História das bandas de rock autoral de RS é contada em documentário

História das bandas de rock autoral de RS é contada em documentário
Veja o primeiro episódio do trabalho

 

Depois de mergulhar no universo dos músicos de baile de Bento com o documentário Os Reis Cha-Cha-Cha (2015), o produtor audiovisual Gustavo Bohm Bottega agora investe no rock and roll como pano de fundo para nova empreitada cinematográfica. Ele lançou na – via YouTube – o primeiro dos quatro episódios do filme Rock Bento, o Boom do Cenário Autoral. A ideia é resgatar a história dos primeiros roqueiros que fugiram do cover e começaram a produzir suas próprias canções na cidade. Muitos, inclusive, conquistando algum sucesso. Caso da banda de blues A Elétrika Tribo (antes A Tribo), que chegou a se apresentar no emblemático palco do Circo Voador e fez participação até mesmo na MTV – na foto, eles aparecem junto ao ex-VJ Luiz Thunderbird.


A produção, da Walkman Filmes, contou com cerca de 15 entrevistas, além de muitas imagens de arquivo que estavam guardadas em antigas fitas VHS e fotos. Entre as bandas que aparecem no trabalho estão, por exemplo, a Terra 4 (primeira banda bento-gonçalvense de rock autoral, na foto abaixo), a Velliaria, e o Edzul, com a qual o diretor guarda uma história pessoal.
– Meu tio, Osmar Bottega, era baterista do Edzul. Eu morava na casa ao lado e vivia por ali, acompanhei muito. Um dia ele me mostrou uma fita com algumas gravações caseiras da banda e eu isso me despertou a ideia do filme. Pensei: “nossa, preciso mostrar para todo mundo como esses caras são bons”. A história dessas bandas estava se perdendo, o filme faz esse resgate – comenta Gustavo, à coluna.

O doc foi custeado pelo Fundo Municipal da Cultura de Bento Gonçalves. O primeiro episódio já está disponível (veja abaixo). Os próximos três, com pouco mais de 25 minutos de duração cada, serão disponibilizados nas próximas semanas pelo www.facebook.com/walkmanfilmes     

 

Nós da Rede

Anderson Severo

Agitador Cultural em Sub_Discos
Comecei a ouvir Rock N'Roll desde minhas primeiras lembranças conscientes, desde muito cedo. Isso deve ter sido lá por 1985. Começando de cara pela minha primeira lembrança Sonora e Estética é foi e sempre será Raul Seixa, claro que com o amadurecimento e expansão da consciência, as novas lembranças são Ramones, LED Zepellin, The Doors; Conheci também já pré adolescente AC/DC, Legião Urbana, Rolling Stones e Creedence.Ainda adolescente conheci pessoas atuantes na cena local, fui trabalhar como roadie de uma banda chamada orgasmo.
Até que quis montar minha própria banda.
No decorrer da caminhada passei por projetos como:
2000 - Resistência Aflita
2004 - Kaos Eminente
2006 - Estado Crítico
2014 - Insulto Verbal
2015 - Atualmente faço parte dos Projetos
Capa Preta e Exclusão Social.
Atuo promovendo eventos, lançando e distribuindo fonogramas, divulgando bandas eventos. Sou Adepto a filosofia Punk e ouço muito Hard Core, Cólera, Ratos de Porão entre outras.
Avatar
Nós da Rede

Últimos posts por Anderson Severo (exibir todos)

Avatar

Anderson Severo

Comecei a ouvir Rock N' Roll desde minhas primeiras lembranças conscientes, desde muito cedo. Isso deve ter sido lá por 1985. Começando de cara pela minha primeira lembrança Sonora e Estética é foi e sempre será Raul Seixa, claro que com o amadurecimento e expansão da consciência, as novas lembranças são Ramones, LED Zepellin, The Doors; Conheci também já pré adolescente AC/DC, Legião Urbana, Rolling Stones e Creedence. Ainda adolescente conheci pessoas atuantes na cena local, fui trabalhar como roadie de uma banda chamada orgasmo. Até que quis montar minha própria banda. No decorrer da caminhada passei por projetos como: 2000 - Resistência Aflita 2004 - Kaos Eminente 2006 - Estado Crítico 2014 - Insulto Verbal 2015 - Atualmente faço parte dos Projetos Capa Preta e Exclusão Social. Atuo promovendo eventos, lançando e distribuindo fonogramas, divulgando bandas eventos. Sou Adepto a filosofia Punk e ouço muito Hard Core, Cólera, Ratos de Porão entre outras.