Resenha: Kilmara – Love Songs And Other Nightmares

Versão em Português

Kilmara é uma banda relativamente nova, lançando seu primeiro disco em 2007. Já com seus sete anos de estrada a banda surge com o debut “Love Songs And Other Nightmares”, sendo o terceiro da discografia dos espanhóis. Continuando com a mesma pegada, a banda investe em um Power Metal com nuances Prog de muito bom gosto e responsabilidade.

A produção do álbum ficou por conta do grandioso Roland Grapow (Masterplan, Helloween), em seu próprio estúdio na Eslováquia. Com certeza o material encontrado aqui é de uma qualidade bastante agradável e de aceitação realmente fácil. Se tratando de uma banda onde o estilo proposto teve seu ápice no final dos anos 90 e início de 2000, hoje se encontra obsoleto e maçante, mas a banda aqui conseguiu criar um disco com identidade e bem longe de coisas clichês e previsíveis.

Se tratando dos músicos, pois bem, o trabalho de guitarras aqui é fascinante, com belos riffs e melodias cativantes. O trabalho da cozinha, coisa que no estilo tem que ser de puro sincronismo, aqui não fica devendo em nada, sempre alinhado e um som “groove” do baixo ao longe é de bastante talento. O vocalista impõe muita técnica e nada de exageros, agudos bem acentuados e muita firmeza.

As onze músicas do disco seguem a mesma linha, procurando manter o bom nível, mas construídas de maneira diferente, como a empolgante e grudenta “The Break Up”. A música que sequencia “Cold Rain” segue na mesma proposta em termos de letra e também em um refrão bastante cativante. “Believe” surge como uma semi balada, alternante como alguns momentos de excitação, mas nada que atrapalhe o bom andamento disco.

Um dos grandes momentos do disco fica ao encargo de “Usual Strangers”, mostrando um Power Metal “old school” e genuíno com um belo duo de guitarras. “Alpha” já se consiste em uma pegada mais sinfônica no estilo, se trata também de uma grande música. As três músicas finais do disco são de arrepiar os cabelos por um motivo bastante interessante, a banda resolveu encarar uma espécie de desafio, mesclando pegadas Hard Rock e mostrando um som mais básico, mas de maneira bastante pretensiosa que não tirou o brilho do disco como a música “Play To Win”, onde o vocalista Chris Wolf tira um coelho da cartola e canta de maneira monstruosa, honras que podemos dar também a “Time Flies” que encerra o disco de maneira realmente ótima.

O Kilmara se encontra em uma excelente com o novo disco e logo estará em grandes turnês e festivais pelo mundo, pois o que se encontra aqui é de muito profissionalismo e bom gosto. Procure ouvir de mente aberta e satisfação será garantida!

kilmara_love_songs_and_other_nightmares-portada

Capa do disco

English Version

Kilmara is a relatively new band, releasing their first album in 2007 already with seven years on the road the band emerges with debut “Love Songs And Other Nightmares”, the third being the discography of Spanish. Continuing with the same footprint, the band invests in a Power Prog Metal with hints of very good taste and responsibility.

The production of the album was on account of the great Roland Grapow (Masterplan, Helloween), in his own studio in Slovakia. Certainly the material found here is a very nice quality and really easy acceptance. If dealing with a band where the proposed style peaked in the late 90th and early 2000s, today is obsolete and dull, but here the band has managed to create a record with identity and well away from clichés and predictable things.

If dealing with musicians as well, the guitar work here is fascinating, with beautiful riffs and catchy melodies. The kitchen work, something that has to be in the style of pure timing here is not anything should always aligned and a sound “groove” bass in the distance is quite talented. Vocalist requires a lot of technique and no exaggerations, and sharp treble and very firmly.

The eleven songs on the album follow the same line, trying to keep the good level, but built differently, as exciting and catchy “The Break Up”. The song sequence “Cold Rain” follows the same proposal lyrically and also a very catchy chorus. “Believe” appears as a semi ballad, alternating as some moments of excitement, but nothing that hinders the smooth running hard.

One of the great moments of the disc is the charge of “Usual Strangers”, showing a Power Metal “old school” and genuine with a beautiful guitar duo. “Alpha” is already in a more symphonic style footprint, this is also a great song.

The final three songs of the album are hair-raising for a very interesting reason, the band decided to face some sort of challenge, mixing Hard Rock and footprints showing a more basic sound, but in a rather pretentious way that did not take away the brightness of the disk as the song “Play To Win”, where singer Chris Wolf pulls a rabbit out of the hat and sings in a monstrous way, we can also give honors to “Time Flies” that closes the disc really great way.

The Kilmara is in excellent with the new album and will soon be in major tours and festivals around the world, because what is here is very professional and tasteful. Look listen with an open mind and satisfaction is guaranteed!

Nota: 09

 

Músicas:

  1.  Fantasy
  2. Devil’s Eye
  3. The Break Up
  4. Cold Rain
  5. Believe
  6. Nothing To Me
  7. Usual Strangers
  8. Alpha
  9. Insomnia
  10. Play To Win
  11. Time Flies

Membros:

  • Christian Wolfgang Kohl – vocals
  • Jonathan Portilo – guitar
  • Enrique Torres – guitar
  • Raul Ruiz – bass guitar
  • Javi Morillo – drums

Resenha: Leandro Fernandes

Victor Santos

Victor Santos

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Victor Santos é editor-chefe do Imprensa do Rock e Diretor Geral do Programa Unimetal. Desde 2011, vem trazendo conteúdo de qualidade para os amantes da música e do cinema.
Victor Santos