Shaman @ Audio Club – São Paulo/SP (22/09/2018)

A espera foi imensa, 12 anos depois, finalmente o SHAMAN se reuniu com a formação original (porque não clássica né?) e fez um show épico, lindo e sensacional tocando na íntegra os álbuns “Ritual” e “Reason”, na Audio Club, entupida de fãs fervorosos que cantaram todas músicas, sem exceção, em uma noite para ser lembrada.

Conforme esperado, a banda liderada por Andre Matos começou pelo álbum “Reason”, segundo e último com todos os integrantes e “Turn Away” já fez o público em êxtase pular de alegria e emoção. Impressionante o quão poderoso é o riff feito por Hugo Mariutti ao vivo.

A faixa-título manteve a pegada com o refrão bem forte e marcante. Depois com aquele início bem típico de orquestra, veio a linda “More”, com Andre se dirigindo ao piano (impressionante o domínio dele) e a quebra de ritmo deixando a música bem pesada.

Até que veio a maravilhosa “Innocence”, que foi outro ponto emocionante do show. Foi possível ver muitos trintões e quarentões enxugando as lágrimas.

O restante do álbum foi tocado muito bem, com a banda inspirada, nem parecia tanto tempo separados por tamanho entrosamento apresentado.

Depois de “Born to Be”, uma pequena pausa para mostrar no telão da casa, um making off da gravação do primeiro álbum.

Logo em seguida, veio “Ancient Winds”, para dar início a um dos melhores álbuns do ano 2000: o conceitual “Ritual” de 2003. “Here I Am” dispensa qualquer tipo de comentário para novamente a Audio vir abaixo.

“Distant Thunder” veio logo em seguida, com toda a sua velocidade e Ricardo Confessori mostrando toda a sua técnica de costume.

Uma quebrada no ritmo para “For Tomorrow”, com todo o seu elemento folk para emendar o power metal e Andre Matos chamar todos para cantarem juntos:

“Fly, fly to the stars,
Reach them on high
Bring back the answers of the night
Roll with the clouds,
Sing with the birds,
‘Cos one day we’ll have to say goodbye!”

“Time Will Come” e “Over your Head”, foram uma bela dobradinha para que chegasse em outro ponto emocionante: Andre foi para o piano e fez um lindo solo para logo vir com “Fairy Tale”, provavelmente a música que fez mais sucesso da banda. Como foi bem executada do começo ao fim, com toda a delicadeza que se pede. O SHAMAN está de parabéns e se repetisse a música, a emoção seria a mesma.

“Blind Spell” e “Ritual” mantiveram o embalo para que o show fechasse com uma participação especial em “Pride”: Bruno Sutter apareceu no palco para fazer dueto com Andre Matos e se saiu muito bem. Infelizmente o show chegou ao final em 2 horas de duração e todo mundo voltou pra casa com aquele largo sorriso.

O vocalista do SHAMAN deixou no ar um possível retorno da banda em um futuro próximo, mas claro que o enigma continua, no entanto, se for por este show, está com uma cara que teremos material novo.

Setlist:

1. Turn Away
2. Reason
3. More
4. Innocence
5. Scarred Forever
6. In the Night
7. Rough Stone
8. Iron Soul
9. Trail of Tears
10. Born to Be
11. Ancient Winds
12. Here I Am
13. Distant Thunder
14. For Tomorrow
15. Time Will Come
16. Over Your Head
17. Fairy Tale
18. Blind Spell
19. Ritual
20. Pride

Line-up:

Andre Matos: Vocal e Piano
Hugo Mariutti: Guitarra
Luis Mariutti: Baixo
Ricardo Confessori: Bateria
Fabio Ribeiro: Teclado

Texto: Alessandro Rossi

Fotos: Leca Suzuki

Giancarlo Rossi

Giancarlo Rossi

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.
Giancarlo Rossi

Giancarlo Rossi

Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.