Ratos de Porão: coletiva de imprensa para novo CD “Século Sinistro” em São Paulo

RDP-COLETIVA-001

RDP-COLETIVA-001A Imprensa do Rock, na última sexta-feira (30), em São Paulo, no Partisans Pub, conferiu a coletiva de imprensa do novo CD do “Ratos de Porão”, intitulado “Século Sinistro”. Com alguns aperitivos e duas cervejas da banda a disposição para degustação “Crucificados pelo Sistema” e “João Gordo” era possível notar uma coletiva bastante cheia e com uma harmonia equilibrada. Confira um resumo do que foi essa entrevista.

Ao comando da coletiva se deram “Jão Ratos” e “João Gordo” que falaram sobre o novo CD, copa do mundo, o caminho da banda caso algum dos integrantes resolvessem algum dia abandonar o barco: “Meu, só se rolasse uma treta muito grande para que alguém da banda saísse fora”, dizia João Gordo. E muito mais.

Sobre a capa, quem acompanhou o último Grammy Awards viu que o famoso ‘selfie’ se originou com base na foto, digamos, “recheada” de famosos e que foi uma das mais compartilhadas do mundo até agora nas redes sociais. Se você se deparar com um grupinho de amigos no meio da rua fazendo isso, já sabe onde isso tudo começou. E sobre a bela opinião de João sobre isso: “A arte foi feita pelo “Ricardo Tatto”, ele trabalhava no “Cavalera” e era amigo do Igor, com um esboço de um Split guardado do “Ratos de Porão” que não saiu não sei o por quê, mas sempre paguei um pau pra arte desse cara, a textura da arte, os detalhes, é tudo muito legal.” Continuou: “Sobre o significado dá pra ver a maçã, que é o símbolo da “Apple”, e a cruz de Jesus de “Século Sinistro” que é o que: Se você vai morrer, você vai registrar com o iPhone ou com algum celular, e compartilhar nas redes sociais para os seus amigos. É o cúmulo do ridículo, tudo que você faz quer simplesmente registrar”, completou.

Para a Imprensa do Rock, perguntamos sobre o levantamento de público, se eles buscam alcançar outro tipo de fãs que eles acham que gostariam de ouvir o som, ou se simplesmente queriam permanecer com os fãs leais, aqueles que os acompanham desde o começo e tendo direito até uma brincadeirinha de João Gordo ao dizer que esqueceu a pergunta, respondeu alegre: “Cara, novos públicos, tem sempre gente aparecendo bem menos e percebemos uma coisa nisso tudo, os filhos estão curtindo. O molequinho vai lá, pequenininho, curtir nosso show, o pai vai junto, esse show que a gente foi gravar lá pra Nova York, a gente viu que uma multidão de povo latino estavam presentes sabe, não só como os americanos como o povo latino por que eles se identificam muito também. Pelo fato de cantar em português o ‘nego’ se identifica com a gente e começou assim, uma geração de jovens latinos americanos e latinos europeus também, italianos, franceses, na Europa inteira fazemos shows e assim, é tudo muito válido isso. E quem escuta “Mc Guimé” não vai escutar “Ratos de Porão” tá ligado? Quem curte esses caras, gosta de Mizuno, de 1100”. E para finalizar voltando um pouco sobre o assunto do ‘selfie’: “Acabamos que passando por idiotas, parece que o povo brasileiro se revelou isso, vai lá na rede social, posta “Vou cagar, caguei gostoso.” é ridículo isso tá ligado? É uma plataforma de se mostrar como eu sou foda, como eu sou fodido, bonzinho, é uma coisa de mostrar o puro egoísmo”.

Outros assuntos também vieram a tona como em toda entrevista, essa modernidade abusiva que estamos vivendo nos dias de hoje, câmeras e mais câmeras de celulares registrando tudo a qualquer momento, política corrupta e manipulação da grande mídia.

Victor Santos

Victor Santos

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Victor Santos é editor-chefe do Imprensa do Rock e Diretor Geral do Programa Unimetal. Desde 2011, vem trazendo conteúdo de qualidade para os amantes da música e do cinema.
Victor Santos