Dream Theater: “Essa turnê vai contar com os maiores shows que já fizemos, vai ser épico”, diz Jordan Rudess

jordanrudessdt

O Dream Theater, retorna ao Brasil dois anos depois de sua última passagem [confira como foi no Imprensa do Rock, a apresentação em São Paulo] para apresentar a nova turnê mundial “The Astonishing”, que celebra na íntegra, o mais recente álbum do grupo.

Lembrando deste fato, o Imprensa do Rock conseguiu bater um papo por telefone com o tecladista Jordan Rudess que em um pouco mais de 15 minutos de conversa, conseguimos descobrir o que os fãs podem esperar dos shows intimistas em forma de teatro, como foi realizada a produção do novo álbum e novidades não muito boas sobre o “Liquid Tension Experiment”.

Entrevista por: Victor Santos e Matheus Silva

O Dream Theater está prometendo um mega espetáculo em cada cidade que irá passar pelo Brasil neste mês. Como vocês estão se preparando e o que os fãs podem esperar desse show?

Jordan: Essa turnê vai contar com os maiores shows que já fizemos, vai ser épico. Tanto a estrutura do palco, as luzes, a experiência visual em si… As pessoas realmente podem esperar algo novo e cheio de energia, principalmente os que vão ver o Dream Theater pela primeira vez.

Vocês sempre realizam suas turnês em modo de teatro, com assentos para todos do público, salvo raras exceções, como da última vez que passaram por São Paulo. De onde surgiu essa idéia de um espetáculo em forma de teatro?

Jordan: Acho que nosso estilo musical influencia um pouco, mas queremos que as pessoas aproveitem o show de uma maneira mais confortável como em um teatro. Sentado você presta mais atenção, vê melhor, escuta melhor… Nosso show não é como um show de rock comum e estando sentado, você pode aproveitar melhor esta experiência…

O que vocês pretendiam fazer com o novo disco, “The Astonishing”, seria alguma espécie de mudança de sonoridade, mudar a identidade da banda ou simplesmente tomar um novo rumo?

Jordan: É um álbum conceitual que foi feito de uma maneira muito diferente, nós amamos uma história complicada e cheia de detalhes, então ele foi escrito dessa forma. O John Petrucci e eu criamos os primeiros arranjos para o disco antes de apresentar para a banda e posteriormente para o maestro. O estilo não ficou muito parecido com o de uma banda de rock, ficou algo semelhante a um “opera-rock”. Isso tudo foi um pouco da nossa inspiração, então não consigo dizer exatamente como será nosso próximo de álbum.

De onde surgiu toda a belíssima história do disco? Pode-nos contar como foi a produção dele?

Jordan: produção desse álbum foi algo um pouco diferente, envolveu uma equipe muito grande fora da banda, que trabalhou nele para alinharmos todos os efeitos visuais . até chegarmos na equipe final, conhecemos o trabalho de muitos e muitos artistas até chegam exatamente no que queríamos para a arte do álbum

Um pouco sobre os projetos paralelos. Vocês pretendem voltar com o Liquid Tension Experiment algum dia? Gravar algo ou quem sabe fazer algum show?

Jordan: Bem, no momento não temos intenção de voltar com o Liquid Tension Experiment, este nosso novo álbum mostra bastante do nosso trabalho e acredito que grande parte da minha inspiração foi voltada a ele, então não, no momento não temos intenção.

Jordan, além de você ser tecladista do Dream Theater, você é multi-instrumentista. Como isso influencia (se influencia) nas composições da banda, o que costuma agregar de novidades?

Jordan: A vantagem é que é possível tocar todas as músicas em diversos instrumentos, seja baixo, bateria, guitarra… Então em um álbum como esse, por exemplo, eu posso contribuir mostrando algumas partes que acho legais para mudar nos outros instrumentos e também com várias idéias para a composição da música,seja tocando teclado ou umas partes mais eletrônicas, pois como tocamos rock progressivo, temos a vantagem de poder utilizar vários instrumentos alternativos. Então, eu posso ajudar com o rock progressivo, um pouco com a música eletrônica e com tudo o que tem entre os dois.

Por favor, sintam-se à vontade para deixar um recado aos fãs de Dream Theater, e ao Imprensa do Rock.

Jordan: Um recado para os nossos fãs e os leitores do Imprensa do Rock? Venham para o nosso show, não deixem de conferir o álbum novo, agradecemos o apoio de todos nossos fãs, estamos bem animados com a turnê e estamos realmente contentes com o que estamos fazendo no palco. É isso. (risos).

São Paulo foi a primeira cidade anunciada para a “The Astonishing World Tour”, mas a sequência de shows será a seguinte: em Minas Geras, no Teatro Minas Centro (21); na noite seguinte, em São Paulo, no Espaço das Américas (22); no Vivo Rio, no Rio de Janeiro (23) e encerrando a passagem pelo país com uma pausa de dois dias em Curitiba, no Ópera de Arame (25). Confira serviço completo abaixo:

“THE ASTONISHING NO BRASIL 2016”

BELO HORIZONTE

Data: 21 de junho de 2016
Local: Teatro Minas Centro / Horário: 21h00
Endereço: Av. Augusto de Lima, 785
Ingressos de: R$ 340 a R$ 800 (ver tabela completa)
Classificação etária: 16 anos. Entre 14-16 anos somente acompanhados.

SÃO PAULO

Data: 22 de junho de 2016
Local: Espaço das Américas / Portas: 19h | Show: 21h30
Endereço: Rua Tagipuru, 795 (ao lado do Metrô Palmeiras – Barra Funda)
Ingressos de: R$ 175 a R$ 600 (ver tabela completa)
Classificação etária: 16 anos.

RIO DE JANEIRO

Data: 23 de junho de 2016
Local: Vivo Rio / Portas: 19h | Show: 21h
Endereço: Av. Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo
Ingressos: de R$ 90 a R$ 540 (ver tabela completa)
Classificação etária: 16 anos.

CURITIBA

Data: 25 de junho de 2016
Local: Ópera de Arame / Portas: 18h
Endereço: Rua João Gava, 874
Ingressos: de R$ 200 a R$ 450 (ver tabela completa)

flyerdtbrasil2016

Victor Santos

Victor Santos

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Victor Santos é editor-chefe do Imprensa do Rock e Diretor Geral do Programa Unimetal. Desde 2011, vem trazendo conteúdo de qualidade para os amantes da música e do cinema.
Victor Santos