Joey Jordison fala sobre os 21 anos do primeiro disco do Slipknot

Nesta segunda feira (29), o ex baterista do Slipknot, Joey Jordison, usou seu Instagram para falar sobre o aniversário de 21 anos do debut da banda. Ele comentou: 

É quase difícil de acreditar como esses anos passaram como batidas explosivas. Esse álbum foi e sempre será uma das melhores lembranças absolutas da minha vida. Não há nada lá fora como esse, e o que fez para todos nós” e o mundo do metal. Ele fez todos os nossos sonhos se tornarem realidade, e a reação geral dos fãs quase desmoronou os locais e estádios em todo o mundo. Nós não esperávamos, mas absolutamente explodiu! Estávamos tão determinados, com fome e prontos para enfrentar no mundo e nós fizemos. Nós não temíamos ninguém, e isso apareceu quando subíamos no palco. Era apenas ‘aquele’ tempo. “Obrigado a Monte Conner, Dave Rath e todos da Roadrunner Records … Sophia John, Ross ‘The King’ Robinson e Chuck Johnson. Para os fãs, vocês fizeram isso acontecer para todos nós, e eu dedico esse aniversário para você !!! Metal Forever. Obrigado eternamente! Joey Jordison no.1.

Junto com o texto, Jordison postou a placa de dupla platina certificada pela RIAA que o disco alcançou. O trabalho foi lançado em 29 de junho de 1999, pela Roadrunner Records e produzido por Ross Robinson, produtor que tinha grande relevância principalmente na cena New Metal dos anos 90, tendo trabalhado nas estreias do Korn, Limp Bizkit, Soulfly e também encarregado da produção de “Roots“, do Sepultura. Esta foi a estreia oficial do Slipknot e trazendo o primeiro registro com Corey Taylor nos vocais. Antes a banda havia lançado o trabalho independente “Mate. Feed. Kill. Repeat.“, em 1995, ainda com Anders Coselfini nos vocais. 

Joey Jordison deixou a banda em dezembro de 2013 após um anúncio inesperado e quatro trabalhos de estúdio registrados com o grupo, vindo a ser substituído por Jay Weinberg. Jordison se dedicou à alguns projetos posteriores, como o Vimic e o Sinsaenum.

View this post on Instagram

It’s almost hard to believe how these years have flown by like blast beats. That album was & will always be some of the absolute best memories of my life. There’s nothing out there quite like it, and what it did for all of us & the Metal world. It made all of our dreams come true, and the overall reaction from the fans almost collapsed venues & stadiums worldwide. We didn’t expect it, but it absolutely exploded! We were so determined, hungry, and ready to take on the world and we did. We feared no one, and it showed when we took the stage. It was just ‘that’ time. Total mystery it was. Thank you to Monte Conner, Dave Rath, and all at Roadrunner Records… Sophia John, Ross ‘“The King” Robinson & Chuck Johnson. To the fans, you guys made this happen for all of us, and I dedicate this anniversary to YOU!!! Metal Forever. Thank you eternally!Joey Jordison no.1. 🤘🏼

A post shared by Joey Jordison (@thejoeyjordison) on

Avatar
Últimos posts por Marcio Machado (exibir todos)
Avatar

Marcio Machado

Estudante de História pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), mas com o pé no jornalismo musical, desde os 12 anos se arriscava à escrever sobre o que ouvia em cadernos, se enveredando pela escrita jornalistica do Metal desde 2016 com o Whiplash, tendo de lá para cá, 80Minutos, Headbangers News, Gaveta de Bagunças, Headbangers Brasil e recentemente o Imprensa do Rock, como casas para seus textos e chatices. Tem como bandas de cabeceira Korn, Alice in Chains e Pantera, mas fã de muita coisa dos anos 90, a melhor década.