Rod Kriger: ouça Raio a nova música

Rod Kriger: ouça Raio a nova música

Faixa instrumental é a terceira música que estará no álbum inédito a ser lançado dia 13 de Março

Created with RNI Films app. Preset ‘Kodak Gold 200 v.3’

Depois de Louvado Seja Deus, música que tem participação de Arnaldo Baptista (Os Mutantes) e Todos Gostamos de Você, Raio é o novo single de Rod Krieger e estreia com videoclipe dirigido por Thais Pimenta. A música também está disponível em todas as plataformas streaming. Para assistir ao vídeo, clique aqui.

Raio é uma música instrumental, que estará em A Elasticidade do Tempo, primeiro álbum solo que Krieger lança dia 13 de Março. Inspirada em filmes de velho oeste, foi criada depois de uma aula de sitar, instrumento indiano que o artista estudou no Brasil com Fábio Kidesh. “Havia acabado de terminar uma aula de sitar, peguei o violão e compus Raio de uma vez só, senão me engano, o Fábio compôs o sitar de primeira também e depois gravou a versão final. As guitarras foram inspiradas no Keith Richards, e, depois do resultado, gostei da levada, e optei por deixar instrumental, algo como um interlúdio entre as canções”, diz. Sobre a ter escolhido como single, Krieger conta que quis apresentar um novo lado do álbum, mais cancioneiro, diferente dos timbres eletrônicos dos dois singles anteriores.

Videoclipe

Gravado pelo celular, o vídeo aconteceu “por acaso”: “Era um domingo de manhã, Rod tinha uma gravação do clipe agendada para aquela hora, mas o diretor teve um imprevisto e foi preciso cancelar. Tomamos um café e saímos com a Aretha, nossa cadelinha. Peguei o celular e comecei a fazer alguns registros. Até que chegamos num parque e percebi que as árvores se encontravam no céu. Comecei a filmar aquilo, achei bonito e gravei um plano sequência no tempo de Raio. Fui lembrando da canção e filmando. Quando sincronizamos com o áudio, ficou bem próximo de uma videoarte, não tanto um clipe, penso. Filmamos mais algumas versões e daí finalizamos”, conta Thais Pimenta, diretora do vídeo e companheira de Krieger..

Com referências psicodélicas e trabalhos de videoartistas brasileiros como Lucas Bambozzi, Clarissa Campolina, Patrícia Moran e Cao Guimarães, a videoarte é como um transe, sensação que a música provoca.  “Para dar a sensação de transe busquei brincar com o movimento, as texturas das árvores e os raios de sol. Inclusive, as árvores me lembram veias, gosto muito disso. Raio é uma espécie de dança e ritual pra mim, isso é o que quis transmitir com o vídeo”, completa.

Krieger comenta o resultado: “Ninguém melhor para captar essa videoarte do que a Thais. Ela acompanhou todo o processo de composição do álbum. Essa textura, em plano sequência, foi uma sacada intuitiva e momentânea da parte dela, mais natural, impossível”.

Capa

Para a capa do single, a artista visual Marina Abadjieff continua o seu trabalho de colagem. Dessa vez, ela conta que também entrou no transe da música e se deixou levar. “Fui pelo movimento da música, pelo o que ela me provocou”, diz.

 

PARA ASSISTIR AO VIDEOCLIPE CLIQUE AQUI

 

 

LINKS

Bandcamp

Facebook
Twitter

Instagram

YouTube

SOBRE ROD KRIEGER

Radicado em Lisboa desde o início de 2019, no Brasil Rod Krieger foi baixista durante 15 anos na banda Cachorro Grande, com a qual gravou cinco discos de estúdio e um DVD ao vivo, além de ter percorrido as principais cidades do país com uma intensa agenda de shows.

Além disso, devido a uma performance explosiva nos palcos, a Cachorro Grande conquistou o prêmio de melhor show na extinta premiação Video Music Brasil, da MTV, e ao longo dos anos, dividiu o palco com bandas como Oasis, Supergrass, Primal Scream, Iggy Pop, Aerosmith e abriu o show dos Rolling Stones em Porto Alegre durante a turnê Olé, em 2016. Em 2018, a banda lançou um disco ao vivo com a participação de Samuel Rosa (Skank) e no final do ano, eles anunciaram o fim do grupo.

Neste período, Rod trocou cartas com seu grande ídolo, Arnaldo Baptista, com quem nutriu uma verdadeira amizade. Foi aí que o músico criou um projeto de homenagem a Arnaldo, que contou com o próprio na primeira fila na estreia que aconteceu no Teatro da CAIXA Cultural, em São Paulo, em 2018. O projeto já reuniu nomes como Karina Buhr, Thunderbird, Tatá Aeroplano, Hélio Flanders, Charly Coombes (ex-Supergrass que mora no Brasil), entre outros.

Atualmente, ele se prepara para editar seu primeiro álbum solo, A Elasticidade do Tempo, em Março de 2020.

Avatar
Nós da Rede
Avatar

Anderson Severo

Comecei a ouvir Rock N' Roll desde minhas primeiras lembranças conscientes, desde muito cedo. Isso deve ter sido lá por 1985. Começando de cara pela minha primeira lembrança Sonora e Estética é foi e sempre será Raul Seixa, claro que com o amadurecimento e expansão da consciência, as novas lembranças são Ramones, LED Zepellin, The Doors; Conheci também já pré adolescente AC/DC, Legião Urbana, Rolling Stones e Creedence. Ainda adolescente conheci pessoas atuantes na cena local, fui trabalhar como roadie de uma banda chamada orgasmo. Até que quis montar minha própria banda. No decorrer da caminhada passei por projetos como: 2000 - Resistência Aflita 2004 - Kaos Eminente 2006 - Estado Crítico 2014 - Insulto Verbal 2015 - Atualmente faço parte dos Projetos Capa Preta e Exclusão Social. Atuo promovendo eventos, lançando e distribuindo fonogramas, divulgando bandas eventos. Sou Adepto a filosofia Punk e ouço muito Hard Core, Cólera, Ratos de Porão entre outras.