Slipknot: os dez anos da morte de Paul Gray

Em 24 de maio de 2010, morria o baixista do Slipknot, Paul Gray aos 38 anos. Vítima de uma overdose de remédios e drogas, Paul deixou a esposa Brenna e sua filha October

No aniversário de 5 anos da morte do baixista, o vocalista e amigo de longa data e parceiro de banda, Corey Taylor, falou à revista Kerrang! o seguinte:

Não há um dia que eu não pense nele. Quando estou na estrada, os shows ao vivo trazem de volta nossos tempos juntos. Quando estou em casa, esta casa e as fotos dele me lembram os bons e os maus momentos. Quando estou ouvindo música, penso em nós dois, produzindo músicas novas e antigas em seu carro ou no meu, agitando como crianças e rindo porque as coisas são incríveis.

Eu acho que essa é a memória geral que mais aprecio sobre ele: sua energia e sua emoção. Mesmo se você não estivesse ‘sentindo’ algo musicalmente ou qualquer outra coisa a ver com a banda, ele era o melhor líder de torcida do mundo. Depois de uma conversa com ele, você estaria tão pronto para tocar, fazer uma turnê ou gravar, ou o que quer que estivesse pulando de sua pele. Sempre que me sinto cansado, lembro disso. Lembro desse presente que ele e eu e o resto do SLIPKNOT conseguiu ficar juntos.

“Tive o privilégio de fazer música com Paul Gray por 13 anos. Aprendi muito com esse homem que ainda uso sua ideologia e métodos até hoje. Viajei pelo mundo com ele. coisas que muitos outros jamais esperariam em suas vidas.Ele e eu construímos uma carreira com paixão, música, raiva e arte. Podemos ter sofrido nossos altos e baixos, mas ele adorou cada minuto disso.

Avatar
Avatar

Marcio Machado

Estudante de História pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), mas com o pé no jornalismo musical, desde os 12 anos se arriscava à escrever sobre o que ouvia em cadernos, se enveredando pela escrita jornalistica do Metal desde 2016 com o Whiplash, tendo de lá para cá, 80Minutos, Headbangers News, Gaveta de Bagunças, Headbangers Brasil e recentemente o Imprensa do Rock, como casas para seus textos e chatices. Tem como bandas de cabeceira Korn, Alice in Chains e Pantera, mas fã de muita coisa dos anos 90, a melhor década.