Haken @ Fabrique Club – São Paulo/SP (29/01/2019)

Depois de terem vindo em 2017 com o projeto “Shattered Fortress” de Mike Portnoy para tocarem a “12 Step Suite” e outros clássicos do Dream Theater, finalmente os ingleses HAKEN vieram ao Brasil unicamente para desfilarem o seu metal progressivo e divulgarem o álbum “Vector”, lançado no final de 2018, na Fabrique Club, recebendo um bom público, que ficou boquiaberto em 2 horas de duração.

Com uma introdução de Guilherme Tell na abertura, a banda entrou para mandar logo de cara a música do novo álbum que virou um grande hit: “The Good Doctor”, que é bem direta, mas claro com toda aquela quebra de ritmo bem peculiar que a banda sempre apresentou.

Para emendar nada melhor que “Puzzle Box”, uma verdadeira pedrada, sem dúvida a mais dissonante do trabalho recente do HAKEN. Impressionante o jogo de notas que fazem os guitarristas Charlie Griffiths e Richard Henshall.

Uma rápida saudação do vocalista Ross Jennings ao público para vir com duas músicas do excelente álbum “Mountain”: a primeira, a minha favorita, “Falling Back To Earth”, a faixa que me introduziu à banda e desde então escuto com muita frequência! Reparem bem no refrão dela, é algo lindo de ver ao vivo, é uma experiência viajante demais. Sem deixar respirar veio a bem progressiva “Cockroach King”, que mostra toda a influência setentista do HAKEN. Nela você encontrará pitadas de Gentle Giant e Genesis tranquilamente.

Depois, a banda voltou para mais uma faixa nova, dessa vez foi a instrumental “Nil by Mouth” com uma pegada até eletrônica e o uso mais contundente do teclado.

Momento de voltar ao trabalho anterior, “Affinity” e vir com a sensacional “1985”, um dos grandes destaques no show, os fãs cantaram juntos quase toda a música, foi certeira a escolha para o setlist.

Outra do “Vector”, agora a mais longa do disco: “Veil”, que é um lindo épico bem estruturado e claro pesado, com um poderoso riff logo no início, é para viajar durante seus mais de 12 minutos de execução.

Outro momento épico do show foi “The Architect”, com nada mais nada menos que 15 minutos do mais puro metal progressivo, mas todo complexo, que só o HAKEN sabe fazer. É uma música para apenas olhar e apreciar cada passagem.

Por fim, o tradicional bis veio com uma boa novidade: primeiro a já esperada “Crystallised”, do “Restoration”, único EP que a banda lançou. Foram mais 20 minutos de muita técnica e umas quebradas bem progressivas inspiradas nas clássicas bandas já citadas.

A grande surpresa foi “Celestial Elixir”, que não vinha sendo tocada nos shows anteriores, mas aqui eles vieram para delírio de todos (eu torci por Visions, mas essa também valeu a pena). Como foi perfeitamente executada, nem parece que continha 17 minutos de duração, a banda realmente não veio para brincadeira e o show fechou da melhor maneira.

Setlist:

1. The Good Doctor
2. Puzzle Box
3. Falling Back to Earth
4. Cockroach King
5. Nil by Mouth
6. 1985
7. Veil
8. The Architect
9. Crystallised
10. Celestial Elixir

Line-up:

Charlie Griffiths – Guitarra
Ray Hearne – Bateria
Richard Henshall – Guitarra
Ross Jennings – Vocal
Diego Tejeida – Teclado
Conner Green – Baixo

Texto: Alessandro Rossi
Fotos: Jair G. Silva

Giancarlo Rossi

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.
Giancarlo Rossi
Avatar

Giancarlo Rossi

Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.