Nightwish toca em São Paulo com um repertório maior que no Rock In Rio e de casa lotada

floor_jansen_destaque_nightwish_imprensa_do_rockOs finlandeses do Nightwish, que contam atualmente com Floor Jansen nos vocais, retornaram ao Brasil para promoverem a “Endless Forms Most Beautiful World Tour 2015” e, conforme descrito nos ingressos para os fãs, estavam para presenciar e presenciaram um “The Greatest Show In São Paulo”, no último sábado (26), no Grupo Tom Brasil (antigo HSBC).

Ao chegar nos arredores da conhecida casa de show, era possível ver a fila de fãs vestidos adequadamente de preto e muita conversa sobre o que esperar da noite. O calor era favorável se comparado com a chuva que despencou na noite de sexta (25), garantindo um público animado e receptivo.

Dentro da casa, a produção acertou incrivelmente no DJ que tocava algumas músicas para aquecer o público, que ficou extasiado com clássicos de Iron Maiden, Black Sabbath e até Audioslave. Vale destacar os telões que também divulgavam as próximas atrações que a casa viria a receber e coincidentemente a primeira vocalista (Tarja Turunen) estará de volta em menos de um mês no mesmo local para show. Sempre que a imagem dela aparecia, o público gritava o nome da cantora e batia palmas em homenagem a sua época incrível no Nightwish.

Pontualmente às 21:30, enquanto conversava com alguns amigos de costas para o palco, percebo as luzes se apagando e ouço os berros dos fãs – sinal mais que claro que a banda estava prestes a começar o show – o grupo já chegou com um volume extremamente alto (conseguia sentir toda a vibração das caixas de som no meu corpo de qualquer lugar da casa) e antes do primeiro “Boa Noite São Paulo” de Floor, eles tocaram “Shudder Before The Beautiful” e “Your Is An Empty Hope” as mais recentes de 2015, “Ever Dream” veio com um palco de iluminação escura e o teclado dando introdução a música foi o ápice.

“She is My Sin”, lançada no início dos anos 2000 ainda com a Tarja nos vocais, deu um ar de “diferença” na voz de Floor, e na seguinte com “My Walden” (Endless, 2015) – prosseguiu com um canto sozinho seguido dos instrumentos e o destaque ficou por conta do refrão enérgico e pegajoso que fez o público cantar todas as vezes junto.

Antes de começar “The Islander” de Dark Passion Play (2007), Marco Hietala senta num banquinho e interage com o público dizendo como era bom estar no país, pois, era um povo extremamente diferente do que eles estavam acostumado a ver e gostava do quanto éramos loucos por estarmos sempre eufóricos em cada show que a banda realizava nas cidades brasileiras e prosseguiu realizando uma bela e sozinha performance acústica.

Em seguida, vem o primeiro single de “Endless Forms Most Beautiful” intitulado “Élan” – Jansen mostrou extrema simpatia com o público (ao contrário do que DIZEM que aconteceu nos bastidores em show anterior no Rock In Rio) – e uma série de clássicos também vieram como: “Weaky Fantasy”, “7 Days to the Wolves”, “Storytime”, “I Want My Tears Back”, “Stargazes”, e “Sleeping Sun”.

O que considerei ser a parte final do show foram as quatro longas e últimas canções que extasiaram o público por ter apenas nada mais que “The Great Show On Earth” (Endless, 2015) e foram reproduzidas as partes ‘Chapter II: Life’ e ‘Chapter III: The Toolmaker’, “Ghost Love Score” em sua versão completa e no final tendo um solo que incluiu todos os instrumentos e antes da derradeira “Last Ride of The Day” a Floor Jansen interage pela última vez com o público pedindo para que realizassem o “scream of century (grito do século)” da primeira vez, o público achou que era alguma brincadeira e foi um grito geral morno, Floor acabou que por olhar um pouco estranho e pediu de novo “São Paulo, esta é a última chance de se interagirem ao máximo conosco, por favor, deem o Grito do Século” e foi então que o Tom Brasil veio abaixo.

O show do Nightwish contou aproximadamente com duas horas e meia e todos sairam sem reclamar, afinal, o repertório reuniu clássicos consagradados da banda e as últimas novidades que nomearam essa turnê que felizmente conseguimos presenciar aqui no Brasil.

Nightwish – Setlist – São Paulo – 2015

  1. Shudder Before the Beautiful
  2. Yours Is an Empty Hope
  3. Ever Dream
  4. She Is My Sin
  5. Wishmaster
  6. My Walden
  7. The Islander (First half performed solo by Marco)
  8. Élan
  9. Weak Fantasy (Preceded by a Dawkins’ narration)
  10. 7 Days to the Wolves
  11. Storytime
  12. I Want My Tears Back
  13. Stargazers
  14. Sleeping Sun
  15. The Greatest Show on Earth (Chapter II: Life; Chapter III: The Toolmaker)
  16. Ghost Love Score
  17. Last Ride of the Day

Nightwish atualmente é:

  • Tuomas Holopainen – teclado
  • Emppu Vuorinen – guitarra, violão
  • Jukka Nevalainen – bateria, percussão
  • Marco Hietala – baixo, vocais, violão
  • Floor Jansen – vocais
  • Troy Donockley – gaita irlandesa, tin whistle, vocais

Resenha por: Victor Santos // Fotos gentilmente concedidas por: Marcos Cesar
Agradecimento pelo credenciamento: The Ultimate Music

Victor Santos

Victor Santos

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Victor Santos é editor-chefe do Imprensa do Rock e Diretor Geral do Programa Unimetal. Desde 2011, vem trazendo conteúdo de qualidade para os amantes da música e do cinema.
Victor Santos