Paulo Miklos @ Sesc Belenzinho – São Paulo/SP (25/01/2019)

Em pleno aniversário da cidade de São Paulo, dia 25 de janeiro, completando 463 anos, PAULO MIKLOS se apresentou no teatro do Sesc Belenzinho em São Paulo. Com ingressos esgotados, o cantor, compositor, ator e ex-Titãs, vêm promovendo seu terceiro álbum de estúdio solo “A Gente Mora no Agora” lançado em 2017, disco repleto de grandes parcerias do cenário da música brasileira. E nesse show, PAULO MIKLOS acompanhado por Michelle Abu (bateria), Michele Cordeiro (guitarra) e Otávio Carvalho (contrabaixo), nos apresentou um belíssimo repertório contendo as faixas do disco e grandes clássicos que marcaram sua carreira.

PAULO MIKLOS assumindo os vocais e violão com sua talentosa banda deram início com “A Lei Desse Troço”, música bem empolgante com seu ótimo refrão que dá nome ao disco “A Gente Mora no Agora”. “Risco Azul” foi a próxima e na sequência, o clássico dos Titãs “Flores”, linda composição com belíssimos backing vocals da guitarrista Michele e da baterista Michelle em seu refrão. Momento lindo também, foi admirar o público cantando as estrofes na metade da canção, formando um bonito coro.

Em seguida, o PAULO deu algumas palavras, deu boa noite a todos e disse o quanto é prazeroso essa noite por comemorar o aniversário da cidade de São Paulo e logo, uma pessoa da plateia disse: “E o seu”. Por se referir ao aniversário do PAULO que aconteceu na mesma semana no dia 21, o que deixaram muitos felizes e claro, deixou o PAULO ainda mais feliz. Outra pessoa da plateia soltou também o nome de Jurandir, por se referir ao personagem interpretado por PAULO MIKLOS na novela das 21h O Sétimo Guardião, televisionado pela Rede Globo, o que gerou algumas risadas e boas interações cômicas. Depois, com uma luz iluminando o PAULO, foi executado a linda “Vou Te Encontrar”, possivelmente, a melhor faixa do “A Gente Mora no Agora”. Composição escrita por Nando Reis que foi citado pelo MIKLOS antes de executar a canção e até mencionou a novela O Outro Lado do Paraíso, música que fez parte da trilha sonora. Disse também, o quanto essa composição é marcante e significativa, por Nando Reis ter composto a música especialmente ao PAULO, contando um pouco da sua história.

Num ritmo mais pesado, veio “Comida”, outra composição dos Titãs, com seus riffs de guitarra intensos realizados pela ótima guitarrista Michele Cordeiro. O PAULO apresenta sua banda e dá mais algumas palavras sobre o último álbum “A Gente Mora no Agora”, que é repleto de grandes parcerias como a do rapper brasileiro Emicida, que compôs a primeira faixa do disco “A Lei Desse Troço”, onde o seu refrão, batizou o nome do álbum, como eu já havia mencionado e disse que é uma canção que representa o momento atual do próprio MIKLOS. E dentre essas parcerias, ele citou a do Russo Passapusso, vocalista da banda BaianaSystem e a próxima execução foi justamente em parceria com ele, a agitada “Vigia”.

O PAULO soltou “Toca Raul” e veio “Aluga-se”, excelente composição do lendário Raul Seixas. Voltando para o “A Gente Mora no Agora”, vieram mais duas composições do disco e citando novamente suas parcerias: a bonita “Eu Vou”, em parceria com Tim Bernardes, e deixando o violão um pouco de lado, executa “Estou Pronto”, em parceria com Guilherme Arantes. Após, os integrantes se retiram do palco e somente o PAULO MIKLOS permanece nele, com seu violão e uma luz bem focada nele, executa “Um Bom Lugar” música do falecido rapper brasileiro Sabotage, onde o MIKLOS quis homenageá-lo. Muito bem cantado pelo PAULO.

Ainda sozinho, MIKLOS soltou toda a sua voz na linda “Pra Dizer Adeus” dos Titãs, emocionando todos da plateia. Os integrantes retornam ao palco e o PAULO anuncia “A Mesma Praça”, faixa do seu primeiro álbum de estúdio solo “Paulo Miklos” de 1994. Uma canção em homenagem a cidade de São Paulo sobre o Elevado Presidente João Goulart, popularmente conhecido como “Michocão”, uma via expressa elevada que liga a região da Praça Roosevelt, no centro da cidade, ao Largo Padre Péricles, na Barra Funda. Na hora da execução, o PAULO errou na primeira vez, reiniciou a canção e errou novamente, por não se lembrar da letra, daí, na terceira vez, ele iniciou sozinho para ver se lembrava da letra, iniciou normalmente e fez com que os integrantes continuassem a execução com ele, o que dessa vez, acertou-a inteira. Devido a esse acontecimento, várias risadas tanto dele quanto do público se via, claro, não havia absolutamente nenhum problema, ele mesmo viu que errou e não queria executar errada a música e até fez piadas e gargalhou com o público. O público levou numa boa e todo mundo se divertiu.

Em seguida, tocaram “Saudosa Maloca”, grande composição de Adoniran Barbosa. Depois, veio “País Elétrico”, composição em parceria com Erasmo Carlos e outra dos Titãs veio na sequência, “Vossa Excelência”, fazendo uma dura crítica aos políticos com um refrão extremamente potente cantados com toda fúria pelo PAULO e pelos integrantes da banda. MIKLOS deixa um pouco o violão, pega uma guitarra e tocam “Deixar de Ser Alguém”, música em parceria com Arnaldo Antunes. Voltando com seu violão, veio “Sonífera Ilha”, composição do primeiro álbum de estúdio dos Titãs autointitulado de 1984, com um destaque para uma pequena dança entre o PAULO e o Otávio ao final da execução, uma ótima sincronia entre os dois que conseguiu gerar autos aplausos do público.

O PAULO anunciou a última canção da noite, “Samba Bomba”, mais uma música em parceria com Tim Bernardes. Logo após a execução, o PAULO com os músicos se retiram do palco e ao mesmo tempo, várias pessoas da plateia se aproximaram do palco e esperaram pelo bis e com bastante ovacionadas e pedidos de “mais uma…”, eis que retornam ao palco e executam nada mais nada menos que três excelentes composições dos Titãs: “É Preciso Saber Viver”, composição de Roberto Carlos e os Titãs regravaram no álbum “Volume Dois” de 1998, foi lindo de ver o refrão cantado por todos os presentes; “Lugar Nenhum” do “Jesus Não Tem Dentes no País dos Banguelas” de 1987 e encerraram a apresentação com a magnífica “Bichos Escrotos” do “Cabeça Dinossauro” de 1986. Com muitos aplausos do público, PAULO MIKLOS e os músicos agradeceram a todos pela grande noite e se despedem.

PAULO MIKLOS simplesmente deu um show em palco. Além da sua voz excepcional e suas habilidades no violão e na guitarra, foi bem interativo com o público, mostrando toda sua simpatia e sua felicidade em nos apresentar um maravilhoso show prazeroso e divertido. E claro, vale mencionar sua banda, o baixista Otávio Carvalho, a baterista Michelle Abu e a guitarrista Michele Cordeiro, todos bem competentes e realizando os ótimos backing vocals nas execuções.

Foi uma apresentação bem gostosa de ser assistida. PAULO MIKLOS com seu talento e seu carisma, soube e muito bem nos agradar. A todos que compareceram a esse espetáculo em pleno feriado e num dia bem chuvoso, certamente se divertiram do começo ao fim por terem assistido a um show sensacional.

Setlist:

1. A Lei Desse Troço
2. Risco Azul
3. Flores
4. Vou Te Encontrar
5. Comida
6. Vigia
7. Aluga-se (Raul Seixas cover)
8. Eu Vou
9. Estou Pronto
10. Um Bom Lugar (Sabotage cover)
11. Pra Dizer Adeus
12. A Mesma Praça
13. Saudosa Maloca (Adoniran Barbosa cover)
14. País Elétrico
15. Vossa Excelência
16. Deixar de Ser Alguém
17. Sonífera Ilha
18. Samba Bomba

Bis:

19. É Preciso Saber Viver
20. Lugar Nenhum
21. Bichos Escrotos

Line-up:

Paulo Miklos – Vocal, Violão e Guitarra
Michelle Abu – Bateria
Michele Cordeiro – Guitarra
Otávio Carvalho – Contrabaixo

Fotos: Diego Andrade

Giancarlo Rossi

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.
Giancarlo Rossi
Avatar

Giancarlo Rossi

Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.