Multidão Apresenta Manifesto “Desordem e Protesto”

Multidão Apresenta Manifesto “Desordem e Protesto”

Após lançar “Brasilis”, seu single de estreia, Multidão avança no discurso crítico à atual situação política nacional

 

 

Assista “Desordem e Protesto”: https://youtu.be/S3xRX7hLq2E

 

Multidão, plataforma colaborativa idealizada por Digo Amazonas, lança seu segundo single, “Desordem e Protesto”, com forte posicionamento político contra a atual situação nacional.

“Essa música já existe enquanto ideia na minha cabeça há muitos anos. Fiquei intrigado com esse lema ‘Desordem e Protesto’,soa como um grito de guerra, e foi o ponto de partida perfeito para cutucar essa ferida do falso nacionalismo e da onipresente falsidade na política brasileira, em especial neste ano”, conta Digo.

“Queria que esse clipe fosse um lembrete do que significou 2018 e da angústia coletiva que estamos vivemos enquanto brasileiros, e a Maranha Filmes conseguiu captar totalmente essa ideia e fazê-la em imagens”.

“Desordem e Protesto” é o segundo single da Multidão. O primeiro, “Brasilis”, é uma epopéia carnavalesca que contou a história do Brasil em ritmo de marcha-rancho e frevo. “Lançado em outubro, no olho do furacão eleitoral, contou com mais de 50 pessoas envolvidas entre músicos, cineastas, ativistas, atores e colaboradores que se engajaram nessa crítica Oswaldiana às origens das injustiças sociais do nosso país e ao nacionalismo oportunista”, explica.

Multidão surge no país como uma plataforma colaborativa de artistas que usam da música, cultura e ativismo para tratar temas da sociedade brasileira, e já promete mais singles e conteúdos para o ano de 2019.

FICHA TÉCNICA

Realização: Multidão

Clipe: Maranha Filmes

Música/Letra: Digo Amazonas

Voz: Digo Amazonas

Guitarra: Andre Mota

Baixo: JuariDovenas

Percussão: Ivan Silva

Bateria: Digo Amazonas

Gravado no Estúdio El Rocha, em novembro de 2018

Mixado e masterizado por Fernando Sanches

SOBRE MULTIDÃO

Projeto idealizado pelo paulistano Digo Amazonas, que é um dos fundadores do BlocoKaya na Gandaia, percussionista da banda O Mangue e baterista dos Araras Negras. Seguindo o seu processo criativo e fugindo dos formatos de banda ou artista solo, criou a Multidão com uma proposta contemporânea de tornar-se uma plataforma de criação coletiva, onde músicos, produtores e artistas se conectam para criar conteúdos juntos, sempre com base na diversidade e nacolaboratividade.As palavras-chave são música, cultura e ativismo. O primeiro single, “Brasilis”, foi lançado em outubro e o segundo, “Desordem e Protesto”, em dezembro de 2018.

Facebook: https://www.facebook.com/multidaooficial/

 

Singles

“Brasilis” (2018): https://youtu.be/wGNgn15cXwM

“Desordem e Protesto” (2018): https://youtu.be/S3xRX7hLq2E

SOBRE MARANHA FILMES

Produtora audiovisual focada em inspirar transformações reais através de conteúdos que revelam assuntos urgentes e inadiáveis.

Nós da Rede

Anderson Severo

Agitador Cultural em Sub_Discos
Comecei a ouvir Rock N'Roll desde minhas primeiras lembranças conscientes, desde muito cedo. Isso deve ter sido lá por 1985. Começando de cara pela minha primeira lembrança Sonora e Estética é foi e sempre será Raul Seixa, claro que com o amadurecimento e expansão da consciência, as novas lembranças são Ramones, LED Zepellin, The Doors; Conheci também já pré adolescente AC/DC, Legião Urbana, Rolling Stones e Creedence.Ainda adolescente conheci pessoas atuantes na cena local, fui trabalhar como roadie de uma banda chamada orgasmo.
Até que quis montar minha própria banda.
No decorrer da caminhada passei por projetos como:
2000 - Resistência Aflita
2004 - Kaos Eminente
2006 - Estado Crítico
2014 - Insulto Verbal
2015 - Atualmente faço parte dos Projetos
Capa Preta e Exclusão Social.
Atuo promovendo eventos, lançando e distribuindo fonogramas, divulgando bandas eventos. Sou Adepto a filosofia Punk e ouço muito Hard Core, Cólera, Ratos de Porão entre outras.
Avatar
Nós da Rede

Últimos posts por Anderson Severo (exibir todos)

Avatar

Anderson Severo

Comecei a ouvir Rock N' Roll desde minhas primeiras lembranças conscientes, desde muito cedo. Isso deve ter sido lá por 1985. Começando de cara pela minha primeira lembrança Sonora e Estética é foi e sempre será Raul Seixa, claro que com o amadurecimento e expansão da consciência, as novas lembranças são Ramones, LED Zepellin, The Doors; Conheci também já pré adolescente AC/DC, Legião Urbana, Rolling Stones e Creedence. Ainda adolescente conheci pessoas atuantes na cena local, fui trabalhar como roadie de uma banda chamada orgasmo. Até que quis montar minha própria banda. No decorrer da caminhada passei por projetos como: 2000 - Resistência Aflita 2004 - Kaos Eminente 2006 - Estado Crítico 2014 - Insulto Verbal 2015 - Atualmente faço parte dos Projetos Capa Preta e Exclusão Social. Atuo promovendo eventos, lançando e distribuindo fonogramas, divulgando bandas eventos. Sou Adepto a filosofia Punk e ouço muito Hard Core, Cólera, Ratos de Porão entre outras.