Enslaved @ Carioca Club – São Paulo/SP (31/03/2019)

Depois de ter vindo no Overload Music Fest em 2017, os noruegueses do ENSLAVED voltaram ao Brasil no domingo (31/03) no Carioca Club para um show com muita agressividade e técnica para encerrar bem o final de semana do público presente (a casa não estava lotada, mas a presença foi ok).

Antes, teve a banda brasileira Basalt que tocou por pouco mais de 30 minutos e conseguiu prender bem a atenção do público, mesmo fazendo um som totalmente diferente da atração principal. Um ponto que chamou a atenção foi o vocalista Fabricio Muller discursar sobre a data que remetia ao golpe militar de 1964 que não era para ser comemorado, claro que isso gerou inúmeras discussões aos presentes.

Pontualmente às 20h e com uma luz totalmente azul, o ENSLAVED subiu ao palco para delírio dos fãs e já começou com a sensacional “Ethica Odini”, onde consolidou o som da banda, com misturas de black metal e rock progressivo.

Depois veio “Roots of the Mountains” que é do meu álbum favorito deles: “RIITIIR” que tem uma mistura entre os vocais melódicos e guturais bem acima da média, fora os ares nórdicos que permeiam cada passagem.

Com um rápido boa noite, o ENSLAVED voltou a 2006 ao executar a mais cadenciada faixa-título “Ruun”, mas sem deixar o poderoso vocal gutural de Grutle Kjellson.

O momento era tocar música do mais recente trabalho da banda: “The River’s Mouth” do “E” lançado em 2017. Isso demonstra a evolução que a banda demonstra a cada álbum, sabendo a dosagem de black metal que acompanha desde o início da carreira com a quebrada mais progressiva.

Um ar nostálgico caiu ao retomar para o segundo álbum dos noruegueses, “Frost” de 1994, com quatro petardos: “Loke” e “Fenris”, “Gylfaginning” e “Isöders dronning”, onde podemos considerar já um clássico do metal dentre suas inúmeras vertentes.

Mais uma que o público pulou e cantou junto: “Havenless” com até a coreografia nórdica que os integrantes fizeram.

Para fechar antes do bis, a segunda música do “E” veio, com a linda “Sacred Horse”, que mais parecia uma história viking com batalhas e choques de deuses.

Na volta para o bis, um rápido solo de bateria de Cato Bekkevold para que o restante descansasse e tomasse uma cerveja bem gelada para já voltar com “Isa”.

Por fim mais um dos primeiros sucessos do ENSLAVED: “Allfǫðr Oðinn” com seus 8 minutos de duração para encerrar muito bem o show! Valeu pela 1h30 de show, a banda é competente demais em cima do palco e espero que um retorno próximo, a casa possa estar lotada para recebê-los.

Setlist:

1. Ethica Odini
2. Roots of the Mountain
3. Ruun
4. The River’s Mouth
5. Loke
6. Fenris
7. Gylfaginning
8. Isöders dronning
9. Havenless
10. Sacred Horse

Encore:

11. Drum Solo
12. Isa
13. Allfǫðr Oðinn

Line-up:

Grutle Kjellson – Vocal e Baixo
Ivar Bjørnson – Guitarra
Arve Isdal – Guitarra
Håkon Vinje – Teclados
Cato Bekkevold – Bateria

Texto: Alessandro Rossi

Fotos: Leca Suzuki

Giancarlo Rossi

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.
Giancarlo Rossi
Avatar

Giancarlo Rossi

Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.