Entrevista IDR: bate papo com os integrantes do Distraught

O Distraught estão a todo vapor no estúdio gravando o novo álbum “Locked Forever” e com o disco em fase super avançada que já tem até capa pronta idealizada pelo brasileiro Marcelo Vasco, criador da também nova capa do Slayer (Repentless, 2015). A Imprensa do Rock conseguiu bater um papo para saber um pouco mais a respeito da divulgação, o que podemos esperar de sonoridade para o novo álbum, participações especiais, shows e muito mais.

Os integrantes que se manifestarem livremente para responder a entrevista foram André Meyer (vocal) e Ricardo Silveira (guitarra). Confira abaixo, a entrevista. Gostou? Ajude-nos compartilhando em suas redes sociais através do Twitter e Facebook.

Vamos começar do começo? Que tal falarem um pouco sobre o início de carreira da banda e como tudo começou para o Distraught.

André: Bom, no início ‘1992’ tocamos apenas por diversão. Bebíamos mais que tocávamos na verdade (risos). O som do Distraught era mais crossover então no primeiro ano, 1990, começamos a fazer alguns shows em nossa cidade.

Vocês acabaram de completar 25 anos de carreira em 2015 e o que vocês acham que mudaram na sonoridade do Distraught (se mudou)? Ainda continua a mesma tradição através da brutalidade junto de muita técnica boa ou deram uma escorregada e resolveram experimentar novas coisas?

André: Nesses 25 anos com certeza deu pra evoluir muito se tratando do nosso próprio som. Continuamos sempre usando aquilo que sempre funcionou em nossas músicas.

Ricardo: acho o que mudou mais foi na estrutura do som (peso, melodia, refrão) mas foi uma mudança ou evolução que aconteceu de forma natural com o passar dos anos e de álbum para álbum.

Vocês estão a todo vapor produzindo agora o novo álbum “Locked Forever”. Como está sendo toda a produção e o que os fãs podem esperar?

Ricardo: somos suspeitos para comentar sobre o próprio filho hehehe. Mas está uma paulada em todos os sentidos, riffs, músicas etc. Na Produção/Gravação tivemos a excelente experiência de trabalhar com o Renato Osorio (Hibria), que é nosso grande amigo há alguns anos e um excelente profissional, ele teve carta branca para puxar nossas orelhas e o resultado ficou espetacular. Na mixagem Benhur Lima (Hibria) e na masterização Adair Daufembach.

André: Será com certeza o álbum top da carreira do Distraught, com músicas/letras fortes e uma produção de um nível superior aos anteriores. Aguardem! Que vem chumbo grosso ai!

A arte gráfica do novo álbum do Slayer (“Repentless”, 2015) foi assinada pelo excepcional Brasileiro Marcelo Vasco (Borknagor, Belphegor, Vader…) e vocês possuem agora a honra de também tê-lo como artista. Como está sendo trabalhar com Marcelo no novo disco do Distraught e como o encontraram?

distraught_locked_web

Ricardo: encontrei o Marcelo em 2008 quando estava procurando alguém para trabalhar na arte do álbum ‘Unnatural Display of Art’ lançado em 2009. Na época era muito usado o myspace e navegando pelas páginas achei uma arte que me chamou muita atenção no perfil dele do myspace. Desde lá ficamos grandes amigos e consideramos o Marcelo como um integrante da banda. Ele criou a arte do álbum ‘The Human Negligence is Repugnant’ lançado em 2012 e agora nesse mais recente.

Andre: Com ele sempre foi bem tranquilo, passamos as ideias do tema do álbum e ele sai criando. Além de ser um grande artista é nosso amigo já a algum tempo, então tudo flui melhor.

Músicos consagrados do metal nacional também estão assinando participações ilustres tanto na arte da capa como nas músicas de “Locked Forever” e citamos exemplos claros de Eduardo Baldo do Hibria e Mauricio Weimar (ambos bateristas). Como está sendo trabalhar com essa incrível dupla no novo disco? Outras participações também serão anunciadas?

André: Com o Dio (nosso baterista anterior) indo morar em L.A (EUA), conversamos com o Maurício pra ver se rolava de gravar o álbum, já era uma vontade de muitos anos atrás tocar com ele, sempre que ficávamos sem baterista conversávamos e por compromissos que ele tinha com sua banda na época não rolava e desta vez deu tudo certo, tem sido ótimo pra nós. O Baldo é um grande amigo fizemos o convite e ele curtiu muito a ideia de gravar o som ‘Dehumanized’.

Ricardo: Temos a participação do nosso hermano guitarrista argentino Ezequiel (ex-Climatic Terra e agora na nova banda Witchour) na composição do som ‘Brazilian Holocaust’ é uma honra ter esses feras participando nesse álbum.

O que vocês podem falar a respeito do novo álbum? Continua na linha do excelente “The Human Neglicence is Repugnant, 2012” ou uma nova sonoridade será dada em “Locked Forever”?

Ricardo: com certeza continua e para melhor, afinal estamos mais velhos (risos).

André: Acho que é uma sequência, ainda mais madura, mas certamente continua sendo o Distraught em cada faixa.

Já tocaram com diversas bandas consagradas tanto do cenário nacional como do internacional. Pode falar um pouco pra gente o que vocês conseguiram aprender entre as turnês e shows com nomes nada menos que Megadeth, Vader, Hibria, Destruction, Torture Squad dentre outros?

Ricardo: Dividir o palco com nossos Brothers do Torture e Hibria sempre foi uma experiência divertida, já perdi a conta de quantas vezes fizemos shows juntos.

André: É sempre de grande importância para o currículo de uma banda, adquirimos experiência e novos fãs com esses shows.

E falando sobre aprendizado, podemos esperar uma turnê nacional do Distraught para divulgação de “Locked Forever” ainda em 2015 ou mesmo em 2016?

Ricardo: No Brasil sempre foi muito difícil arquitetar uma Tour por problemas de logística e financeira também, ainda mais com essa crise que o pais esta vivenciando agora. Recentemente (Julho) tocamos no ‘Araraquara Rock’

André: Estamos começando a agendar alguns shows agora, é possível que sim.

Por favor, esse espaço é de vocês. Sintam-se a vontade para comentar o quiser tanto relacionado aos leitores da Imprensa do Rock ou aos fãs do Distraught. Muito obrigado pela entrevista!

André: Queria agradecer em nome do Distraught o espaço cedido e a todos fiéis apreciadores do gênero metálico Brasileiro que ajudam a fortalecer a cena.

Ricardo: agradeço também aos nossos fãs e amigos que fomos conquistando no decorrer desses 25 anos de banda, isso não tem preço, somos muito gratos. Quem faz a cena acontecer são vocês! Para quem não conhece nosso trabalho ainda, acompanhe as novidades pelo Facebook e Distraught.com.br.

Victor Santos

Victor Santos

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Victor Santos é editor-chefe do Imprensa do Rock e Diretor Geral do Programa Unimetal. Desde 2011, vem trazendo conteúdo de qualidade para os amantes da música e do cinema.
Victor Santos