Steve Hackett @ Espaço das Américas – São Paulo/SP (22/03/2018)

No começo do ano, quando falaram que dois ex-integrantes do Genesis fariam shows no Brasil, logo fiquei empolgado para ver o mestre STEVE HACKETT, e claro ouvir toda a fase progressiva que a lendária banda inglesa realizou nos anos 70.

O show rolou na última quinta-feira (22), no Espaço das Américas.

Foi um espetáculo de quase 3 horas para um excelente público, e fiquei sem palavras quando terminou o último acorde de “Los Endos”!!!

Com uma banda de apoio talentosa e competente, apresentando uma grata novidade: o baixista Jonas Reingold, do Flower Kings e entre outros projetos do meio progressivo, não tinha como não ser um show genial.

A primeira música foi da consistente carreira solo do guitarrista: “Please Don’t Touch”, faixa título do segundo álbum dele. Logo após a execução, HACKETT já começou a interação com o público arriscando algumas palavras em português. Emendou que mandaria outra música antiga: “Every Day”.

As três músicas seguintes foram do seu recente álbum, “The Night Siren”: “Behind The Smoke”, com uma levada de música do Oriente Médio, graças à Rob Townsend, que alterna entre flauta, saxofone e outros efeitos. “El Niño” e “In the Skeleton Gallery” foram bem executadas e STEVE mostrou que ainda tem uma boa voz.

Depois uma música de um projeto dele: “When the Heart Rules the Mind” do GTR, que ele fez ao lado de Steve Howe (Yes) e Steve Rothery (Marillion). Uma leva pop com um certo peso no final para não fugir tanto do rock progressivo.

Outro clássico do guitarrista foi “Icarus Ascending” e foi a hora do vocalista Nad Sylvan, conhecido por fazer parte do Karmakanic e Agents of Mercy, entre outros projetos, aparecer no palco.

Para fechar as músicas que fez sem o Genesis, nada como a linda “Shadow of Hierophant”, que fez o público viajar com cada solo, além do teclado de Roger King dando ares sombrios.

Agora era o momento Genesis na sua fase clássica (nada daquele pop radiofônico dos anos 80), e o público ficou ainda mais entusiasmado com “Can you tell me where country lies? Said the uni faun to his true love’s eyes”. Foi a introdução de “Dancing With the Moonlit Knight” (do melhor álbum da banda na minha opinião) “Selling England by the Pound”.

“One for the Vine” ficou ainda melhor ao vivo, cheio de delicadeza. ainda havia espaço para o momento mais pesado, com a batalha de teclado e guitarra no final, que deixou os fãs vidrados.

Logo em seguida veio “Inside and Out”, com um ritmo mais calmo do começo ao fim e Nad mostrando um timbre para chegar perto de Peter Gabriel e Phil Collins.

O começo de “The Fountain of Salmancis” fez o publico levantar da cadeira para curtir e viajar (por pouco tempo, porque não podíamos ficar em pé, rs ). Que música sensacional, e tudo executado como se algum dj colocasse o disco para tocar.

Parecia que STEVE HACKETT queria apelar, e já emendou “Firth of Fifth” para o delírio de todos. A quebrada no teclado para um riff poderoso, seguido de um solo monstruoso mostrou a virtuose e inspiração do Genesis em pleno auge.

“The Musical Box” foi outra música arrebatadora em seus 10 minutos e na minha concepção, o show já estava encerrado.

Ledo engano meu, HACKETT, pegou um violão, sentou e começou a dedilhar simplesmente a épica “Supper’s Ready” (enquanto fazia esta resenha escutava essa preciosidade) em seus mais de 23 minutos de duração! Destaque especial também para o baterista Gary O’Toole que fez viradas espetaculares, como sempre.

Para fechar o show, que já adentrava na madrugada de sexta-feira, o “bis” foi “Los Endos”, do “A Trick of the Tail”, primeiro álbum sem a presença de Peter Gabriel. Não podiam encerrar de melhor maneira, a viagem que STEVE HACKETT fez o público trilhar.

Saí feliz demais do show sabendo que vi algo próximo da fase do Genesis que tanto gosto!

Setlist:

1. Please Don’t Touch
2. Every Day
3. Behind the Smoke
4. El Niño
5. In the Skeleton Gallery
6. When the Heart Rules the Mind
7. Icarus Ascending
8. Shadow of the Hierophant
9. Dancing With the Moonlit Knight
10. One for the Vine
11. Inside and Out
12. The Fountain of Salmacis
13. Firth of Fifth
14. The Musical Box
15. Supper’s Ready

Bis:

16. Los Endos

Line-up:

Steve Hackett – Guitarra e Vocal
Jonas Reingold – Baixo
Nad Sylvan – Vocal
Gary O’Toole – Bateria
Rob Townsend – Flauta, Sax e Percussão
Roger King – Teclado

Texto: Alessandro Rossi

Fotos: Leandro Almeida

Revisão: Paula Alecio

Giancarlo Rossi

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.
Giancarlo Rossi
Avatar

Giancarlo Rossi

Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.