Entrevista exclusiva com a banda Tension Rising

Formada em 2008, a TENSION RISING é uma banda de hard rock de quatro integrantes, com sede na cidade de Nova York. O vocalista e guitarrista rítmico Chris Garrigan se conectou com o guitarrista principal Nicky Van Page por meio de um amigo em comum, que foi o baixista da banda até 2015. Nicky contratou um baterista que ele conhecia do colégio, e assim a primeira fase do grupo nasceu. Com a chegada do atual baixista Alex Repetti em 2015, a banda se sentiu pronta para entrar na próxima fase de sua empreitada musical.

Mais NESSE LINK

Sobre o novo álbum Penumbra:

1. Como foi trabalhar nisso durante a pandemia?
Alex Repetti:

Foi uma experiência interessante. Tínhamos começado a escrever Penumbra antes do início da pandemia, por volta de outubro de 2019, e nosso processo de escrita estava acontecendo quase que inteiramente pessoalmente. Assim que a pandemia atingiu os Estados Unidos, tivemos que começar a trabalhar remotamente, o que ainda não havíamos feito como banda. Temos muita sorte de viver em uma época em que existe a tecnologia para podermos escrever como um grupo 100% remotamente estando online, usando chats de vídeo e compartilhando arquivos no Google Drive. Demorou um pouco para ajustar, mas depois de algumas semanas, encontramos nosso groove novamente, e conseguimos permanecer muito produtivos.

2. Como foi o processo de escrita e composição?

Algumas das canções já tinham sido escritas antes da pandemia, mas mais da metade delas foram escritas remotamente quando a pandemia atingiu os Estados Unidos. Como não podíamos estar em uma sala e escrever juntos, como um grupo, gravávamos ideias para canções (ou seções de canções, como um verso ou refrão) e mandávamos as ideias de um lado para outro. Então, nos encontrávamos em um bate-papo por vídeo (pelo menos uma vez por semana, geralmente mais) e discutíamos como estruturar a música, sobre o que pensávamos que a letra deveria ser, etc.
Terminada a escrita, cada um gravou seus próprios instrumentos em casa e os mandou para mim (Alex) para edição e mixagem. Definitivamente, prefeririamos estar em uma sala para trabalhar juntos, mas esse processo on-line funcionou surpreendentemente bem também.

3. Conte-nos como foi feita a capa?

Tínhamos um pouco de arte que montamos como uma maquete, e depois enviamos para o Kmdesignz para torná-la o que é agora. Achamos que ele fez um excelente trabalho e o recomendamos fortemente!

4. Quais são os próximos passos da banda agora?

Temos lançado muitos vídeos com letras e playthrough das músicas, uma vez que não podemos fazer shows agora devido à pandemia. Continuaremos lançando vídeos a cada duas semanas pelo resto do ano. Nós também temos um novo single (não do álbum Penumbra) já escrito, e estamos no processo de gravação e mixagem agora. Planejamos lançá-lo antes do final do ano.

5. Vocês tem expectativa de tocar no Brasil em breve?

Adoraríamos tocar no Brasil! Se algum protutor estiver lendo isso e quiser a gente no Brasil, entre em contato conosco!

6. Vocês poderia nos contar uma história sobre shows ou eventos que você acha engraçados?

Uma vez eu estava fazendo um show e nos deparamos com várias dificuldades técnicas com o equipamento. Primeiro, conectei meu amplificador de baixo e, após alguns segundos de reprodução, um som alto aconteceu, BOOM, e então meu amplificador parou de emitir qualquer som. Depois que o engenheiro de som e eu tentamos ver o que estava errado, não conseguimos descobrir e ele me trouxe um cabeçote de amplificador diferente para tentar. Funcionou por alguns segundos e então aconteceu a mesma coisa. Som alto, BOOM, e mais nenhum som. Então, alguns minutos depois, um dos guitarristas passou pela mesma dificuldade. Ele estava tocando, e então BOOM, nenhum som. Sua cadeia de loop FX em seu amplificador morreu. O engenheiro de som me trouxe outro cabeçote de amplificador, mas este era para um acústico (estou tocando um baixo elétrico). O som não era muito bom, mas pelo menos funcionou. Então, pouco antes do show, o pedalboard do outro guitarrista morreu. Foi uma falha ininterrupta do equipamento! Nunca descobrimos exatamente qual era o problema, mas presumimos que o local estava com um problema de eletricidade e queimou vários de nossos equipamentos. Foi uma espécie de pesadelo, mas pelo menos passamos pelo show. Porém, ficou caro consertar tudo depois.

Deixe uma massagem para os fãs brasileiros: Obrigado pelo seu apoio! O Brasil é um grande apoiador do metal, e nós amamos vocês!

 

_____________________________________________________________________________________

Hello dears, first of all, thank you for the availability for the interview for us from Imprensa do Rock.

About the new album Penumbra:
1. How was it like working on it during the pandemic?
Alex Repetti:
It was an interesting experience. We had begun writing Penumbra before the pandemic started, around October 2019, and our writing process was happening almost entirely in person. Once the pandemic hit the US, we had to start working remotely, which we hadn’t done yet as a band. We’re very fortunate to live in a time where the technology exists to be able to write as a group 100% remotely by being online, using video chats, and sharing files on Google Drive. It took a bit of an adjustment, but after a couple of weeks, we found our groove again, and managed to stay very productive.
2. How was the written and composition process?
Some of the songs were already written before the pandemic, but more than half of them were written remotely once the pandemic hit the US. Since we couldn’t sit in a room and write together as a group, we would record ideas for songs (or song sections, like a verse or chorus) and send the ideas back and forth. Then we would meet up on a video chat (at least once a week, often more) and discuss how to structure the song, what we thought the lyrics should be about, etc.
Once the writing was finished, everyone recorded their own instruments at home, and sent them to me (Alex) for editing and mixing. We definitely prefer being in a room to work together, but this online process worked out surprisingly well, too.
3. Tell us about how was the cover made?
We had some art that we put together just as a mock up, and then sent it to Kmdesignz to make it what it is now. We think he did an excellent job, and highly recommend him!
4. What are the next steps of the band now?
We have been releasing a lot of lyric and playthrough videos of the songs, since we cannot play shows right now due to the pandemic. We will continue releasing videos every couple of weeks for the rest of the year. We also have a new single (not from the Penumbra album) already written, and we’re in the process of recording and mixing it now. We plan to release it before the end of the year.
5. Do you have expectations to coming to play in Brazil soon?
We would love to play in Brazil! If any booking people are reading this and want us to play there, reach out to us!
6. Could you tell us a story about shows or events that you find funny? Tks
One time I was playing a show, and we ran into a bunch of technical difficulties with the equipment. First, I plugged in my bass amp, and after a few seconds of playing, a loud sound happened, BOOM, and then my amp stopped making any sound. After the sound engineer and I tried to see what was wrong, we couldn’t figure it out, and he brought me a different amp head to try. It worked for a few seconds, and then the same thing happened. Loud sound, BOOM, and no more sound. Then a few minutes later, one of the guitarists had the same thing happen. He was playing, and then BOOM, no sound. His FX loop chain on his amp died. The sound engineer brought me another amp head, but this was for an acoustic (I’m playing an electric bass). The sound wasn’t very good, but at least it worked. Then, right before the show, the other guitar player’s pedalboard died. It was non stop equipment failure! We never found out exactly what the problem was, but we assume the venue had an electricity problem, and blew out a bunch of our equipment. It was kind of a nightmare, but at least we got through the show. It was expensive to get everything fixed afterward though.

Leave a massage for Brazilian fans.
Thank you for your support! Brazil is a huge supporter of metal, and we love you guys!

Thank you very much for the availability. We hope to see you in action soon.

Paula Alecio
Paula Alecio

Paula Alecio

Sou bióloga de profissão e metaleira de coração e alma. Adoro sempre conhecer novas vertentes no rock e no metal, ir aos shows alimenta minha alma sedenta de heavy metal, e me faz sentir viva. Por isso mantenho o site no ar, para ajudar nossas bandas a irem mais longe! Estamos juntos nessa estrada conflituosa e cheia de vicissitudes.