Monsters of Rock 2015: em festival talvez errado, Black Veil Brides é recebido sob vaias e vocalista se decepciona

Enquanto minha mente ainda está fresca e conseguindo lembrar detalhadamente do que aconteceu em cada show do Monsters of Rock, no último final de semana (25 e 26 de Abril), em São Paulo, no Arena Anhembi, vou relatar todos os shows em resenhas separadas, para mostrar o meu ponto de vista pois afinal, muita coisa aconteceu entre o agradável e desagradável.

A produção do Monsters of Rock deveria ter se ligado no estilo dos fãs que estariam presentes na edição de 2015 o Black Veil Brides – banda com um estilo Glam Metal que possui um vocalista com uma voz realmente rouca – tocou no sábado (25) após Rival Sons que ao contrario realizou uma boa performance – e o que era de se esperar em um festival onde se encontrava verdadeiros monstros do rock e fãs das antigas emaranhados entre jovens que estavam lá para curtir e não queriam nem saber de novidades foram as vaias.

O show no começo ocorreu conforme o esperado, mas algumas músicas depois já era possível ouvir gritos de vaias e dedos do meio aparecendo como se não houvesse amanhã.

O cantor claramente mostrou insatisfação com o público e retribuiu com desabafos e também pagou na mesma moeda mostrando os devidos dedos do meio. A maioria dos fãs estavam para ver o Motörhead que não pode se apresentar na mesma noite e comentou: “Aos que não estão felizes por estarem aqui, peço desculpas. Ainda assim, nós estamos felizes.” – e completa: “também gostamos de Motörhead”.

Após o retorno, era possível ver o desanimo do vocalista já que teve que enfrentar um público rigoroso com o gosto musical, o Monsters of Rock poderia estudar mais os estilos dessas bandas “atuais” e ver se realmente se encaixa com a proposta do festival já que se estão trazendo músicos e bandas com respeito mundial e fãs fiéis, claramente fatos tristes como esse poderiam acontecer. Talvez pegar e juntar essas bandas novas e formar um festival em paralelo usando um nome parecido ou algo relacionado, mas não enfiar no meio de Judas Priest e Motörhead – foi “assassinato” da banda aqui no Brasil, e os verdadeiros fãs ficam no prejuízo.

Texto por: Victor Santos // Foto gentilmente concedida por: Leandro Anhelli
Agradecimento pelo credenciamento: MIDIORAMA

Victor Santos

Victor Santos

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Victor Santos é editor-chefe do Imprensa do Rock e Diretor Geral do Programa Unimetal. Desde 2011, vem trazendo conteúdo de qualidade para os amantes da música e do cinema.
Victor Santos