Resenha: Project 46 – Que Seja Feita a Nossa Vontade.

O metal nacional anda bem em alta a cada ano e as bandas veem lançando ótimos discos e com uma monstruosa qualidade sonora e gráfica. Esse grande profissionalismo se dá pelo fato da turma levar a coisa a sério, buscando sempre se destacar fortemente no cenário mundial e com louvor e merecimento estão conseguindo nos colocar como os grandes do Metal com originalidade e competência. Sendo assim, o Project 46 nos presenteia com um som agressivo e potente com o disco “Que Seja Feita a Nossa Vontade”.

Esse disco nos trás uma bela qualidade profissional dos músicos e amadurecimento. Composições acima da média e melodias fora de série. “Trampam” um Metalcore apuradíssimo e letras de cunho político e protestos, dão a entender que a banda está completamente disposta a fazer a diferença, pois temas como esse tendem a ser de grande polêmica, enfatizado e buscando ter sim um grande apoio por quem curte o som.

336651394642790

Falando da parte técnica o som mostrado aqui trás ótimos trabalhos das guitarras, vocais bastante agressivos e destacando também a cozinha que tem um peso descomunal, podendo ouvir o baixo bem pesado e com ótimas escalas.

Mostrando que a banda não está de brincadeira, “Caos Renomado” dá início a pancadaria, com um riff pesado e pegada thrash e um solo muito bem executado, ótimas linhas de vocais urrados. “Foda-se (Se depender de nós)” é uma pancada com um início de pura agressividade, bateria completamente esmagadora e um solo curto, mas muito bem feito. “Erro +55” mostra realmente a realidade em que o país atravessa, criticando o valor que o governo dar ao priorizar o futebol e esquecer literalmente de outros órgãos como educação e saúde. “Desordem e Progresso” entra na mesma veia das anteriores e merecem uma grande atenção no disco.

“Carranca” e “Na vala” se consistem na mesma saga das anteriores. “Empedrado” aborda um tema que se assola Brasil afora, que é o aumento do tráfico e lama que as drogas deixam o usuário por “prometer” algo que não existe ao ser usada, um dos temas mais forte do disco, sem esquecer a agressividade que cada música exerce deixando qualquer um com o pescoço a mil!

Encerrando com “Vergonha na Cara”, podemos sim aplaudir de pé uma banda com atitude e coragem de “vomitar” tudo aquilo que acontece no cotidiano do país, citados de forma explicita para que possamos ver que realmente ainda existem pessoas preocupadas em ver um progresso digno. Um disco que valerá sempre fazer presente na discografia de todos.

Nota: 09

Músicas:

  1. Caos Renomeado
  2. Foda – se (se depender de nós)
  3. Erro + 55
  4. Desordem e Progresso
  5. Carranca
  6. Na Vala
  7. Empedrado
  8. Veneno
  9. Em nome de Quem?
  10. Vergonha na Cara

Membros:

  • Caio MacBeserra (Vocal)
  • Jean Patton (Guitarra)
  • Vini Castellari (Guitarra)
  • Rafa Yamada (Baixo/Vocal)
  • Henrique Pucci (Bateria)
Victor Santos

Victor Santos

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Victor Santos é editor-chefe do Imprensa do Rock e Diretor Geral do Programa Unimetal. Desde 2011, vem trazendo conteúdo de qualidade para os amantes da música e do cinema.
Victor Santos