Entrevista: A Red Nightmare

A cena underground nacional sempre nos revela grandes bandas repletas de talentos. O A Red Nightmare está aí para quebrar todos os paradigmas de acharem que metal só se faz em grandes centros. A banda oriunda do Pará surge com seu debut autointitulado e vem rendendo bons frutos Brasil afora. Tivemos uma descontraída conversa com o guitarrista Vinícius Carvalho que nos conta sobre o disco e também fala dos projetos e planos futuros. Confira a entrevista.

 

IDR: Primeiramente gostaria de parabenizar pelo excelente disco que é de muita originalidade e uma qualidade formidável desde a capa até a última música. Seguinte, conte-nos como foi a produção do debut.

Vinícius: Muito Obrigado pelas palavras e pela oportunidade irmão, esse trabalho sem duvida nos exigiu até a última gota de suor e sangue para ser concluído, fizemos toda a pré-produção na minha casa (carinhosamente chamada de “The Coven” graças ao Mercyful Fate) para trabalhar os arranjos e compor partes que ainda faltavam, gravamos o instrumental no Studio Na Music e as vozes no The Coven. Tivemos uma série de problemas durante o processo e tínhamos um prazo certo para entregar os áudios pro Adair Daufembach mixar e masterizar, foi uma corrida contra o relógio. Quando o nosso ex-vocalista deixou a banda, tínhamos duas músicas sem linha de voz ou letras e mais duas para refazer e criar linha de voz, com a chegada do Leonan, que entrou na banda em pleno processo de gravação e que por sorte nossa é um cara extremamente dedicado e com muito feeling, conseguimos fechar as vozes a tempo graças também à compreensão do Adair que estendeu o nosso prazo de entrega após saber do ocorrido, foram muitas noites sem dormir e trabalhando até desmaiar, mas valeu à pena cada perrengue. O trabalho visual com o Gustavo Sazes foi muito tranquilo, o Igor conversou com ele sobre a temática do disco e mostrou as letras, quando o Gustavo mandou a arte ficamos impressionados, ele é um artista brilhante e conseguiu capturar todo o clima obscuro do disco.

 

IDR: O feedback da mídia e do público está sendo satisfatório para a banda?

Vinícius: Com certeza, o debut está tendo uma aceitação excelente e o público está curtindo bastante os shows, o apoio da Metal Media está sendo fantástico também garantindo uma visibilidade excelente para o trabalho.

Cover25

IDR: Vocês acham que o metal em nosso país, principalmente a cena underground se encontra em um período carente?

Vinícius: Acho que existe carência no que diz respeito à estrutura, mas isso sempre existiu, pelo menos na nossa cidade. As redes sociais tem criado uma boa forma de divulgação para eventos e bandas, mas acho que podemos aproveitar ainda mais o potencial deste veículo, tenho esperança que a cena venha a crescer mais e dar mais oportunidade a outras bandas fora dos padrões enlatados que costumamos ver com frequência em muitas bandas populares entre o público mais jovem no metal atual, espero também que a molecada conheça melhor e curta o som das bandas clássicas e prestigie mais as bandas nacionais, as conquistas de todos fortalecem o underground e o apoio do público valoriza e incentiva a produção das bandas independentes.

 

IDR: Algo um pouco fora da música. Estamos em ano de eleições e atravessamos um momento bastante delicado com relação à política do país. O que vocês esperam para o próximo ano com relação à política e também com o incentivo do governo na parte da música e da cultura.

Vinícius: Infelizmente não temos muito que esperar além de mais do mesmo. As caras mudam tão rápido quanto as promessas e o discurso é sempre vazio e sem alma, no sorriso mórbido de cada candidato se esconde o desespero de milhões de brasileiros, “forçados” a escolher sempre entre o “menos pior” ou o que “rouba menos” por trás da cortina estão sempre os mesmos mandachuvas contando bilhões de dólares sujos enquanto o fantoche sorri e acena, não vejo futuro além da desgraça e nem luz no fim do túnel além do meu voto nulo.

10544400_903227039705145_8381945057235855471_n

IDR: Como anda a cena underground no Norte do país? Pois a cada ano vem surgindo muita banda de qualidade e compromissadas a fazerem um som de qualidade.

Vinícius: Fazer música autoral de forma independente em qualquer lugar do planeta é sempre um grande desafio, dentro do metal este desafio se torna 100 vezes maior, se for no Brasil multiplique por 50, mas apesar de todo esse panorama contrário temos tido uma grande movimentação de todas as bandas do underground no Norte e Nordeste que começam a gravar mais e lançar cada vez mais material, estamos num período muito interessante do ponto de vista artístico com muitas bandas novas surgindo e também com a consagração de bandas veteranas.

 

IDR: Esse lance de pirataria, mp3 e similares sempre atrapalharam as vendas de disco. Existe alguma estratégia para amenizar essa situação?

Vinícius: Os tempos mudaram drasticamente desde o surgimento dos downloads e não há como tentar mudar esse quadro, se as grandes gravadoras não conseguiram acredito que seria uma má escolha tentar revertê-lo por nossa conta, pelo contrário, tentamos nos adaptar aos novos tempos e disponibilizar gratuitamente o nosso material no maior número de websites possível, com o áudio e as letras das músicas para que mesmo quem baixe o álbum possa ter acesso a todo o conteúdo da obra, também damos ao ouvinte a opção de pagar pelo bandcamp para apoiar a banda.

10468350_907754749252374_5677140174009312225_n

IDR: O que a banda tem planejado para o ano de 2015?

Vinícius: Estamos compondo novas músicas para o próximo álbum e planejamos fazer vários shows fora do Estado promovendo o debut, bem como produzir vídeos para o nosso canal no Youtube, mas creio que o foco principal serão as novas músicas.

 

IDR: A respeito do disco “A Red Nightmare”, como tem sido o retorno de outros países sobre o mesmo?

Vinícius: Temos recebido contatos de várias pessoas fora do país que gostaram bastante do álbum, gente do País de Gales, Inglaterra, Estados Unidos, França, Alemanha e Hungria, tivemos duas músicas do debut sendo tocadas em rádios de Metal na Alemanha e na França, a recepção tem sido fantástica.

 

IDR: Agradecendo aqui a entrevista, esse espaço agora é dedicado a todos que acompanham a banda. Deixem sua mensagem para a galera.

Vinícius: Muito obrigado a todos da Imprensa do Rock pela oportunidade, ao Rodrigo e Débora da Metal Media pelo grande apoio e a todos vocês que nos acompanham e nos apoiam sempre StayRED!

10414520_905346642826518_8922576745208559996_n

 

Victor Santos

Victor Santos

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Victor Santos é editor-chefe do Imprensa do Rock e Diretor Geral do Programa Unimetal. Desde 2011, vem trazendo conteúdo de qualidade para os amantes da música e do cinema.
Victor Santos
  • Marcelo Sarges

    ARN é minha banda favorita em atividade aqui no Norte! A Red Nightmare foi o melhor álbum que comprei em 2014, sem falar nas performances ao vivo, que são estraçalhadoras de pescoço! Os caras são super gente fina, a banda é desgraçadamente talentosa, tem a minha devoção enquanto fã!
    StayRed!