Ratos de Porão + Surra @ Sesc Pompeia – São Paulo/SP (02/08/2019)

Dia 02, numa sexta-feira, na comedoria do Sesc Pompeia, a noite foi de muita pancadaria no bom sentido para os shows que Surra e Ratos de Porão protagonizaram para delírio de quem ficou boa parte do tempo no bate cabeça insano no meio do palco.

Para começar bem a fria noite na capital paulista, o trio formado no ano de 2012 em Santos promoveu o álbum “Escorrendo pelo Ralo” lançado neste ano.

Foi um desfile de thrash metal com punk e músicas diretas e pesadas, com destaques para o vocalista e guitarrista Leeo Mesquita, com uma voz rasgada, rápida e mordaz somando um potente riff.

Mesmo com um show que durou pouco mais de meia hora, foi incrível as interações dos fãs da banda, que subiam ao palco e cantavam juntos as músicas para logo em seguida se jogarem no mosh.

Logo em seguida no fundo do palco estava o banner gigante com a capa do álbum “Brasil” de 1989, era a vez da lendária banda Ratos de Porão executar na íntegra e comemorar os 30 anos deste trabalho.

A sensacional “Amazônia Nunca Mais” retrata que de 30 anos para cá pouca coisa mudou: “O homem branco com seu sujo poder escravizou e prostituiu. Se aproveitou da pura inocência dos verdadeiros filhos do Brasil”.

Segundo muitos fãs da banda é o melhor trabalho da história da banda, além das letras recheadas de protestos com um punk rock e thrash metal.

Depois de estar internado com pneumonia, João Gordo resolveu encarar outra noite de show e mesmo com dificuldades para falar cantou sem problemas e destilou todo o seu ódio para o cenário atual do país.

A cada música ele fazia alguma analogia com a política brasileira, principalmente o atual governo e o público comemorava.

Convenhamos que quem ficou sentido com cada insulto do líder e vocalista do Ratos de Porão não estudou nem um pouco do que a banda transmite, mas isso é assunto para outra hora.

Uma das minhas músicas favoritas deste álbum é “Beber até Morrer” que retratou bem muitas pessoas que se afogam em beber ou se drogar para esquecer dos problemas e ficar em uma realidade que não existe.

Infelizmente o álbum acabou rápido e já era hora do bis, onde Gordo tirou mais um pouco de força para aguentar até o final.

Mesmo assim veio com mais pedradas que dificilmente ficam de fora de um show do Ratos, inclusive “Crucificados pelo Sistema” e para fechar muito bem a noite veio “Obrigado a Obedecer”.

Agora é torcer para que o líder da lendária banda fique saudável o quanto antes para continuar a desfilar o melhor do punk e thrash metal.

Texto: Alessandro Rossi

Fotos: Leca Suzuki

Giancarlo Rossi

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.
Giancarlo Rossi
Avatar

Giancarlo Rossi

Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.