Legado de Sophia: Mundo Invertido (Resenha)

Legado de Sophia: Mundo Invertido (Resenha)

O nome Legado de Sophia faz alusão ao termo grego “sofós” que significa conhecimento
e como os integrantes já participaram de vários outros projetos, a Legado de Sophia seria
o legado de conhecimentos e experiências adquiridas em outras bandas.

A primeira apresentação ao vivo da banda foi em julho/2017 pelo Festival Rock Vive, onde
recebeu um bom retorno da plateia que prestigiou a apresentação.

A banda apresenta um rock mais alternativo, com diversas influências sendo a principal proposta tentar nunca se repetir e misturar dentro do rock gêneros e subgêneros, que
impossibilite sua rotulação.

As letras costumam abordar temas do cotidiano de jovens e adultos que sofrem com problemas do mundo moderno, tais como depressão, ansiedade, bipolaridade, Problemas existenciais entre outros.

Entre as principais influências estão: Foo Fighters, Scalene, Three Days Grace, Audioslave, Seether entre outros.

A banda está no momento divulgando o seu primeiro EP intitulado  “Mundo Invertido” lançado em 20 de agosto de 2018.

Começando pelo Artwork que eu recebi da banda dou nota dez, nota cem, nota mil!

 

Achei um trabalho lindo, muito artístico e conceitual representa muito bem, a idéia e o contexto que o álbum deseja transmitir ao público .

Não encontrei as informações de quem elaborou e criou esta linda obra de arte se você souber por gentileza nos ajude comentando ou enviando a informação para que possamos dar os devidos créditos.


Resenha Faixa a Faixa:

À Deriva em Alto Mar: 0:00

É uma levada Rock, quase pop, com destaque para a guitarra, que nessa música mantém, a pegada de rock moderno e super atual.

Uma música de alto, nível; Uma produção que pode ser colocada na mesma prateleira que, NX Zero, Detonautas, Dead Fish e CPM 22, os novos Clássicos do Rock Nacional.

“À Deriva em Alto Mar” mostra claramente que o Legado de Sophia está preparado para o mercado nacional sim.

È uma música que mostra a maturidade da banda, acredito que essa música seja um daqueles casos sob medida, para o público com consumo imediato garantido.

Gosto muito da letra que me lembra aquela sensação de abandono sabe? Aquele sentimento de ser largado a “deriva”.

Mas não fica só nisso ouçam  o restante do EP pois é surpreendente a capacidade de elaboração e o virtuosismo da banda Legado de Sophia.

Terrorismo Particular: 4:12

A minha primeira preferida, foi amor a primeira audição. Começa como uma balada romântica, que rapidamente passa por uma mudança quase que radical, quase que se transforma em um hardcore, mas sem perder a leveza e suavidade mantendo a pressão, na velocidade certa.

Com um destaque de cinco estrelas para a excelente utilização dos vocais, no que ao meu ver fez toda a diferença, entre essa ser uma música comum, apenas mais uma ou ser essa bela obra de arte única.   

A utilização do scream, quase gutural, suave e limpo duelando durante todo o percurso, com um vocal limpo e suave também abrilhanta o roteiro.

Parabéns legado de sophia vocês subiram o nível do jogo, para level hard a partir de agora, vai ser difícil de superar, o equilíbrio encontrado na composição e produção dessa música ala é verdadeiramente pesada e tem um  peso suave até então achava que algo assim não era possível de ser realizado.


Melancolia: 7:30

Me desculpem mas “Melancolia” é Foda, no melhor dos sentido que uma foda possa ser, se é que me entendem?

Ela começa enganando a gente, começa como uma balada, nos teclados suavemente, muito suave,  representando bem a melancolia, quase que a tristeza.

“Eu não tenho mais vontade de querer acordar, perdi as minhas forças, que eu usava pra lutar”.

Utilizando-se da licença poética e um leve registro que, me deixa reconhecer o sotaque o DNA vocal característico de Fortaleza CE, o que eu acho, ótimo! Acho lindo!

Mas não enganem-se essa breve e suave introdução é interrompida abruptamente pelo peso suave e lindo que a banda conseguiu harmonizar algo como eu nunca tinha visto antes e a música segue levando essa nuance, esse equilíbrio essa variação entre o peso e a balada durante o decorrer da faixa.

Aqui o destaque é claro que vai para o piano, teclado da introdução que traz todo o clima melancólico do som, mas sem dúvida o baixo tem uma presença marcante no decorrer dessa música.

E essa composição com esses elementos distintos; São o pano de fundo para o tema tão marcante e importante, trata-se do sentimento de solidão, sobre aquele vazio e sobre encontrar forças para mudar esse sentimento sabe?

“Então agora estou bem melhor percebi que os que eu  amo não me deixam só, Agora eu já sei o que fazer agora encontrei minha própria forma de viver”


Inconstância: 12:11

“Inconstância” traz a pegada punk rock, aquela veia hardcore que ta no sangue de todo mundo.

Aqui quero deixar claro que o destaque vai para bateria, que consegue marcar  a introdução com as características citadas e mantém a suavidade e isto é incrível! E ainda se atém a viradas que marcam essa coisa de cordel que a música passa na introdução.

E no meio da música ocorre a virada inesperada e surpreendente a pegada aumenta a pressão sobe levemente, vai e volta nessa brincadeira rítmica o tempo todo.

Até sou obrigado a lhes dar um spoiler sonoro! (A seguir).

No meio da música ocorre uma explosão, a guitarra e o baixo arregaçam, juntamente com um vocal scream totalmente  raivoso, nervoso mesmo.

Mostrando aquela raiva que todo mundo  tem e quer se soltar pra fora, voltando para suavidade e fechando o som  é uma forma super equilibrada e cristalina!

Mundo Invertido: 16:03

Mundo invertido, que leva o nome do EP? ou o EP que leva  o nome da música?

Sempre quis saber qual é a ordem dos fatores comente ali, logo ali compartilhe sua opinião com a gente.  Quem vem primeiro, o nome da música ou o nome do álbum?

Então novamente temos aquela característica vocal de Fortaleza CE, um leve sotaque, que é muito suave, um resquício de DNA regional, que na minha opinião é muito importante.

Se eu ouvi bem o piano aparece timidamente aqui novamente, e Legado de Sophia mostra a que  realmente veio e que veio pra ficar com essa música!

É um trabalho magnífico, que revela uma grandeza, musical quase ingênua mas com certeza genial, singular e impecável, tem tanta informação e beleza na composição, que é como se eu pudesse flutuar tocar as nuvens e ouvir o sopro dos Anjos e ai então eu entendo por que essa faixa foi a escolhida para carregar o nome do álbum.

Produzido, mixado e masterizado por Tom Marques no Estúdio 411, Fortaleza, Ceará.

Legado de Sophia – Mundo Invertido (2018) Full EP

https://www.youtube.com/watch?v=muB7unPLcVU&t=16s

 

Integrantes:
David Valentim – Vocalista/Guitarrista
Gê Soares – Guitarrista/Backing Vocal
Rodrigo Figueiredo – Baixista/Backing Vocal
Guilherme Bacana – Baterista

Redes Sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/legadodesophia/
Instagram: https://www.instagram.com/legadodesophia
SoundCloud: https://soundcloud.com/legadodesophia
Spotify: http://open.spotify.com/artist/0IvWhE…
Deezer: http://www.deezer.com/artist/13126009

 

Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCHPjQ7tP1w5m6e-6-H1qFyg?view_as=subscriber

 

 

Entrevista na Rádio Siará News: https://www.youtube.com/watch?v=EPrf5q3LdCY

Nós da Rede

Anderson Severo

Agitador Cultural em Sub_Discos
Comecei a ouvir Rock N'Roll desde minhas primeiras lembranças conscientes, desde muito cedo. Isso deve ter sido lá por 1985. Começando de cara pela minha primeira lembrança Sonora e Estética é foi e sempre será Raul Seixa, claro que com o amadurecimento e expansão da consciência, as novas lembranças são Ramones, LED Zepellin, The Doors; Conheci também já pré adolescente AC/DC, Legião Urbana, Rolling Stones e Creedence.Ainda adolescente conheci pessoas atuantes na cena local, fui trabalhar como roadie de uma banda chamada orgasmo.
Até que quis montar minha própria banda.
No decorrer da caminhada passei por projetos como:
2000 - Resistência Aflita
2004 - Kaos Eminente
2006 - Estado Crítico
2014 - Insulto Verbal
2015 - Atualmente faço parte dos Projetos
Capa Preta e Exclusão Social.
Atuo promovendo eventos, lançando e distribuindo fonogramas, divulgando bandas eventos. Sou Adepto a filosofia Punk e ouço muito Hard Core, Cólera, Ratos de Porão entre outras.
Avatar
Nós da Rede

Últimos posts por Anderson Severo (exibir todos)

Avatar

Anderson Severo

Comecei a ouvir Rock N' Roll desde minhas primeiras lembranças conscientes, desde muito cedo. Isso deve ter sido lá por 1985. Começando de cara pela minha primeira lembrança Sonora e Estética é foi e sempre será Raul Seixa, claro que com o amadurecimento e expansão da consciência, as novas lembranças são Ramones, LED Zepellin, The Doors; Conheci também já pré adolescente AC/DC, Legião Urbana, Rolling Stones e Creedence. Ainda adolescente conheci pessoas atuantes na cena local, fui trabalhar como roadie de uma banda chamada orgasmo. Até que quis montar minha própria banda. No decorrer da caminhada passei por projetos como: 2000 - Resistência Aflita 2004 - Kaos Eminente 2006 - Estado Crítico 2014 - Insulto Verbal 2015 - Atualmente faço parte dos Projetos Capa Preta e Exclusão Social. Atuo promovendo eventos, lançando e distribuindo fonogramas, divulgando bandas eventos. Sou Adepto a filosofia Punk e ouço muito Hard Core, Cólera, Ratos de Porão entre outras.