Resenha: Transatlantic @ Carioca Club – São Paulo, SP – 13/02/2014

3

Quinta-feira… mais um dia de trabalho, final de semana chegando, aquele tédio e ansiedade nos consumindo. Tudo ao mesmo tempo e um calor insuportável do verão mais quente no país há muitos e muitos anos. E aquela chuva que todos estavam esperando a muito tempo chegou, e com tanta força que fez com que a cidade de São Paulo simplesmente parasse. Com obras de estações de trem, corredores de ônibus, e outras a todo vapor, neste ano de copa do mundo (imagino o quanto o governo brasileiro deva estar superfaturando com isso), pelo menos uma coisa fazia-nos esquecer de todos esses problemas: veríamos Transatlantic algumas horas mais tarde.

6

Foto por: Gil Oliveira

Bem localizado, ao lado de metrô, a casa de shows Carioca Club recebe constantemente shows de rock, metal, de pagode e outros estilos bem ecléticos. Era bacana ver pessoas de várias tribos e idades, homens vestidos completamente de roupa social, os seguranças e os curiosos da casa que mesmo vendo pela cara que não curtiam o estilo, paravam e observavam por alguns instantes principalmente a fantástica performance de Roine Stolt (The Flower Kings) e a bela performance na bateria de Mike Portnoy.

2

Foto por: Gil Oliveira

Chegando em cima da hora no Carioca Club, corri pra arrumar um espaço ali no meio da galera. Infelizmente (ou felizmente talves) devido a diversas circunstâncias alguns horários da casa foram previamente trocados fazendo com que o super-grupo subisse ao palco somente as 19h40 com a belíssima introdução de “Into The Blue”. A animação tanto dos integrantes como do público presente era indiscutível.

Mike Portnoy é um multi projetista. Após a sua saída do Dream Theater em 2010, o mesmo participou da banda Avenged Sevenfold, após isso, mostrou uma tremenda e contínua competência ao se juntar com a galera do Adrenaline Mob. E com toda sua empolgação e animação, vimos um novo projeto ali ao vivo. Tocando um som de 25 minutos, pegando seu “feeling” e carisma, toda sua brincadeira e palhaçada, o músico se entrosando o tempo todo, ao final da música, Portnoy cumprimenta e solta um: “Boa noite, São Paulo! É muito bom estar no Brasil pela sétima vez em quatro anos. Mas esta é a primeira com o Transatlantic no país! É a primeira vez em 50 anos de Neal Morse por aqui, não é?”. E ainda tentando enturmar o velho Neal, “Ei, Neal, vai, diz obrigado!, obrigado!, obrigado!” e por final, o tecladista acabou por se rendendo, e sorridente, soltou um alegre “Obrigado!”.

1

Foto por: Gil Oliveira

Com a segunda música sendo já um “clássico”, pois estávamos voltando cerca de 14 anos atrás, lá no primeiro álbum “SMPT:eStolt/Morse/Portnoy/Trewavas”, o público cantou fielmente frase por frase, refrão por refrão. Víamos o povo agitado, pessoal perto da grade pulando freneticamente e aquele ótimo progressivo de 16 minutos, ecoando em nossos ouvidos.

Após a participação de Ted Leonard (Spock’s Beard) cantando e tocando guitarra, e a clássica “Shine” trazendo ótimas mensagens, chega  a hora de um verdadeiro medley (normalmente ouvimos esses sempre ao final do show, mas quando se trata de progressivo, tudo pode acontecer). Esse medley era composto por gigantes faixas como “A Man Can Feel Rose Colored Glasses” e “Is It Really Happening?” trazendo assim uma longuíssima “faixa” com uma hora de duração. Para a nossa surpresa, Mike Portnoy levantou ao final, foi até a beira do palco e brincou torcendo sua camiseta insinuando que estava extremamente suado, tocando por tanto tempo.

5

Foto por: Gil Oliveira

Logo após, com a “We Need Some Light” a banda trouxe aquele clássico “isqueiro” de volta a ativa, fazendo a plateia levantar em sua grande maioria, iluminando o Carioca com uma luz especial. Passamos também consequentemente pela “Black As The Sky” e os 30 longos minutos de “Kaleidoscope”. Contando ao final, com um breve bis que misturava as canções “All of The Above” e “Stranger in Your Soul” essa que também seguiu como um novo medley pra fechar o show.

4

Foto por: Gil Oliveira

Resumindo, foi uma fantástica noite para uma balada no meio da semana. Encerramos o dia com um ótimo progressivo. Todos os integrantes surpreenderam desde os mais novos, até os mais velhos ali presentes. Carioca Club abarrotado de pessoas. O único ponto baixo da noite foi que conforme programação da casa, após algumas horas mais pra frente, aconteceria um show de pagode que provocou uma leve alteração na set-list (o show foi mais curto do que o esperado – Sim, estava programado para 3 horas). Fora isso, não tenho do que reclamar. Só elogiar o ótimo show, o bom tempo e a rapidez com que tudo aconteceu.

Links relacionados:

LINE-UP:

  • Neal Morse (vocal/guitarra/teclado – ex-Spock’s Beard)
  • Mike Portnoy (bateria – ex-Dream Theater)
  • Roine Stolt (vocal/guitarra – The Flower Kings)
  • Pete Trewavas (baixo – Marillion)

Transatlantic @ Carioca Club – 13/02/2014 – SP

  1. Into The Blue
  2. My New World (com introdução de Mike Portnoy)
  3. Shine (com introdução de Neal Morse)
  4. Whirlwind Medley
  5. We all Need Some Light
  6. Black as the Sky
  7. Kaleidoscope (com introdução de Neal Morse)
  8. All of the Above / Stranger in Your Soul
  • Redação: Victor Santos
  • Fotos gentilmente cedidas por: Gil Oliveira – Facebook

Obrigado THE ULTIMATE MUSIC PRESS pela atenção e o credenciamento.

Victor Santos

Victor Santos

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Victor Santos é editor-chefe do Imprensa do Rock e Diretor Geral do Programa Unimetal. Desde 2011, vem trazendo conteúdo de qualidade para os amantes da música e do cinema.
Victor Santos