Saxon, uma aula de Heavy Metal @ Tropical Butantã – 2018

Noite de quinta feira, O Tropical Butantã recebeu os veteranos da Inglaterra, SAXON, banda icônica da NWOBHM, que ainda  mantém a chama acessa do bom rock e veio nos presentear com músicas do álbum novo, lançado em fevereiro desse ano: Thunderbolt e clássicos de álbuns anteriores.

Como banda convidada, a nossa brasileira, ARMORED DAWN começam a festa pontualmente as 20hs. Energeticamente , mandam a primeira do repertório do show, a power metal “Bloodstone”, do novo álbum, com ótima movimentação do vocalista, Parras ,pelo palco, e refrão cativante. E como diz uma parte da música, “O fogo vai queimar esta noite”, e começa mesmo.

A galera comemora o evento, repetindo o nome da banda.Em seguida  mandam a “Chance to live again”.

Parras nos diz que a banda esteve tocando junto com o Saxon em 5 shows pela Europa, e agora juntos no Brasil.

“Eyes Behind The Crow” vem logo a seguir, pesada, cativante e com um refrão quase pegajoso, gosto muito dessa música.

Seguimos com a quarta música, “Men of Odin”,  bem cadenciada, seguida de “Survivor”, esse hardão é bem legal

Continuamos com, “Sail Away “que já se tornou um hino para os fãs, Parras a dedica ao amigo falecido em um acidente de carro e a todos que já perderam alguém nessas circunstâncias. Durante a música, coloca seu microfone à frente para que o público cante junto. Todos cantam e aplaudem emocionados.

Ao final da canção, Parras agradece ao fã clube da banda, Dragon Club, pela presença, pois são de tantos lugares distantes e estavam ali prestigiando o show.

“Gods of Metal” vem a seguir, apresentando Fernando Giovannetti, o baixista, pois nessa divide os vocais com Parras. Sempre bom falar sobre os deuses do metal.

Antes da próxima música, o Finlândes, Timo Kaarkoski, um dos guitarrista, nos fala como gosta do Brasil e que  São Paulo é a terra do Heavy Metal.

Público reage euforicamente, e vamos para mais um som, agora é a vez de “Barbarians in Blacks”, faixa título do novo álbum.

O que ARMORED DAWN faz muito bem é uma cadência pesada e poderosa. Isso é mais eficaz em “Beware of the Dragon”, a última do show.

Apresenta a banda e agradece!!

Foram 45 minutos de um show respeitável e enérgico.

Membros:

Eduardo Parras – Vocal

Timo Kaarkoski – Guitarra

Tiago de Moura – Guitarra

Fernando Giovannetti – Baixo

Rafael Agostino – Teclado

Rodrigo Oliveira – Bateria

Setlist:

Bloodstone

Chance to Live Again

Eyes Behind the crow

Men of Odin

Survivor

Sail Away

Gods of Metal

Barbarians in Black

Beware of the dragon

 

Agora era esperar a entrada do SAXON, prevista para as 21:30. Durante a espera som mecânico de bandas clássicas dos anos 80, Iron maiden, Accept, Metallica etc…

Finalmente, faltando uns minutinhos do horário previsto para a entrada dos britânicos ao palco, eles chegam, mostrando para que vieram .

Lá estavam, Biff ,Nibbs ,Nigel,Paul e Doug, dando uma aula de heavy Metal, nos mostrando que a maturidade fez muito bem a banda.

Biff, com seu sobretudo preto, um lord Inglês, manda a primeira do show, o trovão “Thunderbolt”, música do último álbum da banda, e nome dessa Turnê, manda em seguida, sem delongas, a segunda do set, “Sacrifice”, do álbum homônimo de 2013, uma homenagem aos deuses, todos com os punhos para cima, comandados pelo mestre Biff, com belos riffs, solos e um refrão que fica “colado” em nosso ouvido. Nessa primeira metade do show, uma música engrenou na outra, como um rolo compressor e sem fazer sentir o tempo passar, sem dar trégua. Biff agita seus longos cabelos, como sempre fez, sua voz poderosa nos envolve como nos anos 80 e vem mais uma do novo álbum, “Nosferatu”, gótica, cadenciada, mostrando que SAXON é bom do  jeito que for. Saímos do castelo gótico na “Motocycle Man” com o refrão cantado a uma só voz.

A empolgação de Nibbs Carter,em “Strong Arm of the Law “é  incrível, agita, empunha seu baixo para platéia, é o rock que pulsa na veia, “stop, get out” canta a platéia. Paul Quinn é mais ponderado, sola perfeita e solenemente sua guitarra. Biff anuncia “Battering Ram”.Chama a galera à cantar, um deus dominando o palco, bateria frenética, guitarras distorcidas, isso é rock

Tropical Butantã sente a vibe da poderosa , “Power and the Glory”, de 1983. Foi de tirar o folêgo, tocaram mais rápida que o normal e podemos sentir mais forte o poder e a glória da vida.

Lá vem a décima música, “Dallas 1 PM”, os 4 se alinham à frente do palco e a visão fica mais linda. O público pede por “Crusaders”, Biff brinca e gesticula ao público  dando a entender que virá mais tarde. Anuncia “Never Surreder” e o público aplaude com muita energia.

Biff nos questiona o que queremos ouvir, “Ride Like the Wind”, ou “Broken Heroes”, acabam tocando as duas, para nosso deleite. “Thank very much”, agradece Biff e começa a porradeira de “They Player Rock and Roll”, som do novo álbum composto em homenagem aos integrantes do Motorhead que, infelizmente, não estão mais em nossa dimensão.  Bateria alucinada , a lá “Phill animal Taylor,” muita agitação, momento emocionante do show.

Cada música uma emoção, “Sons of Odin”, também do novo álbum , épica, nos remota as lutas que todos os povos tiveram e ainda tem para obter o seu lugar ao sol.

Os primeiros acordes de “Crusader” ressoam pelo local levando a galera a loucura. Biff aponta para Paul Quinn, como que dizendo: domine o lugar com seu solo de guitarra.

Para continuar a sensacional “Princess of the Night”, classicão que  não podia ficar de fora.

Saíram do palco com Biff falando “São Paulo” e lógico que ainda teríamos mais.

Voltam e lá vem mais 3 porradas.

Vem a  eletrizante “Heavy Metal Thunder”.

Ao final de “Whells of Steel”, Nibbs vem até a beira do palco, NIgel só no bumbo, Biff aponta o microfone para platéia, apresenta a banda e agradece reverenciando, continuam com o refrão da música e mais um “thank very much.”

Saem do palco e público os chama para mais: Saxon, Saxon, Saxon

Sim, eles retornam e terminam com “Denim and Leather.” Biff faz seu merchan: “comprem o novo álbum”!

Todos os músicos vem a frente para a foto final enquanto o público faz o refrão: “ole,ole,ole, olá, Saxon, Saxon.”

Jogam palhetas e se vão!!

Saxon continuam atuais, sem perder a identidade, pura energia e mestres do Rock.

Agradeço aos produtores do show, a assessoria de empresa do evento e ao Imprensa do Rock por mais essa oportunidade de ver e relatar um espetáculo desse nível.

Saxon:

Biff Byford (voz)

Paul Quinn (Guitarra)

Doug Scarratt (Guitarra)

Nibbs Carter (baixo)

Nigel Glockler (bateria)

 

Setlist

1-Thunderbolt

2-Sacrifice

3-Nosferatu (The Vampires Waltz)

4-Motorcycle Man

5-Strong Arm of the Law

6-Battering Ram

7-Power and the Glory

8-Sniper

9-The Secret of Flight

10-Dallas 1 PM

11-Never Surrender

12-Ride Like the Wind

13-Broken Heroes

14-They Played Rock and Roll

15-And the Bands Played On

16-747 (Strangers in the Night)

17-Sons of Odin

18-Crusader

19-Princess of the Night

Encore 1

20-Heavy Metal Thunder

21-Wheels of Steel

Encore 2:

22-Denim and Leather