State of Meister – Documentário 2018

State of Meister – Documentário 2018

 

Estou chorando de emoção pois este documentário de quase 40 min representa toda e qualquer cena, do Brasil e do mundo, me identifiquei demais porque representa a minha vida a minha história como a de tantas outras bandas, há história de tantos outros músicos e artistas que ralam de forma independente, na realidade mais sucinta esse documentário deu voz a  milhares de músicos frustrados realizados, guerreiros lutadores.

O projeto idealizado pela marca de bebidas Jägermeister tinha como principal objetivo dar espaço a bandas independentes do rock brasileiro, e o fez com uma fórmula das mais bacanas. O curta metragem foi dirigido e editado por GG. Di Martino e a produção executiva de todo projeto é de Deb Babilônia.

 

State Of Meister  Mostra um bate papo entre artistas que participaram da plataforma musical Jägermeister Grounds realizada durante o ano de 2017. O projeto teve como foco promover a cena independente do rock nacional, apoiando bandas em ascensão para a construção de sua trajetória no cenário musical. O filme traz a interação entre os músicos, a troca de experiências, dificuldades, superações e, principalmente, a motivação de cada um para continuar seguindo por esse caminho.

O start do Jägermeister Grounds foi em São Paulo nos estúdios Family Mob, Costella e Aurora. Na ocasião, quatro integrantes de bandas distintas formaram a banda “Jäger Grounds”.  Prova que enquanto o desejo de criar e produzir for maior que o medo é possível. O melhor documentário de 2018 talvez o melhor documentário dos próximos 10, 20 30 anos ….muito obrigado espero que tenha partes 2, 3,….77…enfim continuem mostrando o trabalho, esforço e filosofia das bandas independentes e autorais ….muito obrigado!  

 

Confiram:

Documentário: State of Meister Duração: 39’48”, Direção, Fotografia e Edição: Giuliano Di Martino Imagens:  Boris Filmes, Parceiros: Estúdio Aurora, Estúdio Costella, Estúdio Family Mob, Onerpm Brasil, Underdog  Produzido por: Arthur Brandão, Deborah Babilônia, Luisa Benvenuto
Trilha Sonora: A Diferença Entre Linces e Lobos – Cristo Bomba – Versão: Alexandre Capilé, Barata Test, Billy Comodoro e Jão Ratos Elenco: Alexandre Capilé (Water Rats / Sugar Kane) Allyand Mielle (Dead Fish), Amanda Buttler (Sky Down), Ana Zumpano  (Lava Divers)
Badauí  (CPM 22), Barata (Test), Billy Comodoro (Comodoro), Caique Fermentão  (Corona Kings)
Chapolla (Devilish), Chuck Hipolitho (Forgotten Boys / Vespas Mandarinas), Deborah Babilônia (Deb and The Mentals), Dieguito Reis (Vivendo do Ócio), Gabriel Zander (Zander), Giuliano Di Martino (Deb and The Mentals), Jão Carlos (Ratos de Porão), Rafael Pires (Color For Shane), Rodrigo Lima (Dead Fish), Tuti Camargo (Medulla) Realização: Jägermeister  e Interfood

Nós da Rede

Anderson Severo

Agitador Cultural em Sub_Discos
Comecei a ouvir Rock N'Roll desde minhas primeiras lembranças conscientes, desde muito cedo. Isso deve ter sido lá por 1985. Começando de cara pela minha primeira lembrança Sonora e Estética é foi e sempre será Raul Seixa, claro que com o amadurecimento e expansão da consciência, as novas lembranças são Ramones, LED Zepellin, The Doors; Conheci também já pré adolescente AC/DC, Legião Urbana, Rolling Stones e Creedence.Ainda adolescente conheci pessoas atuantes na cena local, fui trabalhar como roadie de uma banda chamada orgasmo.
Até que quis montar minha própria banda.
No decorrer da caminhada passei por projetos como:
2000 - Resistência Aflita
2004 - Kaos Eminente
2006 - Estado Crítico
2014 - Insulto Verbal
2015 - Atualmente faço parte dos Projetos
Capa Preta e Exclusão Social.
Atuo promovendo eventos, lançando e distribuindo fonogramas, divulgando bandas eventos. Sou Adepto a filosofia Punk e ouço muito Hard Core, Cólera, Ratos de Porão entre outras.
Nós da Rede

Anderson Severo

Comecei a ouvir Rock N' Roll desde minhas primeiras lembranças conscientes, desde muito cedo. Isso deve ter sido lá por 1985. Começando de cara pela minha primeira lembrança Sonora e Estética é foi e sempre será Raul Seixa, claro que com o amadurecimento e expansão da consciência, as novas lembranças são Ramones, LED Zepellin, The Doors; Conheci também já pré adolescente AC/DC, Legião Urbana, Rolling Stones e Creedence. Ainda adolescente conheci pessoas atuantes na cena local, fui trabalhar como roadie de uma banda chamada orgasmo. Até que quis montar minha própria banda. No decorrer da caminhada passei por projetos como: 2000 - Resistência Aflita 2004 - Kaos Eminente 2006 - Estado Crítico 2014 - Insulto Verbal 2015 - Atualmente faço parte dos Projetos Capa Preta e Exclusão Social. Atuo promovendo eventos, lançando e distribuindo fonogramas, divulgando bandas eventos. Sou Adepto a filosofia Punk e ouço muito Hard Core, Cólera, Ratos de Porão entre outras.