Phil Collins e The Pretenders @ Allianz Parque – São Paulo/SP (25/02/2018)

Pela primeira vez em carreira solo, o lendário PHIL COLLINS, esteve no Brasil para quatro apresentações, sendo duas em São Paulo, uma no Rio de Janeiro e a outra em Porto Alegre. Turnê intitulada como “Not Dead Yet”, sem dúvidas, PHIL COLLINS, é um dos maiores artistas que o Rock já teve em sua história. Uma grande carreira extremamente importante, relevante, histórica, do mais puro talento que alguém pode encontrar.

Com vendas superiores de 100 milhões de discos pelo mundo, PHIL COLLINS provou nesse show o artista que ele realmente é. Não só pelo seu grande talento, como pelo seu carisma, sua motivação e a sua superação em fazer uma apresentação extraordinária, perfeita e impecável em terras brasileiras.

A banda responsável pela abertura dos shows do PHIL COLLINS pelo Brasil, foi o PRETENDERS. Clássica banda de rock da década de 80, PRETENDERS marcou a história do rock e marcou várias décadas com músicas fantásticas, um grande número de fãs e realizando shows extremamente divertidos e prazerosos. Foi a banda perfeita para fazer essa grande turnê ao lado do PHIL COLLINS.

The Pretenders

Uma das maiores bandas de Rock de todos os tempos, THE PRETENDERS, fez uma apresentação de aproximadamente uma hora e nesse tempo, o PRETENDERS mostraram o quanto eles são admiráveis, excepcionais e respeitáveis.

Liderada pela vocalista e guitarrista, Chrissie Hynde, a banda nos apresentou um excelente repertório, desde grandes clássicos que marcaram a história do Rock, até o mais recente álbum “Alone” de 2016. Resultado disso, foi em uma apresentação extremamente divertida, empolgante, prazerosa e fascinante.

Assistir a Chrissie Hynde ao vivo, é um privilégio. Uma incrível performance e talvez, uma das melhores performances em palco da história do Rock. E também, uma das melhores frontwomen de todos os tempos, ela é completamente talentosa, simpática, carismática e animada. Com uma voz perfeita e intacta, ela fez um trabalho perfeito nos vocais, provando ser uma das melhores vocalistas do mundo. E nas músicas em que ela tocou guitarra, fez também um trabalho magnífico e digno de puro talento.

Os músicos acompanhados fizeram ótimos trabalhos e mostraram o quanto são capazes de estarem na banda. O baterista, junto com a Chrissie, um dos membros da formação original, Martin Chambers, mostrou suas habilidades e suas técnicas bem aplicadas na apresentação. Os outros integrantes da banda, o guitarrista James Walbourne, o baixista Nick Wilkinson e o tecladista Carwyn Ellis, realizaram bons trabalhos em cada música executada e mostraram seus grandes talentos na noite.

A banda sobe ao palco e já inicia a apresentação com a música “Alone” do seu último álbum de estúdio de nome homônimo, lançado em 2016. Já entrando com as clássicas, veio “Talk of the Town” e para empolgar o público e fazê-los dançarem um pouco, veio um dos maiores hits da banda “Back on the Chain Gang”. Depois, a Chrissie Hynde, apresentou o baterista Martin Chambers, os únicos integrantes da formação original, para executarem “Private Life”, do primeiro disco, “Pretenders” de 1980.

A gostosa e empolgante “Brass in Pocket” foi executada, também do primeiro disco da banda. A bonita balada “Hymn To Her” foi tocada, para depois vim “Stop Your Sobbing”, cover da banda The Kinks e também, uma das faixas do seu primeiro álbum de estúdio. A excelente “Message of Love” e a linda “I’ll Stand by You”, vieram na sequência. A próxima música a ser tocada, foi a “Forever Young”, cover do Bob Dylan e faz parte do álbum “Last of the Independents” de 1994.

Em seguida, veio “Down the Wrong Way”, canção do álbum solo da Chrissie Hynde, “Stockholm”, de 2014. A agitada “Don’t Get Me Wrong”, foi a próxima, seguida pela “Mystery Achievement”, possuindo um excelente riff no baixo, onde a Chrissie apresentou o baixista Nick Wilkinson, que fez um ótimo trabalho na noite. E para encerrar esse maravilhoso show, o Martin Chambers, fez um pequeno solo na bateria e logo já dar início a “Middle of the Road”. Bem vibrante e animada, o PRETENDERS finalizou essa apresentação mega divertida, de puro talento e com agradecimentos da Chrissie ao público e falando que voltarão.

THE PRETENDERS fez uma incrível, admirável, animada e inesquecível apresentação no Allianz Parque. Com um excelente repertório de 14 músicas executadas, PRETENDERS mostrou a todos o quanto a banda é extraordinária e conceituada quando se fala de Rock. Agora, é esperar o retorno da banda e esperamos que seja o mais rápido possível.

Setlist:

1. Alone
2. Talk of the Town
3. Back on the Chain Gang
4. Private Life
5. Brass in Pocket
6. Hymn To Her
7. Stop Your Sobbing (The Kinks cover)
8. Message of Love
9. I’ll Stand by You
10. Forever Young (Bob Dylan cover)
11. Down the Wrong Way
12. Don’t Get Me Wrong
13. Mystery Achievement
14. Middle of the Road

Line-up:

Chrissie Hynde – Vocal e Guitarra
Martin Chambers – Bateria
Nick Wilkinson – Baixo
James Walbourne – Guitarra
Carwyn Ellis – Teclados

Phil Collins

Com o público vibrando muito, o PHIL COLLINS subiu no palco e já saudando a todos que estavam presentes e agradeceu as grandes ovacionadas pelos fãs e até perguntou: “Estão prontos ?”. O público vibrou ainda mais e deu início com a linda “Against All Odds (Take a Look at Me Now)”, o que fez o estádio todo entrar em delírio e se emocionarem com essa maravilhosa canção. Continuando, veio “Another Day in Paradise”, um dos maiores hits dele, possuindo um riff marcante nos teclados, o PHIL cantou a música perfeitamente e com os fãs cantando os refrões num couro muito bonito.

Para empolgar o público, veio dois excelentes clássicos movimentados que os fizeram dançar e se mexer um pouco. “I Missed Again” e “Hang In Long Enough”. Destaque para os vocais de apoio, para o saxofonista, para os trompetistas e o trombonista, que realizaram ótimos trabalhos naquela noite. “Wake Up Call” veio na sequência, que segundo o próprio PHIL, essa é a música favorita dele.

Dando sequência, foi executada duas excelentes músicas do Genesis: “Throwing It All Away” e “Follow You Follow Me”, onde nos telões, ficou passando vídeos da antiga banda. Um momento muito marcante e saudoso por fazer-nos relembrar esses incríveis tempos. O que já era esperado do PHIL COLLINS executar algumas músicas de sua antiga banda que rendeu enormes sucessos em sua carreira. Em seguida, o PHIL disse que vão executar uma música do “No Jacket Required” de 1985, e veio a vibrante “Who Said I Would”.

Continuando, o PHIL COLLINS apresentou a banda toda, o que totalizava 14 integrantes e que geraram altas salva de palmas pelo público. E são 14 integrantes extremamente talentosos que estavam brilhando a cada instante em sua apresentação. Logo, ele executou a linda e emocionante “Separate Lives”, cover do Stephen Bishop, onde o PHIL COLLINS, gravou essa música em estúdio, junto com a cantora Marilyn Martin e nessa apresentação, ele chamou a Bridgette Bryant, uma das backing vocals, para executarem juntos essa bela canção. Um dos momentos mais emocionantes e marcantes da noite. Grande destaque para a Bridgette nos vocais, uma excelente cantora.

Para agitar os fãs, “Something Happened on the Way to Heaven” foi tocada. Seguida pela “In the Air Tonight”, uma das músicas de maior sucesso da carreira dele, o que levou o público à loucura e a cantarem os trechos desse mega clássico. Mais um cover foi executada, “You Can’t Hurry Love” da banda The Supremes e do álbum “Hello, I Must Be Going!” de 1982. Na sequência, vieram mais músicas empolgantes e dançantes: “Dance Into the Light”, “Invisible Touch” do Genesis, “Easy Lover”, outra música que entra no ranking dos maiores hits da carreira do PHIL COLLINS. Faixa do álbum “Chinese Wall” do Philip Bailey, onde ele e o PHIL fazem um dueto nos vocais e nessa apresentação, o PHIL foi acompanhado pelos vocalistas de apoio. Outro momento marcante, emocionante, alegre, divertido e muito prazeroso.

Chegando para o final do show, executaram o grande clássico “Sussudio”, onde os integrantes estavam nos impressionando cada vez mais pelos seus talentos. E claro, extremamente felizes por estarem ao lado do PHIL COLLINS nesse mega show. Ainda no final da música, houve uma grande explosão de confetes no palco e que foi direcionada ao público. Um grande espetáculo e uma grande festa ao mesmo tempo. Na vez do “bis”, o PHIL executou mais uma grande música, “Take Me Home”. Executada perfeitamente esse grande clássico e no final da música, grandes fogos de artifício ao redor do estádio foram executados. Não tinha como finalizar melhor se não dessa maneira. Foi assim encerrado essa apresentação histórica e completamente emocionante em São Paulo.

Com um público cheio no Allianz Parque, PHIL COLLINS nos surpreendeu com seu talento, com sua voz, com seu carisma que ele sempre teve. Cantando sentado o show inteiro, ele mostrou o quanto consegue fazer um espetáculo empolgante, divertido, impressionante e emocionante. Com uma voz intacta, ele soube nos cativar a cada segundo em sua performance. Executou cada música numa perfeição que é de se surpreender qualquer um que compareceu a esse show.

Merece muito destacar a sua impressionante banda. 14 integrantes muito talentosos que fizeram altas performances arrasadoras. Souberam empolgar o público a cada minuto e mostraram o quanto merecem respeito de todos. Desde os companheiros de longa data como o baixista Leland Sklar, o guitarrista Daryk Stuermer e o percussionista Luis Conte, até o seu filho de 16 anos, Nicholas Collins na bateria. Os vocais de apoio, os trompetistas, o saxofonista e trombonista, foram bastante úteis também, deram energia e fizeram com que o show ficasse muito divertido e dançante.

Com aproximadamente uma hora e quarenta minutos de show, PHIL COLLINS nos cativou, nos divertiu, nos alegrou e nos emocionou a cada minuto de apresentação. Um repertório muito bem escolhido e executado perfeitamente por ele e pela banda que o acompanhou, foi um show histórico e memorável realizado em São Paulo. Sem dúvidas, foi um espetáculo que me comoveu e comoveu a todos que tiveram o prazer de assistir uma lenda viva como é o PHIL COLLINS.

Setlist:

1. Against All Odds (Take a Look at Me Now)
2. Another Day in Paradise
3. I Missed Again
4. Hang In Long Enough
5. Wake Up Call
6. Throwing It All Away
7. Follow You Follow Me
8. Who Said I Would
9. Separate Lives (Stephen Bishop cover)
10. Something Happened on the Way to Heaven
11. In the Air Tonight
12. You Can’t Hurry Love (The Supremes cover)
13. Dance Into the Light
14. Invisible Touch
15. Easy Lover
16. Sussudio

Encore:

17. Take Me Home

Line-up:

Phil Collins – Vocais
Daryl Stuermer – Guitarra
Ronnie Caryl – Guitarra
Leland Sklar – Baixo
Luis Conte – Percussão
Nicholas Collins – Bateria
Brad Cole – Teclados
Arnold McCuller – Vocais de Apoio
Amy Keys – Vocais de Apoio
Lamont van Hook – Vocais de Apoio
Bridgette Bryant – Vocais de Apoio
Dan Fornero – Trompete
George Shelby – Saxofone
Luis Bonilla – Trombone
Harry Kim – Trompete

Fotos: Marta Ayora

Giancarlo Rossi

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.
Giancarlo Rossi
Avatar

Giancarlo Rossi

Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.