Resenha: Genocídio + Dark Tranquillity @ Clash Club – São Paulo, SP – 19/01/14

Janeiro, um novo ano se iniciando, depois de quase 500 artistas terem se apresentados no Brasil inteiro entre o ano de 2013, nesse começo de 2014 onde o calor do verão domina e a chuva cai sem piedade nenhuma, parece que São Pedro deu uma trégua e quis curtir o domingo conosco, deixando o dia seco e com um calor de quase 30 graus. Ponto positivo para os fãs que dependem de transporte público onde em dias de chuva e principalmente no domingo, demoram o dobro do tempo pra passarem.

Em 2013 tivemos oportunidades divinas de assistir várias bandas lendárias que passaram pelo país, em 2014 não está sendo diferente. O ano é aberto com a apresentação de Dark Tranquillity em São Paulo, junto da banda de abertura Genocídio, que teve uma tremenda oportunidade em apresentar suas composições com exemplos clássicos de: “Birth of Chaos“, “Kill Brazil“, “In Love With Hatred” e por final, o encore que finalmente fez o publico se animar com o som da banda: “Settimia“, “The Clan” e “Uproar“.

0

Genocídio, banda na ativa desde o finalzinho dos anos 1980, estreou com uma nova formação de peso, tendo em seu novo line-up: Murilo Leite (guitarra/voz), Wanderley Perna (baixo), Rafael Orsi (guitarra) e João Gobo (bateria). Ouvindo a banda pela primeira vez, adorei ter descoberto um novo som, nada complicado, fácil de ouvir e entender, sem exageros, na medida certa.

O Dark Tranquillity, veio pela segunda vez ao Brasil, tendo como rota única a capital São Paulo, sendo esta apresentação o segundo show da turnê “Latin America Tour“, que apresenta o novo álbum “Construct“, lançado em 2013. Os suecos, pioneiros do “death metal melódico” fizeram uma apresentação arrasadora no último domingo.

1

O quinteto que é formado por: Mikael Stanne (vocal), Niklas Sundin (guitarra), Martin Henriksson (guitarra), Anders Jivarp (bateria) e Martin Brändström (teclado), subiu ao palco do Clash Club exatamente as 20:25, já sem piedade nenhuma, “atacaram” o público com faixas de seu novo trabalho e clássicos já consagrados da banda. O ponto forte de todo o show, foi a incrível presença de palco do vocalista, onde em praticamente todas as músicas cumprimentava os fãs presentes e felizmente tive a rara oportunidade de seu cumprimento por duas vezes durante o show.

12047940573_77767d744f_b

12047942523_344d89f7e7_b

Os detalhes da apresentação foi o diferencial, em vez de clássicos panos de fundo, em certas músicas ou era exibido no telão o logo do DARK TRANQUILLITY, como vez ou outra os lyrics vídeos (como são chamados, aqueles vídeos que contém diversas imagens recortadas e que acompanham as letras das músicas) e por final, destacamos o “Zero Distance” que teve seu vídeo-clipe exibido na íntegra durante a apresentação.

Outro detalhe do vocalista Mikael Stanne, foi que, em um certo momento um fã ofereceu a bandeira do Brasil para ele homenagear o público brasileiro. Ele fez questão de pegar a bandeira e ficar durante toda a canção exibindo-a, e o melhor, ainda devolveu ao final da música a bandeira para o fã.

2

Tem como não torna-se fã desse cara? De novo Mikael… Quando perguntado se todos os presentes haviam adquirido já alguma cópia do novo trabalho da banda, o vocalista ali percebendo que um fã segurava um vinil (ao qual não consegui reconhecer de qual trabalho era), pegou e exibiu a todos a belíssima atitude do fã em ter o material da banda em devido formato físico e original.

As canções que mais marcaram em nossa opinião, além das músicas do novo álbum “Construction“, foram, “White Noise/Black Silence“, “The Fatalist“, “The Silence in Between“, “To a Bitter Halt“, “Punish My Heaven” e “Misery’s Crown“, que tiveram seus pontos altos durante todo o show, e que animaram o público presente do começo ao fim, fazendo assim, todos pularem e suarem muito.

Por fim, todos os integrantes fizeram excelentes performances, cada solo de guitarra, virada de bateria, baixo gravíssimo, fizeram realmente tremer o Clash Club, e não podemos esquecer de Martin, ao qual mesmo lá no fundo do palco, ali bem no cantinho do amplificador, dava pra ver o sorriso estampado em seu rosto por ver um público faminto por música ao vivo e principalmente felizes por estarem vendo o Dark Tranquillity naquela noite.

Dark Tranquillity @ Clash Club, São Paulo, SP – 19/01/14

  1. The Science of Noise
  2. White Noise/Black Silence
  3. What Only You Know
  4. The Fatalist
  5. Zero Distance
  6. The Silence in Between
  7. The Mundane and the Magic
  8. Monochromatic Stains
  9. The Wonders at Your Feet
  10. To a Bitter Halt
  11. Silence, and the Firmament Withdrew
  12. Terminus (Where Death Is Most Alive)
  13. State of Trust
  14. Endtime Hearts
  15. ThereIn
  16. Lost to Apathy
  17. Lethe
  18. Punish My Heaven
  19. Misery’s Crown

Texto por: Victor Santos / Fotos por: Fernando Yokota

Agradecimento para THE ULTIMATE MUSIC – PR pela atenção e o credenciamento

e ao Fernando Yokota do site Whiplash.Net, por ter concedido as fotos.

Victor Santos

Victor Santos

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Victor Santos é editor-chefe do Imprensa do Rock e Diretor Geral do Programa Unimetal. Desde 2011, vem trazendo conteúdo de qualidade para os amantes da música e do cinema.
Victor Santos