Paul McCartney @ Allianz Parque – São Paulo/SP (27/03/2019)

O grande cantor, compositor, multi-instrumentista e ex-beatle PAUL MCCARTNEY, realizou uma turnê pelo Brasil no mês de março passando por duas cidades, São Paulo e Curitiba. Em São Paulo foram duas apresentações, devido aos ingressos esgotados para o show do dia 26, PAUL realizou um show extra no dia 27 e marquei a minha presença no show do dia 27, realizado no Allianz Parque. Turnê intitulada como “Freshen Up”, tendo passado já por vários países, PAUL MCCARTNEY anda divulgando seu mais recente trabalho “Egypt Station” lançado no ano passado, seu décimo sétimo álbum de estúdio e além de tocar as faixas do disco e de sua carreira solo, seu extenso repertório incluiu grandes composições dos Beatles e dos Wings, grandes clássicos que marcaram sua vida.

Show realizado na ótima estrutura do Allianz Parque, sempre excelente em relação aos shows realizados na arena, ótima qualidade de som, um enorme palco muito bem montado, telões nas laterais do palco e um ao fundo, sempre é muito prazeroso assistir a um belo show nesse excelente lugar. Antes do show começar, notamos alguns funcionários da produção distribuindo placas escritas “Na Na” para o público que quisesse apanhá-la, obviamente, já sabíamos a intenção disso e aonde era para serem usados mas chegaremos nessa parte do show. As expectativas estavam altas, muito altas, tudo porquê iríamos presenciar um show de um dos maiores músicos que já existiu na face da Terra. Não víamos a hora disso acontecer e quando realmente aconteceu, foi uma das melhores experiências que já vivenciei.

Antes mesmo do show começar, pudemos apreciar várias imagens nos telões, animações bem divertidas envolvendo o PAUL MCCARTNEY e os Beatles. Chegou o momento tão aguardado por todos. Allianz Parque com um ótimo público, praticamente lotado a arena, PAUL MCCARTNEY com seu charmoso baixo e acompanhado por sua banda, sobem ao palco, bem felizes, com muitas vibrações do público, PAUL sauda os fãs brasileiros e inicia o grande repertório com o hit dos Beatles “A Hard Day’s Night”, composição do álbum homônimo lançado em 1964, terceiro disco da carreira dos Beatles. Música que já empolgou todos os presentes. Indo para o Wings, veio “Junior’s Farm”, composição de 1974, lançado nesse ano apenas como single, sem álbum.

As interações do PAUL com o público começaram, bem simpático e comunicativo, mandou em português mesmo, “Olá paulistas! Boa noite Brasil, Que bom ver vocês de novo. Temos novas músicas, músicas antigas, essa próxima é uma antiga”, veio “Can’t Buy Me Love”, outro grande hit dos Beatles, bem empolgante, fazendo o público cantar os refrões. Durante a execução, várias imagens dos Beatles foram mostradas no telão de fundo. “Valeu!” falado pelo PAUL agradecendo e ainda disse em português, “Esta noite, vou tentar falar um pouco de português”, nitidamente, percebíamos que ele trouxe consigo algumas folhas com frases em português e deixadas no chão para dialogar com o público, isso gerou muitas e muitas vibrações do público. As interações dele foi desse jeito, interagia tanto em português como em inglês. Que sensacional.

“Letting Go”, composição dos Wings presente no álbum “Venus and Mars” de 1975 foi a próxima, nessa música, contamos com a presença do trio de metais Hot City Horns, porém, um aspecto bem interessante aconteceu, pudemos notar o som do saxofone, trompete e trombone, mas, os instrumentistas não estavam no palco e o público andou procurando aonde eles estavam, daí, pelos dois telões da arena, as câmeras filmavam eles e pelo que percebíamos, eles se encontravam, aparentemente, perto de um dos setores da arena, ficando perto do pessoal que estava nesse setor e mesmo a gente tentando localizá-los, não conseguimos achá-los, pelo menos eu não consegui, mas o importante é que eles estavam presentes no espetáculo e estavam dando um show nessa música.

“A próxima música, é uma música nova, é do novo álbum Egypt Station chamada Who Cares”, dito em português pelo PAUL, foi tocada então “Who Cares” e logo na sequência, “Got to Get You Into My Life” do clássico álbum “Revolver” de 1966, eis que nessa música o Hot City Horns, aparecem no palco para se juntar a banda e executar a canção. “Mais uma música nova” disse o MCCARTNEY em português e veio “Come On to Me”, composição bem divertida e até dançante. Prosseguindo, PAUL tira seu casaco, deixa um pouco o baixo, pega sua guitarra colorida e toca “Let Me Roll It”, composição dos Wings presente no álbum “Band on the Run” de 1973, sendo assim, o guitarrista Brian Ray assume o baixo. Ao final da execução, PAUL ainda mandou um pequeno solo na guitarra, fazendo um tributo ao lendário guitarrista Jimi Hendrix.

Um “valeu” e um “tamo junto” dito pelo MCCARTNEY, para vir “I’ve Got a Feeling”, faixa do último álbum de estúdio dos Beatles “Let It Be” de 1970. PAUL deixa a guitarra e assumindo o piano toca “Let ‘Em In” dos Wings, faixa do “Wings at the Speed of Sound” de 1976, ótima composição, o PAUL mandando ver no piano e realizando os assovios durante a execução, boas melodias do saxofone, trompete e trombone, e as cadenciadas na bateria são ótimas, um ritmo bem contagiante. PAUL completamente emocionado anuncia a próxima do setlist dizendo, “Eu escrevi essa música para minha amada esposa Nancy, ela está aqui hoje, essa é para você Nancy”, assim, MCCARTNEY executa a linda “My Valentine” do álbum “Kisses on the Bottom” de 2012. Durante a execução, nos dois telões das laterais do palco, estava sendo projetado em preto e branco a atriz Natalie Portman e o ator Johnny Depp, um em cada telão, que traduziam a música em libras, que inclusive, esse vídeo pode ser conferido no YouTube. Sem dúvidas, foi um dos momentos mais emocionantes da noite, o PAUL cantando essa canção emocionou a todos os presentes e certamente, emocionou sua esposa Nancy Shevell, ao final, ele fez o gesto de coração especialmente a ela e agradeceu a Natalie e ao Johnny.

“Nineteen Hundred and Eighty Five” outra faixa do “Band on the Run” dos Wings e “Maybe I’m Amazed” do seu primeiro disco “McCartney” (1970), foram as próximas e depois, o PAUL deixa o piano, pega seu violão e executa “We Can Work It Out”. PAUL anunciou a próxima canção, “Vamos voltar ao tempo, lá atrás, antes dos Beatles, do grupo The Quarrymen. É a primeira canção que os Beatles gravaram”, veio “In Spite of All the Danger”, os telões era de um cenário noturno de uma casa com várias estrelas, dando um clima diferente. Na sequência, veio a agitada “From Me to You” dos Beatles, as melodias da gaita foram realizadas pelo tecladista Paul Wickens, que na música anterior, tinha apanhado um acordeão. PAUL larga o violão, apanha um bandolim e manda “Dance Tonight” do “Memory Almost Full” de 2007, quem roubou a cena nessa música foi o simpático baterista Abe Laboriel Jr, que dançou praticamente na música toda, extremamente animado, feliz, empolgado, ele se divertiu durante toda a execução e ao final, foi bem ovacionado pelo público e acabou agradecendo a todos os presentes.

PAUL volta com seu violão, o Wickens volta com a gaita e foi a vez do hit dos Beatles “Love Me Do” do primeiro disco da banda “Please Please Me” de 1963. MCCARTNEY foi levado para uma grande plataforma, deixando-o num grande altar, sozinho com seu violão executa “Blackbird” do disco “The Beatles” de 1968 e “Here Today” do “Tug of War” de 1982, composição em homenagem ao John Lennon. A plataforma se diminui, PAUL desce dela e no palco, um piano colorido bem no centro, PAUL se direciona a ele e toca “Queenie Eye” do “New” de 2013, no telão de fundo, foi projetado o videoclipe da música e nele, contém participações especiais de vários artistas famosos como Johnny Depp, Meryl Streep, Jude Law, Chris Pine, Sean Penn, Jeremy Irons, entre outros. “Lady Madonna” e “Eleanor Rigby”, nessa última, o PAUL deixa o piano e volta com seu violão, ambas dos Beatles, foram tocadas, depois, MCCARTNEY realizou alguns cantos para que o público repetisse, o que foi prontamente atendido por todos. Feito isso, PAUL volta com seu baixo e manda “Fuh You” outra composição do “Egypt Station”, e que música excelente, dá um clima de celebração ou alguma conquista.

Após, uma sequência incrível de canções dos Beatles: “Being for the Benefit of Mr. Kite!” do aclamado “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” de 1967, onde várias imagens, animações psicodélicas percorriam pelos telões; “Something” do “Abbey Road” de 1969, onde o PAUL executou a canção a base de um ukulele e dedicou essa música ao George Harrison, que inclusive, foi o George que compôs essa canção e assume os vocais principais, e durante a execução, imagens do George foram projetados pelos telões e terminou com um agradecimento do PAUL a ele, e voltando com seu baixo, veio a divertida “Ob-La-Di, Ob-La-Da”, colocando todos para pular. Com um jogo de luzes bem presentes, chegando até na arquibancada superior da arena, PAUL executa “Band on the Run” dos Wings e em seguida, “Back in the U.S.S.R.” dos Beatles, mais imagens psicodélicas e imagens da União Soviética nos telões.

PAUL deixa o baixo e se direciona ao piano para tocar a maravilhosa “Let It Be”, outro momento emocionante e memorável, clássico dos Beatles, é uma linda composição que dispensa comentários. Num ritmo bem frenético, veio “Live and Let Die” dos Wings, momento que pegou todos de surpresa e chocou o público com inúmeros fogos de artifícios no palco na parte pesada e agitada da música, o que deixou todos fascinados. O piano colorido foi colocado novamente no centro do palco, PAUL se direciona a ele e chegou o momento da tão esperada “Hey Jude”, que execução linda, tocou o coração de todos os presentes, emocionando todos os fãs e foi ainda mais lindo no seu final, na famosa parte do “Na Na”, onde todos da arena apanharam suas placas escritas “Na Na”, que foi distribuído pela arena do Allianz Parque antes e durante o show, todos cantando e com a placa segurando em suas mãos foi algo marcante, emocionante, fica até difícil de expressar o sentimento que foi nessa hora, nessa música, simplesmente maravilhoso. PAUL agradece a todos e com sua banda, se retiram do palco.

Muitas vibrações do público pedindo para que o PAUL voltasse aconteciam sem parar e dentro de alguns instantes, eis que ele com sua banda retornam ao palco e surpreendentemente, PAUL apanhava uma bandeira do Brasil e dois integrantes de sua banda apanhavam duas bandeiras cada, um com a bandeira da Grã-Bretanha e o outro com a bandeira do arco-íris, bandeira do movimento LGBT. Gerando muitas ovacionadas pelo público, PAUL fala que é aniversário do Paul Wickens e para homenageá-lo, tocam “Happy Birthday to You” e logo, manda “Birthday” dos Beatles, ao final dela, PAUL pede para todo mundo gritar “Happy Birthday Wickens” e que foi logo atendido por todos.

Após, tocaram “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band (Reprise)”, no telão de fundo, uma animação bem interessante e bacana envolvendo a capa do disco “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band” e a pesada “Helter Skelter”. PAUL fez alguns agradecimentos a produção do show, a sua banda e ao público presente, assumiu o piano e tocou “Golden Slumbers” e “Carry That Weight” dos Beatles. PAUL deixa o piano, apanha sua guitarra, vai para o centro do palco e manda “The End”, sendo essa a última canção da noite. PAUL e sua banda, extremamente felizes, agradecem a todos pela presença e se despedem dos fãs brasileiros com o MCCARTNEY finalizando em português, “Até a próxima”. Uma explosão de confetes, fumaças e faíscas no palco, o PAUL se despede novamente, só que dessa vez, para a câmera, como ele costuma fazer sempre.

PAUL MCCARTNEY em cima do palco fez de tudo. Tudo mesmo. Tocou baixo, guitarra, piano, violão, bandolim, ukulele, além de cantar muito, sua voz sempre nos cativa e nos comove. Dialogou em português com os fãs brasileiros, o que gerava em inúmeras vibrações a cada frase dele, mostrando a sua enorme simpatia com o público e com o próprio país, o que se notou o quanto ele gosta do Brasil, a sua felicidade em se apresentar no país foi nítida, a cada instante ele estava com um grande sorriso na boca. Cada música executada do setlist foi extraordinária, PAUL tocava com a maior firmeza e o desempenho em cada instrumento tocado naquela noite foi incrível, seu talento é algo fabuloso. Que emoção em assistir um músico tão fantástico como é o PAUL MCCARTNEY.

Sua banda é de um grande talento. Acompanham o PAUL na estrada já há um bom tempo e o entrosamento deles é perfeito. Cada integrante deu um show em sua performance e mostraram o porquê de estarem tocando com o PAUL MCCARTNEY. Os guitarristas Rusty Anderson e Brian Ray (que também assumiu o baixo em algumas músicas), desempenharam ótimas funções em seus riffs marcantes, o baterista Abe Laboriel Jr bem habilidoso e empolgado, chamou a atenção de todo mundo quando fez aquela dança na música “Dance Tonight”, mostrando toda sua simpatia e sua alegria, o tecladista Paul “Wix” Wickens que além de assumir os teclados, ainda tocou acordeão e gaita, e a presença do trio de metais Hot City Horns, composto por Mike Davis (trompete), Paul Burton (trombone) e Kenji Fenton (saxofone), onde participaram em várias músicas do setlist.

Que noite, que grande noite no Allianz Parque. Simplesmente inesquecível. Impressionantes duas horas e quarenta minutos de show, PAUL MCCARTNEY arrancou sorrisos e lágrimas de cada presente numa apresentação extraordinária. Assim como o PAUL citou ao se despedir dos fãs brasileiros, “Até a próxima”, bom, que aguardamos ansiosamente o seu próximo retorno ao país.

Setlist:

1. A Hard Day’s Night (The Beatles)
2. Junior’s Farm (Wings)
3. Can’t Buy Me Love (The Beatles)
4. Letting Go (Wings)
5. Who Cares
6. Got to Get You Into My Life (The Beatles)
7. Come On to Me
8. Let Me Roll It (Wings)
9. I’ve Got a Feeling (The Beatles)
10. Let ‘Em In (Wings)
11. My Valentine
12. Nineteen Hundred and Eighty Five (Wings)
13. Maybe I’m Amazed
14. We Can Work It Out (The Beatles)
15. In Spite of All the Danger (The Quarrymen)
16. From Me to You (The Beatles)
17. Dance Tonight
18. Love Me Do (The Beatles)
19. Blackbird (The Beatles)
20. Here Today
21. Queenie Eye
22. Lady Madonna (The Beatles)
23. Eleanor Rigby (The Beatles)
24. Fuh You
25. Being for the Benefit of Mr. Kite! (The Beatles)
26. Something (The Beatles)
27. Ob-La-Di, Ob-La-Da (The Beatles)
28. Band on the Run (Wings)
29. Back in the U.S.S.R. (The Beatles)
30. Let It Be (The Beatles)
31. Live and Let Die (Wings)
32. Hey Jude (The Beatles)

Encore:

33. Happy Birthday to You (Mildred J. Hill & Patty Hill cover)
34. Birthday (The Beatles)
35. Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band (Reprise) (The Beatles)
36. Helter Skelter (The Beatles)
37. Golden Slumbers (The Beatles)
38. Carry That Weight (The Beatles)
39. The End (The Beatles)

Line-up:

Paul McCartney – Vocais, Baixo, Guitarra, Violão, Piano, Bandolim, Ukulele
Rusty Anderson – Guitarra
Brian Ray – Guitarra e Baixo
Abe Laboriel Jr – Bateria
Paul “Wix” Wickens – Teclados, Gaita e Acordeão
Mike Davis – Trompete
Paul Burton – Trombone
Kenji Fenton – Saxofone

Giancarlo Rossi

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.
Giancarlo Rossi
Avatar

Giancarlo Rossi

Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.