Jesus Cristo e um “Deus abençoe São Paulo”. Aproximadamente 75 minutos, foi um show bem divertido de ser assistido, graças a uma excelente performance do quinteto em palco.

Setlist:

1. A Crack in the Sky
2. Sail Around the World
3. The Mission
4. I Still Believe
5. You Are the Air That I Breathe
6. Shelter Through the Pain
7. Reaching for the Top
8. The War That Tore the Land
9. Into This Game
10. Dangerous Game
11. Long Live the King
12. Inner Sanctum
13. Living Water

Line-up:

Christian Liljegren – Vocais
CJ Grimmark – Guitarra
Andreas Johansson – Bateria
Jonatan Samuelsson – Baixo
Martin Härenstam – Teclados

Stryper

Sem muita espera, uma bandeira do Stryper ao fundo do palco e a casa ainda mais cheia, “Battle Hymn of the Republic”, última faixa do primeiro álbum de estúdio completo da carreira do Stryper “Soldiers Under Command” de 1985, é tocada pelas caixas de som, logo, cada integrante toma seus lugares e por último, sobe o Michael, joga uma pequena bíblia personalizada da banda para o público, toma seu lugar e dão início justamente com a faixa-título do disco, para a mega empolgação dos fãs. “Loving You” do “The Yellow and Black Attack”, lançado como EP em 1984 e dois anos depois, relançado como álbum com mais duas faixas inclusas, veio na sequência. Esse foi o primeiro trabalho da carreira do Stryper. Nota-se nas guitarras e baixo personalizados com suas tradicionais cores preto e amarelo e o baterista Robert, vestindo um colete preto e amarelo, se apresentou com o instrumento virado de lado.

O Michael começou suas interações com os fãs, perguntou quem já assistiu a banda antes e quem não assistiu, disse que é um prazer tocar nessa noite e é sempre uma honra estar em São Paulo, a energia do público é diferenciada e um “Deus os abençoe”. Após, uma incrível sequência de faixas do renomado álbum “To Hell with the Devil” de 1986 prosseguiu o setlist: a clássica “Calling on You”, “Free” e “More Than a Man”, essa última, com a participação do brasileiro Mike Kerr na guitarra, tour manager da banda pela América do Sul. Tocou apenas essa música com a banda e mostrou um ótimo desempenho na execução, realizando até mesmo o solo da canção. Mais bíblias e palhetas foram jogadas para a galera e na sequência, vieram “All for One” do “Against the Law” de 1990 e “Surrender” do “Soldiers Under Command”.

Michael apresentou a banda e logo, disse que tocaria uma música da banda de hard rock FireHouse, na qual, integrava o baixista Perry Richardson, assim, anunciou “All She Wrote”, do debut “FireHouse” de 1990, largou um pouco a guitarra, se responsabilizando apenas nos vocais. Iluminação bem focada no Michael, foi a vez de “Honestly” ser tocada, uma linda balada que certamente, cativou todos os presentes. Michael volta com sua guitarra, solicita a todos para erguerem seus punhos e manda “I.G.W.T.”, do “Reborn” de 2005, uma nova versão da “In God We Trust” do álbum homônimo de 1988, uma adaptação mais pesada da composição. Por falar no álbum “In God We Trust” (1988), eis que vem “Always There for You”.

Indo para o “God Damn Evil”, álbum mais recente da banda lançado no ano passado, tocaram “Sorry” e em seguida, “Yahweh” do “Fallen” de 2015, penúltimo trabalho do Stryper. A excelente “Sing-Along Song” foi sem dúvidas, uma das melhores canções executadas na noite, aqueles lindos coros em cada refrão são magníficos. Gritos vindos do público de “Olê olê olê olê Stryper Stryper…” para aquele famoso bis e para a alegria dos fãs, “Abyss”, faixa intro do “To Hell with the Devil”, é tocada de fundo, os integrantes retornam ao palco e executam mais duas músicas: “The Valley”, outra canção do “God Damn Evil”, e fecham a apresentação com “To Hell with the Devil”. Ao se despedirem, mais coros de “Olê olê olê olê Stryper Stryper…” vindo dos fãs, que sem dúvidas, curtiram cada momento desse belíssimo show, assim como nós curtimos e muito.

Setlist:

1. Soldiers Under Command
2. Loving You
3. Calling on You
4. Free
5. More Than a Man
6. All for One
7. Surrender
8. All She Wrote (FireHouse cover)
9. Honestly
10. I.G.W.T.
11. Always There for You
12. Sorry
13. Yahweh
14. Sing-Along Song

Encore:

15. The Valley
16. To Hell with the Devil

Line-up:

Michael Sweet – Vocais e Guitarra
Robert Sweet – Bateria
Oz Fox – Guitarra
Perry Richardson – Baixo

Fotos: Diego Andrade

Giancarlo Rossi

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.
Giancarlo Rossi
Avatar

Giancarlo Rossi

Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.