Resenha: Higher – Higher

Músicos com um alto talento na música deram vida a uma banda que promete e muito ser uma das grandes no cenário do Metal Nacional. Os cinco integrantes têm suas formações musicais, o mais curioso é que os mesmos seguiam uma linha Jazz e sendo assim resolveram apostar na vertente metálica e o resultado foi algo surpreendente.

O conteúdo encontrado no debut é de uma riqueza e qualidade absurda, músicas bem alinhadas, composições fortes e interessantes. A linha instrumental mostra-se afiada a começar pelo grande trabalho dos vocais de Cesar Girardi, com um potencial e um timbre único, as guitarras são precisas e com riff’s e bases bem variadas produzidos com muito feeling. Aquilo que impõe o grande peso na banda fica por conta da cozinha, um baixo que se destaca o disco inteiro com um belo trabalho de escalas, assim como a bateria que firme e pesada, com uma bela alternância nos pedais, Pedro Rezende construiu um belo trabalho com suas baquetas.

1414942188

Capa do Disco

Com uma pegada Heavy Metal mesclada no saudosismo e também inovado, as nove canções aqui impressionam, pois o clichê passa longe de todas elas. “Lie” surge abrindo o disco com densidade e peso, um vocal bem agressivo e potente, grande destaque para o “trampo” das guitarras, bem variado e técnico, assim como o solo, curto, mas dentro dos padrões impostos. “Ilusion” entra em uma veia saudosista, com certa pegada “Blind Guardian” em determinadas partes. “Keep Me High” é mais técnica e mostra um refrão bem empolgante, fato que é “Climb The Hill” muda completamente, pois se trata de uma mais cadenciada, com riff’s pesados e uma cozinha bem detalhada.

Entrando na metade do disco com “Like The Wind” e “Break The Wall”, temos duas canções já em veias progressivas fato que pode ser notado com mais evidência na última citada, uma das ricas do disco. “Time to Change” também segue a mesma linha em uma pegada carregada e com mais peso, destaque para o refrão. “Make it Worth” se destaca pela variação vocal de Cesar, com timbres firmes e melódicos. Finalizando com “The Sign”, a banda conseguiu de forma honrosa criar um excelente disco que de fato irá agradar sem muito esforço aos amantes de um Heavy Metal bem trabalhado e diferente. Vale muito a pena fazer parte de sua coleção. Que venha o próximo!

 

Nota: 09

 

 

Músicas:

  1. Lie
  2. Illusion
  3. Keep Me High
  4. Climb The Hill
  5. Like The Wind
  6. Break The Wall
  7. Time To Change
  8. Make It Worth
  9. The Sign

 

Membros:

  • Cezar Girardi (vocal)
  • Gustavo Scaranelo (guitarra)
  • Felipe Martins (guitarra)
  • Andrés Zúñiga (baixo)
  • Pedro Rezende (bateria)

 

Resenha: Leandro Fernandes

 

 

Victor Santos

Victor Santos

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Victor Santos é editor-chefe do Imprensa do Rock e Diretor Geral do Programa Unimetal. Desde 2011, vem trazendo conteúdo de qualidade para os amantes da música e do cinema.
Victor Santos