Paradise Lost (atração do Epic) – entrevista exclusiva

paradise-lost-cover-580x244-1

Para os navegantes em terras nunca dantes pisadas: Paradise Lost é uma banda inglesa formada em 1988, considerada uma das criadoras do gênero gothic metal. No início da carreira,eram donos de um som mais extremo, e junto a seus conterrâneos do Anathema e My Dying Bride, também foi uma das bandas responsáveis pelo surgimento do sub-estilo death/doom metal. No fim da década de 1990, a banda abordou uma sonoridade mais comercial adicionando elementos de rock eletrônico, o que ajudou a crescer a sua popularidade.

E Nick nos respondeu essa entrevista exclusiva!

A formação da banda manteve-se estável por muitos anos, consistindo no vocalista Nick Holmes, nos guitarristas Greg Mackintosh e Aaron Aedy, e o baixista Steve Edmondson. Holmes e Mackintosh são os principais compositores, com os créditos de quase todas as músicas do grupo creditados a eles. Desde a sua formação, houve apenas mudanças de bateristas, sendo Waltteri Väyrynen o atual ocupante do posto.

Paradise Lost no Epic 

IR: Esta é a sexta vez que vocês desembarcam no Brasil, sendo que as últimas 2 foram em 2015 e 2014. Acho que os fãs estão ficando mal acostumados…Podemos esperar o Paradise Lost no Brasil novamente em 2017?

Nick: Haha, quem sabe, é sempre ótimo para visitar o País!

IR: Desta vez vocês farão 5 shows no Brasil e alguns em lugares que nunca tocaram antes, como Limeira e Manaus. Qual a expectativa de vocês para estes shows?

Nick: É sempre bom tocar em novas cidades e locais, por isso estamos ansiosos para essas experiencias. Mas também é muito bom tocar nos locais habituais, tais como São Paulo e Rio.

IR: Temos visto que os fãs de outros países na América Latina ficaram desapontados por não ter a mesma sorte dos brasileiros em 2016. Por que somente o Brasil foi escolhido desta vez?

Nick: Essa é uma boa pergunta, mas, infelizmente, não somos nós que fechamos os shows! Mas isso será bom para conhecermos outros lugares no Brasil, assim como outras partes da América do Sul, o que irá acontecer mais tarde espero.

IR: O álbum “The Plague Within” tem tido uma excelente aceitação pelo público e demonstra cada vez mais as raízes da banda. Considerando esta excelente fase que a banda está vivendo, vocês já pensam em um novo álbum?

Nick: Obrigado e sim, já estamos começando a trabalhar em um novo álbum, não podemos bobear neste negócio.

IR:  Recentemente, o baterista Adrian se afastou da banda para se dedicar a outros projetos e foi substituído por Waltteri. Podemos considerá-lo agora como um novo integrante definitivo?

Nick: Sim, eu acho que sim, ainda somos amigos do Adrian, mas a carga de trabalho com ATG e | The Haunted apenas ficou pesada pra ele. Como Waltteri estava com Vallenfyre, ele parecia se encaixar no lugar e funcionou muito bem.

IR: Imagino que vocês saibam que têm muitos fãs no Brasil (até por isso têm voltado com frequência para o país), mas existe uma comunidade no Facebook chamada Paradise Lost Brasil, que está preparando uma surpresa como presente para vocês… Espero que todos vocês gostem de cerveja! 😀

Nick: Isso é ótimo e, claro, todos nós amamos a cerveja!

IR: Por fim, se possível, agradeço se puderem gravar um vídeo ou mesmo enviar um recado convidando todos os fãs para os shows no Brasil! Nós acompanharemos de perto!

Nick: Não tenho Webcam nesse computador! J Mas quero agradecer pelo apoio aos nossos fãs brasileiros e estamos ansiosos para vê-lo todos novamente em pouco menos de 2 semanas! Cheeers!

Pauta: Priscila Mendes

Revisão e tradução: Paula Alecio

lineupepicmetalfestsp