Ozzy: o que o Madman tem escutado ultimamente

Ao contrário do que o que estava se esperando, o show de OZZY OSBOURNE na capital paulista na noite de domingo passado, 13 de maio, foi um sucesso de crítica e público. As primeiras resenhas publicadas dão conta de que, se o senhor das trevas até comete alguns deslizes na voz durante a apresentação, nada tira o brilho de ver novamente um dos gênios, criadores do gênero musical mais controverso e mais amado, o Heavy Metal. Há quem diga, inclusive, que o show no Allianz Parque foi ainda melhor que o show em 2015, no Festival Monsters of Rock. Naquela ocasião, participamos, representando a Metal Militia Web Radio, da coletiva de imprensa do festival, que reuniu as bandas PRIMAL FEAR, DE LA TIERRA, JUDAS PRIEST e a banda de Ozzy (ainda com Gus G. na guitarra). Aproveitando a presença novamente de John Michael Osboune em palcos brasileiros, vamos relembrar aquela entrevista, quando perguntamos diretamente ao genitor do estilo o que ele escuta hoje em dia e quem continuará levantando a bandeira do Heavy Metal. Confira (ou relembre) o que ele respondeu abaixo, neste texto extraído do publicado originalmente no site da Metal Militia Web Radio.
Coletiva Monster of Rock – Ozzy Osbourne @ Foto: Jair Gomes Silva (Imprensa do Rock)

 

Coletiva Monster of Rock – Ozzy Osbourne @ Foto: Jair Gomes Silva (Imprensa do Rock)

 

Quando Ozzy Osbourne, acompanhado de sua banda, entra na sala, nenhum dos jornalistas conseguiu esconder a emoção. O cantor revelou que seus planos para o futuro resumem-se, atualmente, apenas à sua carreira solo. Ainda sobre uma futura turnê com o BLACK SABBATH, disse que não tinham decidido nada e que moravam em países diferentes agora. O plano original é que no próximo ano acontecesse a última turnê do BLACK SABBATH. E fim. Mas ele já tinha gasto todo o seu dinheiro. Então, ele teria que continuar e lançar um novo álbum solo. Mas só pensaria nisso depois.

 

Ozzy também respondeu sobre como escolhe os caras que tocam com ele, depois de ter tocado com tantos grandes músicos, dizendo ter sorte de encontrar os caras certos. E sobre tocar na América do Sul, o vocalista respondeu que os sul-americanos tem música em seu sangue. E que ama isso.

 

Ele também foi questionado sobre o que faz para manter gerações de fãs, mais velhos e garotos. Laconicamente, como em muitas outras oportunidades, ele respondeu apenas “eu não sei”.

 

E sobre como se vê ao tocar novamente neste festival (Ozzy já tocou no Monsters of Rock em 1995), Ozzy disse que não pensa nisso, mas está ficando um pouco mais velho. “Mas é chato estar chegando aos 60 e as pessoas perguntando se você vai se aposentar”, completou. Ele também interrompeu uma pergunta, arrancando risos do público: “como é voltar…”. “Eu adorei. É por isso que voltei”.

 

OZZY volta a arrancar risos do público ao responder ao humorista do Programa Pânico que conhece Justin Bieber. “É um bom amigo meu”. O humorista insistiu:  “Você conhece alguma música do Justin Bieber, posso te ensinar?”. “Eu acho que você tá chapado”, arrematou o vocalista.

 

Sobre a influência dos Beatles. “Eu queria ser um beatle quando era jovem. E complementa: “há muitos anos atras”. E sobre sua relação com Deus, OZZY respondeu: “É um grande amigo meu”.
Coletiva Monster of Rock – Ozzy @ Foto: Jair Gomes Silva –  (Imprensa do Rock)

 

Daniel Tavares: Oi, Ozzy. É uma honra incrível estar aqui em frente de você, que é considerado um dos pais do Heavy Metal, que bandas você acha que poderiam continuar carregando a bandeira do estilo?

 

Ozzy Osbourne: Eu não tenho ouvido nada. Ouvi algumas bandas quando preparava o meu próprio festival, o Ozzfest, mas se realmente influenciei alguém em minha vida, estou mais que contente de passar o bastão. Mas não tenho ouvido muita música ultimamente, não acho nada novo ou interessante, tudo parece repetir os mesmos acordes. Tudo parece algo que eu já ouvi antes.

 

Sobre tocar b-sides, algum dia, em alguma outra turnê. Ele responde apenas com uma palavra: “Não”. E também foi econômico ao responder uma questão sobre heróis de quadrinhos. “Não leio quadrinhos”. E sobre o que sente quando joga água no rosto durante os shows. “Como eu me sinto?”.

 

A todo momento, o mestre do metal dava uma tirada que fazia a plateia cair no riso. Mas também falava sério. Sobre Rick Rubin, que produziu o último disco do Black Sabbath, produzindo o novo disco dele, minha música solo não tem nada a ver com Black Sabbath.

 

Clufetos também respondeu que ama tocar com Ozzy, e com Black Sabbath (o baterista tocou com a icônica banda em sua última turnê), com quem quer que tenha músicas boas.

 

Ao fim da entrevista, Ozzy ainda foi paquerado pela jornalista Mônica Apor. “Oi, Ozzy, depois de tantos anos, de onde vem toda essa energia no palco. Você é tão sexy no palco”.

 

“O quê?”, respondeu incrédulo. “Venha ao meu quarto”, convidou.
Coletiva Monster of Rock – Ozzy @ Foto: Jair Gomes Silva – (Imprensa do Rock)

Ozzy ainda apresenta-se na turnê “No More Tours 2” em Curitiba, Belo Horizonte e Rio de Janeiro

Curitiba
  • Data: Quarta-feira (16)
  • Abertura dos portões: 16h
  • Apresentação: 21h
  • Local: Pedreira Paulo Leminski – Av. João Gava, S/N – – Abranches – Curitiba – PR
  • Preço: Entre R$ 128 (promoção) e R$ 650
Belo Horizonte
  • Data: Sexta-feira (18)
  • Abertura dos portões: 16h
  • Apresentação: 21h
  • Local: Esplanada do Mineirão – Av. Antônio Abrahão Caram, 1001 – Pampulha, Belo Horizonte/MG
  • Preço: R$ 120 (promoção) e R$ 600
Rio de Janeiro
  • Data: Domingo (20)
  • Abertura dos portões: 16h
  • Apresentação: 20h30
  • Local: Jeunesse Arena – Avenida Abelardo Bueno, 3401 – Barra da Tijuca – RJ
  • Preço: Entre R$ 140 (meia) e R$ 680