Ministry: uma apresentação honrosa pela primeira vez em SP

São mais de vinte anos espalhando seu caos sonoro pelo mundo inteiro, e por incrível que pareça somente no dia 6 de Março de 2015 o Ministry pisava no Brasil para seu primeiro e único show, após inúmeras tentativas de trazê-los. O grupo liderado por Al Jourgensen chegava a terras brasileiras com a turnê “From Beer to Eternatour” em divulgação de seu último trabalho lançado em 2013, “From Beer To Eternity”.

Após quase uma hora de espera, justificada pela demora dos fãs para entrarem no local e a torrencial chuva que se abateu em São Paulo no fim da tarde se estendendo para a noite, o Ministry começou sua apresentação no Audio Club por volta das 22:20. “São Paulo!!” grita Al de trás do palco e em seguida tem início a ‘intro’ do show fazendo com que todos os integrantes assumissem seus postos em palco, para logo depois com a entrada do ícone Al Jourgensen a apresentação começasse por meio de “Hail To The His Majesty”. Na sequência, a excelente “Punch in the Face” trouxe à tona toda fritação costumeira do grupo, culminando na agitação do público que iniciou o bate cabeça e a primeira roda do show! “Pemawar” e “Fairy Unbalanced” continuaram o set que até então só trazia músicas do álbum “From Beer to Eternity”.

O fundo do palco contava com um grande telão que durante todo o show reproduziu diversas imagens e clipes que contribuíram ainda mais para a atmosfera caótica da apresentação da banda, que seguiu com “Rio Grande Blood” e “Senor Peligro”, ambas do álbum “Rio Grande Blood” lançado em 2006, nesta última música um fã conseguiu invadir o palco para abraçar o vocalista Al Jourgensen que se mostrava tão à vontade que chegou a deitar-se enquanto cantava, além de se movimentar constantemente de um lado para o outro.

Assim como o baixista Tony Campos cuja performance em palco foi muito melhor do que quando lhe vi em Setembro do ano passado com o Cavalera Conspiracy em Belém. O show teve continuidade com mais uma música do “Rio Grande Blood”, a neurótica e empolgante “Lies, Lies, Lies” que perpetuou uma das maiores rodas da noite, tendo o público cantando seu refrão junto com a banda.

Foto por: © Edi Fortini. - Todos os Direitos Reservados.

Foto por: © Edi Fortini. – Todos os Direitos Reservados. – Imprensa do Rock

Voltando mais alguns anos, o set do show passeia pelo álbum “House of the Molé” (2004) quando é anunciada “Waiting” seguida de “Worthless”, que conta com um virtuoso solo muito bem executado por Cesar Soto que unido a Sin Quirin formam uma dupla de exímios guitarristas com ótima atuação em palco. O bate cabeça e as pequenas rodas pelo centro do público permaneciam a cada música, inclusive público este composto por muitos “senhores (as)”. “The Last Sucker” (2007) foi representado pelas faixas “Watch Yourself” e “Life is Good”, esta última com boa participação dos presentes cantando-a.

Eis o momento que muitos aguardavam, e que leva o show para outro nível em todos os aspectos! Al Jourgensen agora sob posse de sua guitarra pela primeira vez, dá sequência a apresentação com a clássica “N.W.O” que rapidamente incita o público a começar com um vibrante “Hey! Hey! Hey!” e agitar durante toda música que ao término é seguida sem delongas por “Just One Fix” fazendo com que todos pulassem, cantassem, dançassem e aplaudissem!

A adrenalina continuou elevadíssima pois a próxima música foi “Thieves” protagonizando a maior e mais brutal roda do show, com todos pulando e cantando com vigor até o seu término, sob muitos aplausos e assobios! Audio Club teve suas estruturas abaladas, certamente. A sequência destruidora ainda contou com “So What” dançada no início por Al e que ao seu comando e ritmo teve o público batendo palmas.

Foto por: © Edi Fortini. - Todos os Direitos Reservados. - Imprensa do Rock

Foto por: © Edi Fortini. – Todos os Direitos Reservados. – Imprensa do Rock

A banda então deixa o palco e instantes depois o baterista Aaron Rossi, cuja atuação durante toda apresentação foi fenomenal, volta ao palco e coordena com sua bateria as palmas e gritos, dando início ao encore com “Khyber Pass”. O ilustre Al Jourgensen neste momento desce do palco e vai cumprimentar os fãs que estavam na grade, agradecendo a presença no show. Aos poucos cada integrante se retira do palco dando fim a performance memorável do grupo.

Uma carreira tão extensa quanto a do Ministry exigiria um set muito maior para conseguir abarcar todas as grandes músicas que a banda possui, entretanto tratou-se indubitavelmente de uma grandiosa apresentação que marca de forma positiva a primeira e possivelmente última passagem dos mestres do Metal Industrial pelo Brasil.

Resenha por: Fabricio Araújo / Fotos gentilmente concedidas por: Edi Fortini
Agradecimento pelo credenciamento: Free Pass

Victor Santos

Victor Santos

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Victor Santos é editor-chefe do Imprensa do Rock e Diretor Geral do Programa Unimetal. Desde 2011, vem trazendo conteúdo de qualidade para os amantes da música e do cinema.
Victor Santos