Dez anos sem Ronnie James Dio

16 de maio de 2020, sábado. Nesta data se completam exatos dez anos sem a lenda, o ícone maior do heavy metal, Ronnie James Dio, ou Ronald James Padavona.

O ídolo que trouxe o sinal dos “chifres” para o mundo da música pesada, nasceu em 10 de julho de 1942, em New Hampshire, lançando seu primeiro single em 1959, com o RONNIE AND THE REDCAPS, mas a fama começou a chegar com o ELF, pois foi dali que surgiu o convite vindo de Richie Blackmore para Dio integrar o Rainbow, sendo ele “Ritchie Blackmore’s”, Rainbow, “Rising” e “Long Live Rock And Roll”.

Já nos anos 80, a carreira de Dio decolava assumindo os vocais de nada menos que o Black Sabbath, substituindo Ozzy Osbourne. O disco da estreia do cantor na banda é um marco até hoje lembrado e que para muitos é o melhor trabalho do Sabbath, o disco “Heaven and Hell“, vindo ainda gravar mais um disco de estúdio nesta década, “Mob Rules” e após deixar a banda, retorna já nos 90 para mandar ver em “Dehumanizer“. 

Durante o período que esteve fora do Sabbath, Dio não ficou parado investindo em sua carreira solo, de onde surgiram os hinos “Holy Diver” e “Rainbow in the Dark“. 

Mas já nos anos 2000, Ronnie voltava a se reunir com Tony Iommi, Geezer Butler e Vinny Appice, mas agora sob o nome Heaven and Hell, e em 2007 lançam o ótimo “The Devil You Know“, único disco de estúdio sob este nome. 

Porém, a vida é cheia de reviravoltas e em meio a festa de reunião, Dio descobriu um câncer no estomago que foi severo com o nosso tão carismático baixinho. Ainda que fosse otimista e assim como nós, acreditava em sua recuperação, em 16 de maio de 2010, aos 67 anos, o cantor deixou este plano, nos deixando órfãos de sua presença física aqui nesse mundinho que ficou um pouco mais chato depois desse dia. 

Foi-se o corpo, mas sua memória, história e legado continuam aqui conosco. Dio não a toa é considerado como o “pai” de toda uma forma de cantar, de inventar uma forma de “ser” o vocalista e qual o papel em frente à uma banda de metal, vindo à ser respeitado por várias gerações, desde Rob Halford até Corey Taylor, todos citam o seu nome como a influência e grande inspiração. 

Hoje se completam dez anos, mas não é um dia para ficarmos tristes. Vamos celebrar a vida, celebrar sua importância e sua história sempre presente e viva, celebrar o amor que Dio cantava e espalhar sua mensagem.

Long live Ronnie James Dio!!! \,,/,

“Se a mágica se puser entre nós
E nós nunca nos encontrarmos de novo
Leve uma parte de mim embora
Por que talvez isto tudo seja sobre amor
Amor, ooh”

Avatar
Avatar

Marcio Machado

Estudante de História pela Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), mas com o pé no jornalismo musical, desde os 12 anos se arriscava à escrever sobre o que ouvia em cadernos, se enveredando pela escrita jornalistica do Metal desde 2016 com o Whiplash, tendo de lá para cá, 80Minutos, Headbangers News, Gaveta de Bagunças, Headbangers Brasil e recentemente o Imprensa do Rock, como casas para seus textos e chatices. Tem como bandas de cabeceira Korn, Alice in Chains e Pantera, mas fã de muita coisa dos anos 90, a melhor década.