Evergrey @ Carioca Club (São Paulo/ SP) – 23/11/2019

Eis que, após quase uma década (a exagerada ae, rs), finalmente temos a volta dos suecos aos palcos tupiniquins. Oito longos anos se passaram, nos deixaram de fora do lançamento dos dois últimos álbuns, mas quem espera sempre alcança.. Evergrey detonou o sabadão paulistano.

Com o lançamento do mais novo filhote “The Atlantic”, aparataram em São Paulo no Carioca Clube. Decisão da libertadores no telão, pra animar a torcida que também é metaleira… e nos minutos finais 2 gols e a vitória do flamengo. Assim os motores são esquentados para o Evergrey, que sobe no palco pontualmente as 19, com a entrada triunfal de Jonas Ekdahl, que já esfrega nas nossas fuças o que está por vir, detonando e pedindo as palmas da galera. Com “A Silent Arc”, o hiato é quebrado e a galera vibra junto.

Seguem com “Weightless”, e antes de “Distance”, Tom pergunta para o pessoal quem estava presente no último show, e ele mesmo admite parecer uma vida que não se apresenta em São Paulo. O palco fica vermelho entoando “Passing Through”. Tom brinca mais uma vez com seus fãs, mostrando o quão á vontade fica no palco, assim como seus companheiros, diz que achava que estaria frio, por isso trouxe o casaco de frio dele, mas que se deu mal.
A banda segue o barco, tocando muito e fazendo o Carioca tremer no bumbo duplo de Jonas. O som estava perfeito e o carisma de todos muito evidente. Em “Leave It Behind Us”, o frontman pede mais uma vez a participação da galera, erguendo as mãos com o \m/ clássico, e é prontamente atendido.

Em “Words Mean Nothing”, temos um calm moment no show, e o tecladista brilha muito. Em  “I’m Sorry”, Tom pede a participação da galera, pega o celular e filma tudo, o coro de fãs foi lindo de ver. Mas logo temos a paulada retornando ao palco com “My Allied Ocean”. 

O coro “Evergrey, evergrey”, entra em ação sempre que possível, emocionando os músicos em cima do palco, que sempre agradecem muito.

O bis fica por conta de “Recreation Day”, que começa com mais um pouquinho do início do show, pois Jonas sobe na batera primeiro, no retorno da pausa, cuspindo água pra cima e cruzando as baquetas, pedindo a participação da galera. Em “A Touch of Blessing”, Rikard e Henrik são as estrelas da vez: o brilho do teclado que abusa dos efeitos e mostra toda sua habilidade, seguido pela guitarra que acompanha a melodia do parceiro, belo solo. E para finalizar com chave de esmeralda: “King of Errors”.

Tom agradece muito os fãs e promete que retornará em breve. E, um momento épico: um dos fãs do camarote esquerdo levou uma bandeira metade do Brasil, metade de Suécia, escrita Evergrey. Na finalização, tom pede a bandeira, beija, flameja, coloca sobre os ombros e depois devolve ao fã que fica muito emocionado com a atitude do ídolo!!!

Foi uma apresentação impecável e cheia de energia. Parabéns á todos envolvidos.

 

SET LIST
A Silent Arc
Weightless
Distance
Passing Through
The Fire
Leave It Behind Us
As I Lie Here Bleeding
Black Undertow
Monday Morning Apocalypse
Words Mean Nothing
I’m Sorry
My Allied Ocean
All I Have
The Grand CollapseBis:
When the Walls Go Down
Recreation Day
A Touch of Blessing
King of Errors

LINE – UP

Tom S. Englund – vocal e guitarra (1995)
Henrik Danhage – guitarra e vocal de apoio (2000)
Rikard Zander – teclado e vocal de apoio (2002)
Jonas Ekdahl – bateria (2003)
Johan Niemann – baixo e vocal de apoio (2010)

Agradecimentos mil pela colaboração do site @WIKIMETAL 
que nos cedeu as imagens feitas pela @Leca Suzuki!
Valeu parceiros!

Paula Alecio

Diretora, redatora e Apresentadora do Unimetal em Imprensa do Rock
Paula Alecio